Notícias

Preço do aluguel cai pelo 5º mês consecutivo e diminui alta em 2020

Isabella Proença
Isabella Proença
maquete de casa, calculadora e moedas, representando preço do aluguel cai
Preço do aluguel cai e a principal influência neste comportamento negativo é a variação nas capitais Sudeste e Sul. Leia e entenda.

O preço do aluguel cai pela 5ª vez consecutiva, agora também no mês de outubro, fechando com queda de 0,12%. Dados são do Índice FipeZap de Locação Residencial, que monitora o valor dos aluguéis de 25 cidades do Brasil.

As quedas anteriores foram de 0,31%, 0,28%, 0,40% e 0,13%, em setembro, agosto, julho e junho, respectivamente.

Continua após a publicidade

Da mesma forma que nos últimos quatro meses, a variação do aluguel ficou abaixo da inflação. Em outubro, o IPCA registrou a inflação de 0,86%, enquanto a medida do IGP-M, indicador mais utilizado para a correção de valores dos aluguéis, ficou em 3,23%.

Assim sendo, o resultado do Índice FipeZap aponta uma queda real no preço médio do aluguel de imóveis.

Preço do aluguel cai por influência de capitais brasileiras

Entre as capitais brasileiras que mais influenciaram a queda do índice no último período, o maior recuo apresentado fica por conta de Belo Horizonte (-0,85%).

Na sequência, aparecem Salvador (-0,65%) Curitiba (-0,51%), São Paulo (-0,44%), Florianópolis (-0,30%) e Brasília (-0,17%).

Por outro lado, Goiânia (1,57%), Recife (0,56%), Porto Alegre (0,25%), Fortaleza (0,16%) e Rio de Janeiro (0,11%) apresentaram alta no preço médio do aluguel.

Apesar dos desempenhos negativos dos últimos meses, o Índice FipeZap de Localização Residencial acumula uma alta de 2,01% em 2020.

No entanto, o indicador está abaixo da inflação medida pelo IGP-M e pelo IPCA no período até o mês de outubro de 2020, de 18,10% e 2,22%, respectivamente.

No decorrer dos últimos 12 meses, o índice diminuiu a alta acumulada para 2,66%, diante dos 3,20% em setembro. O resultado mantém a variação do preço médio do aluguel abaixo da inflação medida pelo IGP-M, de 20,93%, e pelo IPCA, de 3,92%, na comparação com o mesmo período.

Esta matéria foi útil? Então, assine a newsletter do iDinheiro e receba nossas publicações diárias diretamente no seu e-mail.

Publicidade

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *