Pedidos de portabilidade de financiamento imobiliário disparam entre janeiro e julho de 2020

O número de pedidos de portabilidade de financiamento imobiliário cresce entre janeiro e julho de 2020. Segundo o BC, foram 8,7 mil no período.

Isabella Proença
Isabella Proença

Devido aos juros baixos e à crise financeira, a portabilidade de financiamento imobiliário cresce em 2020. O mecanismo se tornou uma oportunidade para mutuários que pretendem diminuir os gastos de contratos antigos.

Ao fazer a transferência da divida, o consumidor pode conseguir condições melhores de financiamento, reduzir o valor das prestações e, com isso, economizar dinheiro.

Continua após a publicidade

É tanto que cada vez mais pessoas tem buscado a opção. De janeiro a julho de 2020 houve alta de 625% em comparação ao mesmo período do ano passado.

Portabilidade de financiamento imobiliário cresce

De janeiro a julho de 2020, o número de solicitações de portabilidade deferidas pelo Sistema Financeiro Imobiliário (SFI) e pelo pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH) alcançou a marca de 8,7 mil.

Por outro lado, no mesmo período do ano passado foram efetivados 1,2 mil pedidos, de acordo com dados do Banco Central.

O número de pedidos realizados foi ainda maior, totalizando 26,5 mil solicitações nos 7 primeiros meses deste ano. Já a soma dos valores financiados, também de janeiro a julho de 2020, foi de R$ 3 bilhões.

Influencia do contexto atual

A área técnica do Banco Central explica que “o contexto atual de juros, associado à entrada de novos participantes, contribui para a melhoria das condições de oferta de crédito, tanto para novas operações como para a portabilidade”.

A análise feita pela entidade também apontou a crise financeira como um fator determinante para impulsionar a demanda e a oferta de portabilidade de financiamento imobiliário este ano.

Com juros atrelados à operação, agora os financiamentos imobiliários são mais acessíveis aos mutuários.

Sob a visão dos credores, o crédito imobiliário se tornou uma opção extra para estabelecer uma relação de longo prazo com clientes bons.

O Banco Central ainda acrescenta que “em muitos casos, para não perder um bom cliente, o credor busca a renegociação das condições do crédito ao receber uma demanda de portabilidade”.

Vale a pena ressaltar que uma taxa de juros mais baixa ocasiona uma grande diferença no valor total do imóvel e ainda acelera a liquidação da dívida.

Em simulação realizada pela plataforma imobiliária Kzas, por exemplo, a portabilidade de um financiamento imobiliário no valor de R$ 700 mil, parcelado em 25 anos, pode ter uma economia de até R$ 245 mil.

Esta matéria foi útil? Então assine a newsletter do iDinheiro e receba nossas atualizações em primeira mão no seu e-mail.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.