Prorrogação do auxílio emergencial é confirmada: governo decide pela ampliação do benefício por mais 2 meses

Heloisa Vasconcelos
Heloísa Vasconcelos
Foto do app do auxílio emergencial simbolizando o tema prorrogação oficial do auxílio emergencial
De acordo com o ministro da economia, Paulo Guedes, definiu-se por ampliar o auxílio emergencial por mais 2 meses, sendo que o pagamento será realizado em 4 parcelas. Veja como!

Artigo originalmente publicado em blog.mobills.com.br. Conteúdos e comentários foram integralmente mantidos.

Prorrogação do auxílio emergencial é confirmada: governo decide pela ampliação do benefício por mais 2 meses

 

O governo federal ampliará o auxílio emergencial, cedido em decorrência da pandemia do novo coronavírus. 

Continua após a publicidade

Serão pagos mais R$ 1200, divididos em 4 (quatro) parcelas.

A informação foi divulgada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, em um pronunciamento no Palácio do Planalto, que contou com a presença do presidente da República, Jair Bolsonaro, dos presidentes da Câmara e do Senado (Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, respectivamente), além de outros parlamentares e convidados.

A ampliação do benefício estava sendo discutida há semanas, mas ainda não havia sido acertado como os novos pagamentos seriam realizados.

Até o momento, 64,1 milhões de brasileiros já receberam o auxílio emergencial, totalizando R$ 90,8 bilhões pagos, segundo o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães.

Entenda a prorrogação oficial do auxílio emergencial

O auxílio emergencial começou a ser pago pelo governo federal em abril, voltado para desempregados, trabalhadores informais e famílias de baixa renda afetados pela pandemia.

Inicialmente, seriam três parcelas de R$ 600 reais pagas mensalmente, sendo o valor de R$ 1.200 para mães solteiras.

O presidente Jair Bolsonaro havia sugerido pagamento de mais três parcelas nos valores de R$ 500, R$ 400 e R$ 300, reduzindo o auxílio gradualmente.

Já o Congresso Nacional defendia a ampliação do benefício para duas parcelas de R$ 600.

No entanto, de acordo com Paulo Guedes, definiu-se por ampliar o auxílio por mais 2 meses, sendo que o pagamento será em 4 parcelas, da seguinte maneira:

  • 500 reais, no início do mês;
  • 100 reais, no fim do mês;
  • 300 reais, no início do mês;
  • 300 reais, no fim do mês.

De todo modo,  o valor final de aumento não muda, serão mais R$ 1.200, assim como nas outras propostas.

Balanço do auxílio emergencial

Foram processados 106,3 milhões de cadastros das 108,4 milhões que se cadastraram no programa. 

Desses, 64,1 milhões de brasileiros foram aceitos, outros 42,2 milhões foram considerados inelegíveis, 2 milhões estão em primeira análise e 1,3 milhão estão em reanálise.

Conforme a Instituição Fiscal Independente (IFI), do Senado, cada parcela do auxílio custa, por mês, R$ 50 bilhões aos cofres públicos.

O impacto nas contas públicas até agora está estimado em cerca de R$ 150 bilhões. Com a prorrogação, o gasto subirá mais R$ 100 bilhões.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔

16 comentários

  1. Lindy

    Falta divulgar datas porque tudo está parecendo improvisado, mesmo depois de 3 meses de implementação.
    Não basta os erros do aplicativo, a quantidade de aplicativos que precisamos instalar; até precisar de linha telefônica ativa e de acesso à internet precisamos, nesse momento que tantas contas chegam e despesas precisam ser cortadas…

    Muitas pessoas (principalmente muitas que necessitam do auxílio pra sobreviver a essa pandemia) não entendem que esse dinheiro não é “do governo”, mas sim nosso e está retornando pros nossos bolsos!
    Já perceberam quantos impostos pagamos? Quanto os políticos recebem, gastam e possuem de patrimônios e bens?

  2. Gabriela Cristina

    Nos mães solteiras qual.o valor da primeira parcela é quando vai ser paga a segunda parcela

  3. Hugo Leonardo

    Muito boa cobertura!!
    Excelente e minuciosa análise dos fatos !

  4. Continua após a publicidade

  5. Wanderson Gerônimo

    Tenho fé em Deus, que ao final das parcelas já tenho terminado o isolamento social e a economia volte a crescer, pois se não for assim poderemos ter sérios problemas, não será fácil se manter com 600,00, principalmente para os desempregados e autônomos.

  6. Marta Augusto

    E para as mães que são sozinha que recebe o valor de R$1200 qual será o valor que receberá? Vai ser normal ?

  7. Ricardo

    Talvez até o fim do ano.

  8. Gabriella Gomes

    Mãe solteira vai continuar recebendo 1200 então???

  9. Bruna

    E pra mãe solteira como fica ?

  10. Nathan

    Muito bom. Adoro as notícias do Mobills!!

    Continuem fazendo esses tipos de conteúdo.

    Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.