QBTC11 ou BITH11: qual ETF de Bitcoin vale mais a pena?

Com a disseminação do investimento em Bitcoin por meio de ETFs, investidores têm dúvidas sobre qual ativo escolher para sua carteira.

melissa nunes perfil
Melissa Nunes
QBTC11BITH11
check mark concentração integral em Bitcoin aumenta as chances de valorização e rendimentos caso a moeda se valorize;check mark ETF verde, com alinhamento à questões ambientais;
check mark carteira 100% dolarizada;check mark desenvolvido por uma das maiores empresas de gestão de ativos, em parceria com a segunda maior bolsa de valores do mundo;
check mark valor acessível de cotas.check mark potencial de crescimento na B3, com crescente valorização desde a sua estreia.

Interessados em investir no mercado de bitcoins podem estar se perguntando qual o fundo vale mais a pena: QBTC11 ou BITH11. Para descobrir, é fundamental conhecer todos os detalhes de cada opção, e quais os diferenciais que eles oferecem.

As criptomoedas estão se tornando cada vez mais populares, por suas vantagens e pela alta rentabilidade que oferecem ao investidor. No entanto, outro quesito que está colaborando para esse crescimento no número de investidores são os fundos de investimentos, que facilitam o acesso a esses ativos diferenciados.

Continua após a publicidade

Contudo, com o lançamento de cada vez mais ETFs de criptoativos na bolsa de valores brasileira, alguns investidores podem ficar em dúvida sobre qual a melhor aplicação do momento.

A solução para escolher o ETF de criptomoedas ideal para você é realizar uma análise completa e detalhada sobre cada uma das opções.

Continua após a publicidade

E para te ajudar nessa escolha entre QBTC11 ou BITH11, nós preparamos um guia especial com todas as informações sobre cada um, além das suas principais vantagens e características.

O que é ETF de criptomoedas? 

Antes de escolher entre QBTC11 ou BITH11, é fundamental compreender o conceito de ETF de criptomoedas, o ativo que define ambas as opções.

ETF é a sigla para Exchange Traded Fund, ou Fundo de Índice, como pode ser traduzido. Basicamente, trata-se de um ativo negociado na bolsa de valores, que reúne uma cesta de ativos diversificados, atrelados a um determinado indicador.

Atualmente, é possível compor um fundo de índice com base em diversas cestas, nacionais, internacionais ou diferenciados, como os ETFs de criptomoedas.

Continua após a publicidade

Nesse caso, nada mais é do que um fundo de investimento composto por índices que avaliam moedas digitais, como o nome indica. Então, ao analisar os fundos QBTC11 ou BITH11, o investidor estará avaliando o desempenho da carteira teórica que se baseia nesses dois criptoativos.

Para entender melhor o que é um ETF e como ele funciona, leia o nosso artigo completo: O que são ETFs? Conheça os principais e veja como investir!

Conhecendo o QBTC11

logo da QR Asset, gestora do QBTC11

Depois de entender o conceito básico de ETF, é necessário conhecer as duas opções antes de escolher entre QBTC11 ou BITH11.

A começar pelo QBTC11, o fundo se destaca por ser o primeiro fundo de índice da América Latina com 100% de concentração no Bitcoin, a moeda digital mais famosa do mercado. Com nome oficial de QR BITCOIN, o ativo estreou na bolsa de valores brasileira em junho de 2021, e já reúne milhões de cotas em negociação.

Continua após a publicidade

Ao contrário de outros fundos de índice que seguem criptoativos, o QBTC11 se destaca por ser o primeiro ETF a estrear em uma bolsa de valores na América Latina com apenas uma moeda digital em sua cesta. Para isso, ele segue o índice CME CF Bitcoin Reference Rate, mesmo indicador utilizado pelo CME Group, a bolsa de mercadorias de Chicago.

Sua gestora é a holding QR Capital, pela QR Asset Management, com administração pela Vórtx.

QBTC11 em números

Ao avaliar QBTC11 ou BITH11, também vale a pena conhecer alguns dos números e detalhes técnicos da opção.

Atualmente, o fundo conta com mais de 11 milhões de cotas em negociação, e um patrimônio líquido de aproximadamente R$170 milhões.

Continua após a publicidade

Sua cesta pode apresentar algumas variações em composições secundárias, mas 95% do fundo deve ser composto, obrigatoriamente, por papéis relacionados ao Bitcoin.

O investimento mínimo é o próprio valor da cota, que custa cerca de R$ 15 no momento deste artigo. Como o lote padrão para ETFs é de 1 cota na B3, o investidor pode adquirir quantas quiser de cada vez.

Conhecendo o BITH11

logo da Hashdex, gestora do BITH11

Enquanto isso, se você deseja escolher entre QBTC11 e BITH11, também é importante conhecer a segunda alternativa.

O BITH11 ou HASHDEX BTCN, como é conhecido no pregão, também é um fundo de índice com concentração no Bitcoin, e estreou em julho de 2021 na bolsa de valores brasileira.

Continua após a publicidade

Seu índice de referência é o Nasdaq Bitcoin Reference Price, ou NQBTC, um indicador da parceria entre a Hashdex e a Nasdaq, a bolsa de valores norte-americana. Desenvolvido pela empresa especializada em gestão de ativos, o BITH11 é administrado pela XP Investimentos, com apoio das empresas Itaú BBA e Genial Investimentos.

O fundo é o segundo ETF de criptomoedas lançado pela Hashdex, porém o primeiro com foco exclusivo em Bitcoin.

Além disso, na avaliação entre QBTC11 ou BITH11, a opção também se destaca por ser o primeiro ativo verde da B3 nesse segmento.

O que significa ser um ETF verde?

Continua após a publicidade

O processo de mineração do Bitcoin demanda uma grande quantidade de energia elétrica, por conta dos programas de computador e equipamentos necessários. Com isso, aumenta-se o uso de energia e, consequentemente, a necessidade de potencializar a produção, para atender à demanda.

No entanto, a geração de mais energia elétrica, especialmente por alternativas não-renováveis, também expande a emissão de carbono para a atmosfera.

Dessa forma, ETFs verdes, como o BITH11, têm o objetivo de analisar o posicionamento de empresas que regulam o Bitcoin, além das suas iniciativas para aplacar essa emissão.

Para o BITH11, isso será possível graças ao apoio da empresa alemã Crypto Carbon Ratings Institute (CCRI). Ela irá realizar pesquisas de cálculo de emissão de carbono nas redes blockchain, a tecnologia por trás do Bitcoin.

Assim, com relatórios anuais, será possível calcular o consumo de energia e a emissão de gases no processo de mineração. Com base nos resultados, o ativo poderá ter um desempenho melhor, ou pior.

Continua após a publicidade

BITH11 em números

Até o momento, o patrimônio do BITH11 era de aproximadamente R$63 milhões, com um volume de 230 mil cotistas ativos e 50 mil cotas em negociação simultânea.

Sua cesta também possui 95% de composição com o índice Nasdaq que avalia o Bitcoin, com 5% de variação secundária.

Embora seu lançamento também seja recente, o ativo também está entre os ETFs de criptomoedas mais negociados da B3.

QBTC11 ou BITH11: qual ETF de Bitcoin vale mais a pena? 

QBTC11BITH11
NomeQR BITCOINHASHDEX BTCN
Índice de referênciaCME CF Bitcoin Reference RateNasdaq Bitcoin Reference Price
Valor (27/08/2021)R$15,73R$59,40
Taxa de administração0,75% a.a.0,70% a.a.
Patrimônio líquido (agosto/2021)R$170 milhõesR$63 milhões

Continua após a publicidade

O QBTC11, por ter estreado antes da bolsa brasileira, é um ETF mais consolidado entre os investidores, com um patrimônio líquido bastante superior ao BITH11. Sua cota tem valor bastante acessível, por isso, é interessante para investidores com menor poder aquisitivo ou que não querem se expor demais ao mercado de renda variável.

Enquanto isso, o BITH11 é gerido pela renomada Hashdex, que estreou a linha de ETFs de criptomoedas na B3 com o HASH11. Além disso, sua taxa de administração é um pouco menor, gerando menos custos para o investidor.

De qualquer forma, a política de investimento dos dois fundos é bastante parecida, com 95% seguindo o índice de referência de cada um, que está atrelado ao Bitcoin. Portanto, os dois valem a pena e cumprem seu propósito. Assim, cabe ao investidor avaliar quais fatores pesam mais na sua decisão na hora de investir.

Como comprar QBTC11 ou BITH11 

Depois de analisar as duas alternativas de ETF de criptomoedas e decidir entre QBTC11 ou BITH11, o investidor pode adquirir qualquer um dos fundos de forma prática e rápida.

Confira o passo a passo resumido para realizar a transação:

  1. tenha uma conta ativa em uma corretora: antes de mais nada, é importante ter uma conta ativa em uma corretora de valores ou instituição financeira certificada. Isso é necessário porque apenas essas instituições disponibilizam as ferramentas para realizar transações no mercado de ações com segurança;
  2. localize o ETF no home broker: em seguida, para investir em QBTC11 ou BITH11, basta localizar o ETF de criptomoedas desejado no home broker, a plataforma especializada nessas transações. O usuário deve inserir o código de identificação no ativo na pesquisa: “BITH11” ou “QBTC11” e selecioná-lo nos resultados;
  3. finalize o investimento: por fim, basta finalizar o investimento escolhendo o número de cotas desejado. No entanto, é importante garantir que existe saldo suficiente em sua conta para adquirir a quantia total. Se não houver, procure transferir recursos antes de realizar a transação, para evitar complicações durante o procedimento.

De forma geral, é simples investir em fundos de índice de criptoativos, e a maioria dos investidores realiza essa operação de forma individual, em seu dispositivo, como desktop ou aplicativo para celular.

Continua após a publicidade

Depois de confirmar a compra, o ETF aparece na custódia do investidor em 2 dias úteis, quando também acontece a liquidação.

Conheça outros ETFs de criptomoedas 

Além de escolher entre QBTC11 ou BITH11, o investidor interessado em Bitcoin ou outras moedas digitais também possui algumas alternativas na bolsa de valores brasileira. Por isso, para ampliar o número de opções em seu leque, vale a pena conhecer mais sobre os outros ETFs de criptomoedas da B3.

Veja mais detalhes sobre cada um:

HASH11

A começar pelo HASH11, o fundo foi o primeiro ETF de criptomoeda a estrear no Brasil, tornando-se, rapidamente, o ativo mais negociado do segmento.

O Hashdex Nasdaq Crypto Index Fundo de Índice está atrelado ao indicador Nasdaq Crypto Index (NCI), desenvolvido pela Nasdaq, em parceria com a Hashdex, assim como o BITH11.

Continua após a publicidade

Seu objetivo inicial era monitorar a movimentação do mercado de criptoativos de forma mais prática, permitindo que os investidores tivessem um maior acesso a esses componentes. No entanto, muitos investidores deixam de considerar o HASH11 em sua avaliação, analisando, principalmente, o QBTC11 ou BITH11, pois o fundo não possui concentração total em Bitcoin.

Sua cesta reproduz o desempenho de algumas das principais moedas digitais do mercado, com um fundo formado, atualmente, por:

  • Bitcoin;
  • Ethereum;
  • Litecoin;
  • Chainlink;
  • Bitcoin Cash;
  • Stellar Lumens.

Sendo as duas primeiras com o maior volume da cesta, alcançando quase 80% em Bitcoin e 17% em Ethereum.

Estreando na B3 em abril de 2021, a HASH11 levantou mais de R$600 milhões em ofertas iniciais, com cerca de 28 mil pedidos de reserva antes da negociação primária. Além disso, também foi precursora de outros ETFs de criptomoedas, como QBTC11 ou BITH11.

Continua após a publicidade

QETH11

Além de opções como QBTC11 ou BITH11, o investidor também pode considerar o QETH11, primeiro ETF da América Latina concentrado na moeda digital Ethereum. O criptoativo ocupa o segundo lugar do mercado, atrás somente do Bitcoin, e também movimenta milhões de reais.

Com isso, o lançamento de um fundo de índice focado exclusivamente nessa criptomoeda traz mais possibilidades para o investidor.

Ele é gerido pela QR Asset, assim como o QBTC11. Seu índice de referência é o Ether Reference Rate, também utilizado pelo CME Group.

O investimento segue padrões comuns para ETFs de criptomoedas, com investimento mínimo de 95% do patrimônio em Ether, e outras cotas de fundos de investimento secundários. Dessa forma, interessados em criptos também podem ampliar suas avaliações para além do QBTC11 ou BITH11.

Continua após a publicidade

Além disso, o valor da cota é relativamente acessível, com média de R$10, permitindo que mesmo os investidores menos experientes possam se arriscar nesse segmento.

ETHE11

Por fim, o ETHE11 foi o último ETF de criptomoeda a estrear na B3, mas também traz novas alternativas para o investidor, para além do QBTC11 ou BITH11.

Assim como o QETH11, este fundo de índice possui concentração total em Ethereum, porém foi desenvolvido pela Hashdex, também em parceria com a Nasdaq. Seu índice de referência é o Nasdaq Ethereum Reference Price, com cotas que estrearam em agosto de 2021, no valor de R$50.

A performance deste fundo de índice de moeda digital segue o mesmo comportamento dos anteriores, mantendo a competitividade do mercado entre as duas maiores empresas do segmento.

Continua após a publicidade

Embora apresente uma cota inicial mais elevada que seu concorrente direto, o ETHE11 está alcançando boas posições na bolsa de valores, com grande potencial de desenvolvimento.

Com ele, interessados em criptomoedas que desejam fugir do Bitcoin, e de opções como QBTC11 ou BITH11, podem analisar essas alternativas secundárias. Além disso, o HASH11 ainda permanece como o líder nas negociações, e sua cesta variada também é um ponto positivo.

Por isso, é importante que o investidor conheça mais sobre as opções de ETF de criptomoedas que atuam na B3 hoje, para tomar uma decisão acertada e ideal para o seu perfil.

Conclusão: QBTC11 ou BITH11?

Em termos técnicos, escolher entre QBTC11 ou BITH11 depende, principalmente, das impressões pessoais de cada investidor. Ambas as alternativas possuem benefícios, e concentram sua cesta de ativos no Bitcoin, a moeda mais valorizada do mercado atualmente.

Continua após a publicidade

Dessa forma, as chances de bons rendimentos são altas, mesmo com os riscos de investir em criptos.

Além disso, a menor exposição e a acessibilidade ao fundo de índice são pontos positivos para quem busca uma aplicação menos arriscada, mas ainda deseja se arriscar no mercado de moedas digitais.

As principais diferenças que podem influenciar na escolha entre QBTC11 ou BITH11 são suas administradoras e índices de referência. Caso o investidor tenha uma empresa de preferência, pode desejar investir seus recursos em um determinado ETF.

Enquanto isso, os diferenciais de cada um também ajudam na decisão. Por exemplo, o QBTC11 possui cotas mais acessíveis e maior patrimônio líquido, o que significa maior investimento na cesta.

No entanto, o BITH11 conta com menor taxa de administração e é um ETF verde, que também une princípios ambientais em sua atuação.

Em resumo, ambos os ativos valem a pena para interessados no segmento, e escolher entre QBTC11 ou BITH11 dependerá da avaliação individual e do perfil de cada investidor.

Sugestões de leitura do iDinheiro:

Continua após a publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.