Penúltima reunião do Copom se inicia hoje: expectativa é que a Selic se mantenha em 2% ao ano até o final de 2020

Nesta terça-feira, 27, tem início, em Brasília, a penúltima reunião do Copom. Comitê decidirá se haverá alterações na taxa Selic, hoje em 2% ao ano.

LilianCH
Lilian Calmon

Nesta terça-feira, 27, tem início, em Brasília, a penúltima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) para definição da taxa básica de juros, a Selic. Na próxima quarta-feira, 28, no final do dia, será anunciado o novo valor.

A expectativa é que a Selic se mantenha em 2% ao ano até o final de 2020, de acordo com pesquisa mais recente do BC ao mercado financeiro. A última reunião do Copom está marcada para os dias 8 e 9 de dezembro. 

Continua após a publicidade

Com informações da Agência Brasil.

Penúltima reunião do Copom se inicia hoje: entenda como ela é organizada

Realizada a cada 45 dias, a reunião do Copom ocorre em dois dias seguidos. No primeiro, são feitas apresentações técnicas sobre a evolução e as perspectivas para a economia brasileira e mundial e o comportamento do mercado financeiro. Já no segundo dia, os membros do Copom, composto pela diretoria do BC, analisam as possibilidades e definem a Selic.

A taxa Selic é a taxa média cobrada nas negociações de títulos emitidos pelo Tesouro Nacional e serve de referência para os outros juros da economia. Todos os dias, o BC compra e vende títulos públicos federais para mantê-la próxima ao valor definido na reunião do Copom.

Meta de inflação para 2021 é 3,75%

Em 2020, a meta de inflação, que foi definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), é 4%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Para 2021, a meta é 3,75%, também com intervalo de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo.

Segundo instituições financeiras consultadas pelo BC, a inflação projetada para 2020 é maior que o piso da meta. Já a estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é 2,99%, passando para 3,10% em 2021.

Selic funciona como ferramenta para controle do aumento dos preços

A Selic é a principal ferramenta do governo para o controle da inflação, que é o aumento dos preços dos bens e serviços. 

De maneira resumida, a redução da Selic tende a diminuir os custos de crédito, incentivando a produção e o consumo. Já o seu aumento reprime a demanda aquecida, porque juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Quer continuar acompanhando as novidades sobre a penúltima reunião do Copom? Então, assine a newsletter do iDinheiro.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.