Conheça os 5 piores golpes no PIX e saiba como se proteger

Para se proteger contra os golpes no Pix é fundamental saber como eles funcionam e quais as dicas para evitar uma fraude. Aprenda a se proteger!

Amanda Gusmao
Amanda Gusmão

O Pix se tornou um dos métodos de pagamento mais populares e utilizados entre os brasileiros. Mesmo em seu primeiro ano de lançamento, alcançou milhões de chaves cadastradas e já movimentou bilhões de reais.

Impedimentos como horário comercial ou tarifas para transferências entre contas de titularidades diferentes deixaram de ser um problema na hora de fazer pagamentos.

Continua após a publicidade

No entanto, essas facilidades também trouxeram uma nova modalidade de fraude financeira: os golpes no Pix.

Muitas pessoas já relataram terem caído em golpes relacionados a esse sistema, e seus principais benefícios também podem ser um fator que potencializa as chances de cair em uma fraude.

Então, conhecer mais sobre os golpes no Pix pode ajudar os consumidores a se protegerem melhor, ficando atentos às situações suspeitas e potencialmente fraudulentas é fundamental.

Continua após a publicidade

Listamos os 5 piores golpes no Pix, com dicas para evitá-los e o que fazer se for pego em um desses artifícios. Confira.

1. Golpes no PIX por Whatsapp clonado

O golpe do Whatsapp clonado já é uma estratégia antiga utilizada por fraudadores, mas ganhou um novo formato com a chegada do pagamento instantâneo lançado pelo Banco Central.

Nele, os criminosos realizam a clonagem do chip do titular, de modo que possam acessar suas informações pessoais e dados bancários.

Em um primeiro momento, os transgressores transferem o número de celular da vítima para outro aparelho, instalando o aplicativo de mensagens e assumindo sua conta.

Continua após a publicidade

A partir disso, é possível acessar a agenda de contatos, por exemplo, além de outros dados importantes sobre o titular.

Além disso, os golpes no Pix com Whatsapp clonado também se tornaram mais perigosos com a chegada das transferências pela plataforma.

Em parceria com instituições bancárias, o aplicativo passou a permitir o envio e recebimento de dinheiro instantaneamente, o que aumenta consideravelmente as chances de fraude em poucos instantes.

Caso o titular do número não realize o bloqueio, os criminosos podem ficar com acesso ilimitado aos seus dados pessoais, realizando o roubo e outras ações.

Continua após a publicidade

É claro, o acesso ao Whatsapp clonado também é uma maneira de encontrar informações para entrar na conta bancária da vítima, mesmo que não ocorra a extorsão pelo aplicativo.

Assim, o golpe ganha novas modalidades, e se torna ainda mais perigoso, por conta das diferentes possibilidades de fraude em uma mesma clonagem. 

2. Golpes no PIX sobre o falso funcionário do banco

Entre os principais golpes no Pix que estão acontecendo, é importante mencionar o golpe do falso funcionário do banco.

Essa abordagem também é popular, e já ocorre em outras plataformas, como redes sociais, e-mail e até mesmo por mensagens de texto no celular. Agora os criminosos encontraram uma nova argumentação para realizar infrações: abordar o cliente sob a alegação da necessidade de cadastrar (ou recadastrar) a chave PIX.

Como a maioria dos brasileiros já aprendeu, o usuário só pode receber transferências no PIX por meio do cadastro de uma chave de acesso na conta em que deseja movimentar dinheiro.

Continua após a publicidade

Nesse caso, existem quatro tipos de chave disponíveis:

  • CPF ou CNPJ;
  • número do celular;
  • e-mail;
  • chave aleatória.

Sem esse cadastro, não é possível acessar a ferramenta, de modo que todo usuário que deseja utilizar o método precisa registrar ao menos um dado.

A partir dessa necessidade, criminosos digitais desenvolveram novos tipos de golpes no Pix, se passando por falsos funcionários de banco para realizar o cadastro do titular no sistema.

É possível alegar diversas situações, como queda no sistema, confirmação da chave ou falha na autenticação.

Por meio de perfil e informações falsas, os transgressores podem encaminhar uma mensagem maliciosa ou um link suspeito, levando o cliente para um site falso e a partir dele, realizar o roubo dos dados.

Nesse caso, o titular pode ter suas informações pessoais roubadas, ou mesmo estar autorizando uma transferência da qual não tem conhecimento. Links suspeitos também servem para realizar a clonagem do número de celular, por exemplo, levando a outros golpes no Pix.

Continua após a publicidade

Geralmente, o falso funcionário utiliza mais de uma instituição bancária popular, com mais chances da vítima ter uma conta e acreditar no procedimento.

3. Falsa conta do Whatsapp que pede PIX emergencial

Entre os principais golpes no Pix, o uso de falsa conta do Whatsapp também é uma das abordagens mais utilizadas.

Isso porque ela pode ocorrer em diferentes situações, de modo que a vítima precisa de atenção redobrada para não cair no golpe.

Continua após a publicidade

A princípio, os criminosos podem clonar o número de telefone, e, com acesso à agenda de contatos da vítima, entram em contato pedindo dinheiro para conhecidos.

Inclusive, essa fraude também é popular, e usada há muitos anos. Agora, os golpes no Pix a tornaram ainda mais comum e fácil de ser aplicada, pois a transferência ocorre em segundos.

Enquanto isso, os transgressores também podem criar uma conta falsa no Whatsapp com o nome e a foto da vítima, ou de conhecidos.

Dessa forma, também entram em contato com pessoas próximas, podendo alegar a troca de número ou um problema como assalto, o que levou à troca de chip. Com isso, surge o gancho para solicitar um Pix para a vítima, se passando por seu familiar, amigo ou conhecido.

Nesse caso, a falsa conta do Whatsapp é uma fraude simples de ser realizada, mas que pode trazer diversos prejuízos para todos os envolvidos.

Continua após a publicidade

4. Bug no PIX

Além disso, existem alguns golpes no Pix que utilizam o próprio sistema para prejudicar e roubar a vítima. Por exemplo, o sistema costuma passar por algumas atualizações, ou períodos de instabilidade, o que leva a uma falha nos serviços.

Geralmente, essas situações são pontuais, e informadas pela instituição financeira que apresenta instabilidade.

No entanto, criminosos se aproveitam dessa ocasião para evidenciar um possível bug, ou seja, uma falha de execução no sistema, divulgando notícias falsas sobre o evento.

Assim, se divulga mensagens e vídeos por outros canais digitais, afirmando que o bug pode trazer vantagens, como dobrar o valor transferido para determinado banco ou chaves aleatórias.

Continua após a publicidade

Caso a vítima acredite na notícia, ela pode estar realizando o envio de dinheiro para uma conta fraudulenta, acreditando que a falha no sistema irá beneficiá-la.

Esse é um dos golpes no Pix que estão se tornando mais comuns, além de serem problemáticos, pois a vítima envia dinheiro por espontânea vontade, o que torna o estorno mais difícil de ser feito.

Além disso, ele também utiliza outras plataformas, como as redes sociais, aumentando o alcance das notícias falsas e levando mais vítimas a acreditarem no bug.

Nesse caso, essa é uma das fraudes que ocorrem com a ajuda de outras redes, potencializando o golpe.

5.  Golpes no PIX com QR Code adulterado

Por fim, um dos principais golpes no Pix da atualidade são os QR Code adulterados.

Essa fraude utiliza a tecnologia para roubar dados e encaminhar as transferências para outras contas, em vez das de destino.

Além do envio manual, feito pelo usuário digitando a chave no aplicativo em questão, existe a possibilidade de transferir dinheiro por QR Code.

Continua após a publicidade

Nesse caso, a instituição ou mesmo o usuário pessoa física disponibiliza um código bidimensional, que fornece os dados de transferência com mais facilidade.

Empresas e estabelecimentos também adotaram essa forma de pagamento, que permite o envio do dinheiro com mais praticidade e acessibilidade.

No entanto, pessoas que fazem golpes no Pix se aproveitam desse recurso para fornecer um QR Code adulterado.

Dessa forma, a leitura do código fornece dados diferentes do destino original, fazendo com que o recebedor da transferência seja um transgressor.

Esse golpe está acontecendo, principalmente, na internet, em sites de compras que não são muito confiáveis.

Além disso, diversos endereços buscam copiar grandes marcas, para dar a falsa impressão de confiabilidade e, com isso, induzir a vítima a fazer o Pix.

Continua após a publicidade

Esse golpe também pode ocorrer com chaves aleatórias, que utilizam números, letras e símbolos sem uma ordem específica, facilitando a adulteração dos dados.

Como se proteger de golpes no PIX?

Depois de conhecer mais sobre os principais golpes no Pix, é mais fácil entender como se proteger e quais medidas podem ser utilizadas para evitar essas fraudes.

Bancos nunca entram em contato por canais pessoais ou solicitam dados por email e SMS

A princípio, é fundamental que o usuário desconfie de qualquer informação recebida por e-mail e números desconhecidos, especialmente alegando ser da instituição financeira na qual possui conta.

Assim, se um número ou endereço de e-mail enviar links para correção de chaves Pix, por exemplo, evite clicar e denuncie a conta.

Continua após a publicidade

Links de pagamento devem ter certificados de segurança e correspoderem com a empresa recebedora

Além disso, ao receber um link de pagamento, verifique se a plataforma utilizada é confiável e autêntica. Veja se possui certificados de segurança e se o endereço condiz com a empresa na qual irá realizar a transferência.

A conferência dos dados antes de enviar o PIX é essencial

Durante o procedimento do PIX, procure prestar atenção nos dados informados na tela, como conta, nome do recebedor e outros dados. Geralmente, pagamentos para empresas ocorrem em contas jurídicas, com todas as discriminações.

Por isso, desconfie ao ver informações como CPF, contas de pessoas físicas e titulares desconhecidos. Isso é um dos indícios de golpes no Pix.

A comunicação com conhecidos que estão solicitando PIX pode evitar prejuízos

Ao receber mensagens de conhecidos ou amigos pedindo por uma transferência em contextos suspeitos, procure confirmar a ocorrência.

Envie uma mensagem por outra plataforma, faça contato telefônico ou mesmo acione o usuário pessoalmente, informando e confirmando a necessidade do envio.

Continua após a publicidade

Esses pequenos fatores podem fazer a diferença na hora de evitar cair em fraudes financeiras, além de aumentar a segurança ao utilizar o sistema de pagamento no dia a dia.

Caí em um golpe no Pix, e agora?

Caso você tenha identificado um dos golpes no Pix após realizar uma transferência, existem algumas medidas que podem ser tomadas.

O primeiro passo é notificar a sua instituição financeira, pois cada banco possui uma série de processos diferentes para lidar com essas ocorrências.

Dessa forma, será possível receber mais orientações sobre como proceder.

Algumas instituições podem solicitar o boletim de ocorrências para seguir com as próximas etapas, de modo que é recomendável que o usuário providencie esse documento o quanto antes.

Continua após a publicidade

Vale lembrar que a Agência Brasil também recomendou essa atitude nos alertas que divulgou para ajudar a diminuir os golpes no Pix.

Com um boletim de ocorrências, será mais fácil conseguir possíveis estornos, ou mesmo localizar os criminosos que aplicam a fraude.

Se for possível, os bancos entrarão em contato com a instituição recebedora, notificando a ocorrência e podendo solicitar o bloqueio do valor.

No entanto, reforçamos que muitos dos golpes no Pix ocorrem por desatenção da vítima, que autoriza a transação com sua senha.

Continua após a publicidade

Uma vez que o Pix é automático e ocorre em questão de segundos, é difícil realizar o bloqueio, de modo que o prejuízo pode não ter ressarcimento. Ainda que a notificação ao banco possa levantar uma análise, dificilmente o valor será estornado. 

Enquanto isso, o boletim de ocorrência pode oferecer garantias judiciais, mas também não influencia no retorno do dinheiro. Por isso, é fundamental ter atenção quanto a essas e outras situações suspeitas, e verificar os dados mais de uma vez antes de autorizar o envio.

Assim, as chances de cair em golpes no Pix diminuem, reduzindo as dores de cabeça futuras e os prejuízos financeiros que essas fraudes podem causar.

Continua após a publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.