QETH11 ou ETHE11: qual ETF de Ethereum escolher?

Saiba como escolher entre QETH11 ou ETHE11, ETFs de criptomoedas com foco na segunda moeda digital mais valorizada do mercado.

B612_20210521_152657_024_2
Melissa Nunes

Investidores interessados em adquirir o Ethereum podem ficar em dúvida sobre qual o melhor ETF disponível com foco nessa criptomoeda, o QETH11 ou ETHE11.

O Ether ficou mais popular nos últimos anos, tornando-se a segunda maior moeda virtual do mercado. Por conta da sua visibilidade e crescente rentabilidade, passou a chamar a atenção dos usuários. Além disso, também oferece uma maior flexibilidade, uma vez que, ao contrário do Bitcoin, a criptomoeda mais comercializada atualmente, não se trata de um ativo limitado.

Continua após a publicidade

Por outro lado, o desenvolvimento de novas formas de investimento pode confundir o usuário, que procura saber qual a opção mais vantajosa. Nesse caso, é interessante conhecer mais detalhes sobre as alternativas consideradas, para tomar uma decisão acertada e realizar uma aplicação que traga resultados positivos para a sua carteira.

Pensando nisso, preparamos um guia com informações para te ajudar a escolher entre QETH11 ou ETHE11, além de trazer informações sobre os dois dos ETFs mais populares de Ethereum. Abaixo, um resumo do que você vai encontrar no texto:

Continua após a publicidade

QETH11ETHE11
Primeiro fundo da América Latina com 100% de exposição ao EthereumDesenvolvido por uma das maiores empresas de gestão de ativos, em parceria com a segunda maior bolsa de valores do mercado
Cotas com valores acessíveisMaior patrimônio líquido
Potencial de crescimentoAlta rentabilidade registrada nos últimos anos

O que é um ETF de criptomoedas?

Antes de tomar uma decisão definitiva e escolher entre QETH11 ou ETHE11, é importante entender o conceito que está por trás desses dois produtos financeiros.

Ambos são ETFs de criptomoedas. Esta é a sigla para Exchange Traded Fund, ou Fundo de Índice, como é normalmente traduzido. Em resumo, trata-se de um ativo negociado na bolsa de valores, que baseia sua cesta de papéis no desempenho de determinado indicador.

Dessa forma, o ETF replica os resultados do índice que acompanha, e permite que os investidores que adquiriram este ativo recebam a valorização associada aos componentes da carteira.

No caso do QETH11 ou ETHE11, ambos são um fundo de índice composto por indicadores que avaliam a moeda digital Ethereum, sendo esta o seu foco principal. Entretanto, não existem restrições para que outros criptos componham a carteira, por exemplo.

Continua após a publicidade

Com isso, os investidores que escolherem um desses fundos, ou outro semelhante, estarão avaliando o desempenho de uma carteira teórica que se baseia nesse criptoativo. Se as moedas apresentarem movimentações positivas, como valorização no mercado, os fundos de investimentos atrelados a elas também crescem, e os ETFs imitam esse comportamento. Claro, o mesmo acontece em situações opostos, no caso de desvalorizações e eventual queda nos preços.

No entanto, o modo de funcionamento desses fundos de índice é simples, e você entender melhor o que é um ETF e como ele funciona em nosso artigo completo: O que são ETFs? Conheça os principais e veja como investir!

Conhecendo o QETH11

Prosseguindo com o guia para escolher entre QETH11 ou ETHE11, vale a pena conferir mais detalhes sobre cada uma das alternativas.

QETH11 é o código de identificação do QR CME CF Ether Reference Rate Fundo de Índice, que replica o desempenho do índice CME CF Ether Reference Rate, da Bolsa de Chicago.

Continua após a publicidade

Ele se destaca por ser o primeiro Fundo da América Latina com 100% de exposição ao Ethereum. Ou seja, o ETF realiza a compra do Ethereum físico e realiza a custódia para os investidores, replicando diretamente a movimentação da moeda.

O ativo é gerido pela QR Asset, uma das maiores administradoras financeiras a atuar no país. Além disso, o produto também possui autorização definitiva da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para atuar na bolsa de valores brasileira, a B3. Assim, também traz apólice de seguro e todas as verificações necessárias.

QETH11 em números

Para decidir entre QETH11 ou ETHE11, é importante que o investidor esteja a par de todas as informações relevantes sobre cada um dos fundos de índices. Por esse motivo, vale a pena conhecer alguns dos números mais importantes desse ETF também.

O valor de cada cota pode ser conferido na página oficial do ETF, já que varia diariamente. Em geral, é considerado bastante acessível para os investidores, que não precisam desembolsar uma grande quantia para investir nesse ETF de criptomoedas.

Continua após a publicidade

Enquanto isso, seu patrimônio líquido está avaliado em mais de R$147 milhões, taxa de administração é de 0,7% ao ano e sua carteira é composta de 95% de exposição ao Ether, e 5% dividido em dólar e real.

A rentabilidade do Ethereum nos últimos 12 meses foi de 955,35%, com uma valorização de 1493,83% nos últimos 3 anos, o que também colaborou para esses números. Já o QETH11, por ter sido criado recentemente, não tem um longo histórico a ser avaliado. Em 2021, o fundo terminou o ano com uma valorização de 59.73%.

Conhecendo o ETHE11

Por outro lado, para escolher entre QETH11 ou ETHE11, também vale a pena conhecer a segunda alternativa, e comparar ambas de maneira mais completa, para ter uma análise sólida dos fundos.

O ETHE11 refere-se ao Hashdex Nasdaq Ethereum Reference Price FI, um fundo de índice que replica o desempenho do índice Nasdaq Ethereum Reference Price, desenvolvido pela gestora para acompanhar, em tempo real, o preço de referência da criptomoeda.

Continua após a publicidade

Este ETF é um produto gerido pela Hashdex, considerada a maior administradora de criptos da América Latina. Inclusive, ela foi a responsável pelo lançamento do primeiro ETF de criptomoedas no Brasil, o HASH11, que, hoje, conta com mais de 150 mil investidores na B3. Além disso, a Hashdex também criou o primeiro fundo de índice de criptoativos do mercado global, o Hashdex Nasdaq Crypto Index ETF, tornando-se referência no cenário.

Entre os fundos disponíveis na bolsa de valores brasileira, a companhia detém 3 dos 5 principais, incluindo o ETHE11.

Dessa forma, o ETF se destaca como mais um produto de sucesso no catálogo da administradora, além de também possuir exposição de 100% ao Ethereum, sem outras criptomoedas para implementar a carteira.

ETHE11 em números

O valor atual da sua cota pode ser conferida em tempo real no site da gestora, visto que varia diariamente. O custo é maior do que as cotas do QETH11, um fator que pode ser considerado na hora de escolher entre ETHE11 ou QETH11.

Continua após a publicidade

Com patrimônio líquido de mais de R$166 milhões e taxa de administração de 0,7% ao ano, o ETHE11 fechou 2021 com uma rentabilidade acumulada de 27,34%. Com a valorização do Ethereum nos últimos anos, a posição do ETF também foi beneficiada.

Ainda, vale a pena destacar que os números da Hashdex, de forma geral, são positivos, sendo uma administradora com foco em criptoativos que possui credibilidade no mercado brasileiro.

QETH11 ou ETHE11: qual ETF de Ethereum vale mais a pena?

QETH11ETHE11
NomeQR ETHERETHER HASH
Índice de referênciaCME CF Ether Reference RateHashdex Nasdaq EthereumReference Price
Valor da cotaConfira aquiConfira aqui
Taxa de administração0,7% a.a0,7% a.a.
Patrimônio líquido (março/2022)R$147 milhõesR$166 milhões

Depois de conhecer mais sobre ambos os fundos de índice, muitos investidores podem questionar qual vale mais a pena, o QETH11 ou ETHE11.

Em um primeiro, comparando suas informações básicas, o ETF da QR Asset possui valor mais acessível de investimento, embora seu patrimônio líquido seja menor que o da Hashdex.

Continua após a publicidade

Ambas as taxas de administração são iguais, o que permite que o investidor considere, basicamente, os valores das cotas durante a sua avaliação.

Inicialmente, os dois ETFs são os principais concorrentes dentro desse segmento, e oferecem exposição total à variação do Ethereum. No entanto, os índices de referência são diferentes, o que pode influenciar no retorno de recebimentos que o investidor pode vir a ter.

Em termos de comparação, o QETH11 apresenta uma rentabilidade superior ao ETHE11, embora os dois ETFs tenham surgido na mesma época, de modo que nenhum possui vantagem por conta do tempo de negociação. Isso pode se dar pelos índices seguidos, que podem ter diferentes composições. Porém, pelo curto histórico, esse não é um critério de avaliação ideal.

Dessa forma, em um primeiro momento, a escolha de QETH11 ou ETHE11 depende do preço das cotas. Caso o investidor se interesse por um produto mais acessível, se for iniciante ou deseja aplicar menos capital, o QETH11 é a opção com menor valor no presente momento.

Continua após a publicidade

Ambas as administradoras possuem credibilidade no mercado internacional, no entanto, a Hashdex é gestora de 3 dos 5 ETFs de criptomoedas disponíveis na B3. Assim, caso esse seja um fator relevante para a análise do investidor, vale a pena levar em conta a atuação da empresa no Brasil.

Quais são os outros ETFs de criptomoedas?

Além do QETH11 ou ETHE11, também existem outros fundos de índice de criptomoedas disponíveis no Brasil. Embora não possuam exposição total ao Ethereum, como é o caso dos ETFs avaliados, os produtos contam com outras carteiras que podem ser interessantes para investidores que atuam nesse segmento.

Além disso, os principais fundos que fazem parte do catálogo da bolsa de valores brasileira também trabalham com moedas de forte impacto, como o Bitcoin.

Por esse motivo, vale a pena conhecer mais sobre os outros ETFs de criptomoedas que operam no cenário brasileiro. Dessa forma, para usuários que avaliam entre QETH11 ou ETHE11, será possível ter uma base de comparação mais ampla, conferindo novas alternativas com chances de rentabilidade positiva.

Continua após a publicidade

HASH11

A começar pelo HASH11, trata-se do primeiro ETF de criptomoeda a estrear no Brasil, tornando-se, atualmente, o ativo mais negociado do segmento.

O código de identificação representa o Hashdex Nasdaq Crypto Index Fundo de Índice, que está atrelado ao indicador Nasdaq Crypto Index (NCI), desenvolvido pela Nasdaq, em parceria com a Hashdex. Foi com este fundo de índice que a gestora começou a se destacar no Brasil, além de permitir que os investidores nacionais pudessem aplicar seus recursos em um produto que trabalha com o Bitcoin.

O objetivo inicial da HASH11 era monitorar a movimentação do mercado de criptoativos de forma mais simples, uma vez que os investidores ainda não tinham acesso facilitado às criptomoedas até o momento de desenvolvimento deste produto.

No entanto, é importante destacar que o fundo de índice não conta com concentração total em Bitcoin, embora seja seu foco. A cesta reproduz o desempenho de uma série de moedas digitais, inclusive o Ethereum, que é a composição principal de ETFs com total exposição, como o QETH11 ou ETHE11. 

Continua após a publicidade

QBTC11

Enquanto isso, o QBTC11 foi o primeiro fundo de índice da América Latina a trazer 100% de exposição ao Bitcoin.

O ativo estreou na bolsa em junho de 2021, pouco tempo depois do HASH11, que foi o ETF que possibilitou o desenvolvimento de um produto com total foco na moeda mais comercializada do mercado atualmente. Por conta disso, também passou a atrair diversos investidores, que adquirem o ativo em busca de obter boas rentabilidades com a valorização da criptomoeda.

Atualmente, segue o índice CME CF Bitcoin Reference Rate, mesmo indicador utilizado pelo CME Group, a bolsa de mercadorias de Chicago. Sua gestora é a holding QR Capital, da QR Asset Management, com administração pela Vórtx.

O fundo também é acessível para os investidores, especialmente aqueles que desejam aplicar recursos em uma única moeda, sem dividir a carteira.

Continua após a publicidade

BITH11

Por fim, o BITH11, ou HASHDEX BTCN, como é conhecido na B3, também é um fundo de índice com concentração no Bitcoin. Sua data de estreia foi semelhante ao QBTC11, em julho de 2021, lançado para concorrer diretamente com o ETF, assim como QETH11 ou ETHE11.

Seu índice de referência é o Nasdaq Bitcoin Reference Price, mesmo indicador da parceria entre a Hashdex e a Nasdaq que guia o fundo de índice Ethereum da Hashdex.  Desenvolvido pela empresa especializada em gestão de ativos, o BITH11 é administrado pela XP Investimentos, com apoio de empresas como Itaú BBA e Genial Investimentos.

Este foi o segundo ETF de criptomoedas lançado pela Hashdex, embora seja o primeiro com foco exclusivo em Bitcoin. Seguindo o sucesso do ativo, a gestora veio a desenvolver o ETHE11 posteriormente, seguindo as mesmas diretrizes.

QETH11 ou ETHE11: Vale a pena escolher?

Em um primeiro, escolher entre QETH11 ou ETHE11 é uma decisão que depende do perfil de cada investidor. Isso porque os produtos são parecidos, e não possuem distinções significativas em termos de preços ou acessibilidade.

Suas taxas de administração são iguais, e ambos contam com uma carteira focada no Ethereum, a segunda maior criptomoeda do mercado, o que oferece rentabilidades positivas para os usuários.

Nesse caso, a análise entre ambos os ETFs é feita para que o investidor conheça mais detalhes sobre cada alternativa, e veja a que combina com o seu perfil, já que não existem apontamentos relevantes que diferenciam os fundos.

Sugestões de leitura do iDinheiro:

Continua após a Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.