Notícias

Quer pagar menos juros no seu imóvel? Aprenda como trocar seu financiamento e economizar!

Ariane Lopes
Pessoa segurando cofrinho e miniatura de casa simbolizando o tema Pagar menos juros no financiamento imobiliário

A nova regra, que passa a valer em abril, possibilita que pessoas que não tiveram seu crédito imobiliário aprovado pelas regras do SFH, tenham uma segunda chance, reavaliando os critérios e um possível enquadramento na atual conjuntura.

Artigo originalmente publicado em blog.mobills.com.br. Conteúdos e comentários foram integralmente mantidos.

Quer pagar menos juros no seu imóvel? Aprenda como trocar seu financiamento e economizar!

As expectativas dos especialistas é que depois de um 2019 de recuperação do setor imobiliário, em 2020 haja um aquecimento do ramo.

Os juros baixos e as perspectivas um pouco melhores para o crescimento econômico são os dois principais fatores que sustentam essa tese.

Continua após a publicidade:

Neste cenário, espera-se um impulsionamento do crédito imobiliário tanto pelas novas regras para o setor como pelo lançamento de diferentes modalidades de financiamento.

Entre as novidades, está um novo tipo de portabilidade que garante ao cliente a possibilidade de mudar do SFI (Sistema de Financiamento Imobiliário), no qual as taxas de juros são livremente definidas pelos bancos, para o SFH (Sistema Financeiro de Habitação), que possui taxas menores.

Continua após a publicidade

Melhores condições

Essa nova possibilidade de portabilidade do crédito imobiliário é benéfica para o consumidor de pelo menos duas formas:

Uma pela efetiva portabilidade, possibilitando melhores condições, e outra por fornecer mais um elemento para o interessado negociar com seu banco de origem condições diferenciadas.

Recentemente, outros produtos como o financiamento atrelado ao IPCA e o com taxa fixa, também se apresentam como boas opções para quem deseja fazer a portabilidade de seus créditos imobiliários, uma vez que estão disponíveis para novos contratos e para aqueles que passarem pela portabilidade.


Novo financiamento habitacional da CAIXA fixa taxa de juros entre 8% e 9,75%


Como pedir a portabilidade e pagar menos juros?

Existem alguns requisitos e uma sequência para o pedido da portabilidade, veja:

  1. Estar quite com o financiamento, ou seja, não pode haver parcelas em atraso.
  2. Estar de posse de todas as informação do seu financiamento atual, como taxa de juros nominais e custo efetivo total (CET).
  3. Comparar as taxas e, principalmente, o CET, já que os juros nominais podem ser mais baratos em determinada instituição financeira, mas no final das contas o valor total a ser pago seja bem mais alto.
  4. Conhecer as outras opções no próprio banco e nos demais.
  5. Fazer simulações levando em conta o momento da contratação do crédito imobiliário e o prazo do contrato.
  6. Simular a aprovação de crédito em outro banco.
  7. Caso seja aprovado, há a possibilidade de transferir. Para efetivar a mudança, deve-se pedir o saldo atualizado ao banco de origem e avisá-lo que pretende fazer a portabilidade do crédito.
  8. O banco de origem se comunica com o que receberá o crédito e finalizam o processo entre eles.

Direitos do contratante perante o banco que detém o crédito imobiliário

Pode acontecer de o banco tentar dificultar o processo acima descrito, que tem como intuito ser simples e rápido.

Continua após a publicidade

Então, trouxemos algumas informações adicionais, saiba quais são os seus direitos:

  • Direito a acessar de forma contínua o DDC (Documento Descritivo de Crédito), com todas as informações do crédito contratado, através dos canais de atendimento eletrônicos e presenciais.
  • O DDC deve ser providenciado em até 1 dia útil, quando solicitado em outra forma de atendimento que não as citadas acima.
  • O Banco Central proíbe que um eventual custo causado pela portabilidade seja repassado ao devedor.

Banco digital: saiba qual o melhor dentre as diversas opções disponíveis no mercado!


Crescimento do crédito imobiliário em 2019

O crescimento do crédito imobiliário em 2019 foi de 6%.

O grande responsável por este resultado é o SFH que apresentou um aumento de 8%, enquanto que o SFI teve uma retração de 9,9%.

Outro fator que também contribuiu foram as sucessivas quedas da Selic, que atingiu sua mínima histórica de 4,25%.

De todo modo, as perspectivas são boas, uma vez que em 2019 o PIB da Construção Civil fechou com um crescimento de 2%.

Para 2020, espera-se que esse percentual seja de 3%, de acordo com o SindusCon-SP.

Como funciona a nova regra de portabilidade?

A nova regra, que passa a valer em abril, possibilita que pessoas que não tiveram seu crédito imobiliário aprovado pelas regras do SFH, tenham uma segunda chance, reavaliando os critérios e um possível enquadramento na atual conjuntura.

Continua após a publicidade

Algumas regras do SFH sofreram mudanças.

Por exemplo, em 2018, o valor máximo do imóvel financiado nesta modalidade era de R$ 1 milhão.

Atualmente, este limite subiu para R$ 1,5 milhão.

Neste caso, pessoas que tiveram seus financiamentos negados anteriormente pelo SFH, podem ser aceitos agora.

Vantagens do SFH

O SFH utiliza valores da Poupança e FGTS para financiar os imóveis, o que acaba diminuindo o custo.

Além de ter uma taxa média de juros de 7,2% ao ano, contra 8% no SFI, em 2019.

P.s.: Gostou da notícia sobre como pagar menos juros no imóvel com esta nova modalidade de portabilidade? Então, compartilhe com seus amigos e familiares que possam se interessar pelo assunto.

A sua opinião é muito importante para nós! Sendo assim, sugira novos temas, deixe seu comentário.


APRENDA MAIS:

Como economizar dinheiro a partir de hoje: 13 dicas fundamentais (Com Infográfico!)


Publicidade

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *