Financiamentos, Notícias, Tarifas

Quer financiar um imóvel? Saiba qual a melhor taxa de juros para financiamento imobiliário

Isabella Proença
taxa de juros para financiamento imobiliário

Entenda porque é importante ter conhecimento da melhor taxa de juros para financiamento imobiliário ao adquirir um imóvel próprio.

Devido à queda da taxa Selic, o valor dos financiamentos de imóveis está mais baixo e, por esse motivo, o interesse em adquirir a casa própria tem aumentado, mesmo em meio à crise. Dessa forma, conhecer a melhor taxa de juros para financiamento imobiliário é uma forma de economizar no momento de adquirir o imóvel.

Além dos juros baixos, nos últimos anos os preços têm aumentado pouco, alinhados com a inflação e, algumas vezes, até mesmo abaixo dela.

Continua após a publicidade:

Saiba que condições são as mais desejáveis para quem quer comprar um imóvel; com informações do Valor Investe.

O que se deve ter em mente

Antes de tudo, o consumidor precisa se atualizar diante do cenário atual, de redução de juros.

Neste momento, pagar de 10% a 11% ao ano em juros do crédito imobiliário pelo SFH (Sistema Financeiro de Habitação), não é viável.

Segundo o Melhortaxa, comparador de juros, a taxa média praticada no mercado atualmente é de 7,16% somada à correção da TR (Taxa Referencial), que se encontra zerada.

Caso o banco ofereça algo dentro desse parâmetro, estará dentro do aceitável.

Se a oferta for maior, pode ser melhor pesquisar em outras instituições financeiras ou tentar negociar.

Qual banco tem a melhor taxa de juros para financiamento imobiliário?

Até a última quinta-feira, 10, a Caixa era detentora da menor taxa mínima, que girava a partir de 6,95% ao ano somada à TR.

Em segundo lugar estava o Santander, que baixou sua taxa há pouco tempo para a partir de 6,99% ao ano, se transformando no banco privado com os menores juros.

Na última semana, o Itaú lançou uma nova modalidade de financiamento indexada pela poupança.

Essa possibilidade já vinha sendo apresentada para clientes pessoas jurídica desde abril, para atender uma demanda das incorporadoras.

Agora, na alternativa oferecia aos clientes do varejo, o componente fixo da linha será de 3,99% ao ano, somado a uma variável ligada ao rendimento da poupança — que, no presente momento, corresponde a 70% da Selic.

Dessa forma, hoje, a taxa final para os clientes ficaria em 5,39% ao ano — mais baixa do que ao que o próprio banco oferece em contratos ligados à TR.

Esta matéria foi útil? Então assine a newsletter do iDinheiro e receba nossas publicações em tempo real no seu e-mail.

Publicidade

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *