Diante de mais um corte na taxa básica de juros do Brasil, a taxa Selic, alguns investimentos acabam tendo seus resultados diretamente afetados, como o caso da poupança. Com a taxa no patamar de 2% ao ano, a caderneta de investimentos mais popular do País passa a ter sua rentabilidade ainda mais reduzida. 

Entretanto, o que isso impactará diretamente no seu bolso? É isso o que o iDinheiro analisa de maneira breve através deste conteúdo. 

Continua após a publicidade:

Quanto a poupança passará a render?

De acordo com os novos valores relacionados à taxa Selic, a poupança passará a ter uma redução ainda maior em sua rentabilidade anual. Desta maneira, a aplicação deverá render apenas 0,12% ao mês, e consequentemente, 1,4% ao ano. Esses cálculos, foram realizados pela Associação Nacional dos Executivos de Finanças Administração e Contabilidade (Anefac).

Essa diminuição dos valores referentes à poupança acontecem graças à nova regra aplicada para a caderneta, em vigor desde 2012. Segundo a nova regra, quando a taxa Selic estiver abaixo de 8,5%, a correção anual da caderneta de poupança será limitada a um percentual de 70% da taxa básica de juros, acrescidos do valor da taxa referencial, que se encontra zerada desde 2017.

Entretanto, os depósitos da poupança realizados até abril de 2012, continuam rendendo cerca de 6,17% ao ano, equivalente a 0,50% ao mês.

Como essas taxas afetam o bolso do consumidor?

Para que você consiga entender o impacto da diminuição dos valores da taxa Selic, exemplificamos como ficaria o cálculo se compararmos a poupança atual à poupança velha (a das regras até 2012). 

Investindo R$ 10 mil

Na poupança nova, caso o usuário deseje investir a quantia de R$ 10 mil, o valor do rendimento será o de R$ 140, somando assim, um total de R$ 10.140.

Agora, caso o valor tenha sido aplicado nas condições da poupança de 2012, a pessoa terá a rentabilidade de R$ 617, somando um valor de R$ 10.617 ao ano. 

Desempenho recorde de investimento

Mesmo com os apontamentos de rentabilidade muito abaixo do esperado, a caderneta de poupança acabou tendo resultados surpreendentes nos últimos tempos. Apenas no mês de junho, os recursos captados através da poupança superaram os saques em aproximadamente R$ 20,533 bilhões.

Com esse resultado, o mês de junho se mostrou o melhor desde o início da série histórica do Banco Central, em 1995, para o período. Além disso, o mês de julho também acabou batendo recorde de captação para o mesmo período, marcando um percentual de R$ 28,144 bilhões em aplicações. 

O que podemos analisar sobre a poupança?

Diante de resultados negativos em relação ao retorno financeiro, e o contraste de aplicação de investimento recorde dos últimos dois meses, podemos verificar o padrão de comportamento das pessoas buscando por segurança e estabilidade em suas reservas de emergência. 

Afinal, mesmo não sendo a melhor solução para depositar o dinheiro, principalmente levando em consideração as taxas baixas, a poupança ainda se mostra a solução mais eficaz para a maior parte dos brasileiros quando o tema é poupar e resguardar o dinheiro. 

E você? Quer continuar acompanhando todas as novidades sobre o universo financeiro? Então, não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro. 

Publicidade