Após cair 37%, preço das passagens aéreas volta a subir

Após queda de 37% no período da pandemia, o preço das passagens aéreas voltou a subir, chegando a níveis próximos a antes da crise. Entenda.

Lucas Pavanelli
Lucas Pavanelli

Em setembro, o preço das passagens aéreas no Brasil chegou a um patamar bem parecido ao do período pré-pandemia. O levantamento é de um estudo do Barômetro Viajala.com.br, que analisou mais de 10 milhões de buscas de voos em várias cidades do país durante o período de isolamento social. . 

Entre abril e outubro, com a queda na demanda dos passageiros, os preços das passagens aéreas estavam, em média, 22% mais baratos, na comparação com o mesmo período do ano passado. O mês de julho foi o pior para o setor, com queda de 37%. 

Continua após a publicidade

No entanto, de lá para cá os preços voltaram a subir. Em agosto, a queda média foi de 24%, em setembro, de 14%.

Com informações da Exame.

Aumento da procura levou a um aumento do preço das passagens aéreas

De acordo com a o VP de vendas da Viajala.com.br, Josian Chevallier, a retomada dos preços das passagens aéreas atende a uma maior procura dos passageiros. 

“As compras realizadas em nossos parceiros quase chegaram aos níveis pré-pandemia e provavelmente foi um incentivo para a recuperação dos preços”, afirma. 

O estudo analisou 10 milhões de buscas de voos em várias cidades do país no período de isolamento social.

O levantamento só considerou destinos nacionais. Segundo Chevallier, as viagens internacionais ficaram de fora porque ainda são consideradas arriscadas para o momento. Dentre os aspectos citados para justificar esse cenário, estão: desemprego, alta das moedas estrangeiras e restrições de entrada para brasileiros em outros países. 

A aposta da empresa é que, em 2021, o turismo seja mais aquecido para destinos nacionais, como praias, montanhas, cânions, serras e regiões ribeirinhas. 

Pesquisa mostra destinos mais em conta

A pesquisa do buscador Viajala.com.br também apontou os destinos nacionais com preços mais atrativos. 

Confira a queda nos preços das passagens aéreas nos destinos:  

  • Aracaju (SE): 32%
  • São Luís (MA): 28%
  • Recife (PE): 29%
  • Rio de Janeiro (RJ): 31%
  • Brasília (DF): 27%
  • Natal (RN): 25%
  • João Pessoa (PB): 25%
  • São Paulo (SP): 24%

Passagens aéreas só de ida

Ainda de acordo com a pesquisa do buscador de passagens, a pandemia também contribuiu para uma série de mudanças no comportamento do passageiro. 

Uma delas é o aumento nas buscas somente por trechos de ida. Segundo o Viajala.com.br, esse tipo de pesquisa passou de 21% para 34% no período. 

Para Chevallier, esse tipo de comportamento pode estar associado ao trabalho remoto, que permite que o funcionário de empresa trabalhe de qualquer lugar. 

Outra mudança é a procura por passagens aéreas com menor antecedência. Em 2019, em média, os passageiros buscavam comprar as passagens 42 dias antes da viagem. Neste ano, no entanto, essa tendência passou para 32 dias.

Esta matéria foi útil? Então assine a newsletter do iDinheiro e receba nossas atualizações em tempo real, no seu e-mail.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.