Notícias

Número de freelancers cresce com desemprego causado pela pandemia

Lucas Pavanelli
Lucas Pavanelli
mulher com notebook, representando numero freelancers cresce

O número de freelancers cresce no Brasil com o desemprego acima dos 13% no país. Essa foi a alternativa encontrada por um grande número de trabalhadores em meio à pandemia de covid-19.

O número de freelancers cresce no Brasil com o desemprego acima dos 13% no país. Essa foi a alternativa encontrada por um grande número de trabalhadores em meio à pandemia do Covid-19. 

Uma pesquisa feita pela plataforma Workana, que conecta profissionais freelancers a empresas, mostra que 20,4% dos usuários afirmaram que estão trabalhando nesse modelo por “falta de emprego”. 

Continua após a publicidade

O levantamento foi feito com 2.810 profissionais da base de freelancers da plataforma. Quatro em cada 10 se definem como freelancers e 19,7% tem um outro trabalho e fazem “freelas” no tempo livre. 

Número de freelancers cresce 32% no Brasil

A Workana, que tem atuação em toda a América Latina, tem 3,2 milhões de cadastrados. De acordo com a plataforma, o número de freelancers cadastrados vem aumentando desde março, quando os efeitos da pandemia começaram a ser sentidos na região. 

Segundo a plataforma, em janeiro, a média de novos registros mensais era de cerca de 70 mil. Em abril, este número saltou para 100 mil. Em números gerais, aumentou em 32% a base de freelancers brasileiros e em 42%, levando em conta toda a região latino-americana.  

De acordo com o country manager da Workana no Brasil, Daniel Schwebel, a pandemia impactou as empresas de uma hora para outra e acabou impactando diretamente os próprios freelancers. 

“Quase 55% dos profissionais entrevistados no levantamento disseram que tiveram projetos cancelados”, afirma. 

Ainda de acordo com Schwebel, o que amenizou esse impacto para os trabalhadores autônomos foi a necessidade de as próprias empresas se reorganizarem e passarem a atuar no ambiente online. 

“Dos 67,8% donos de negócios que afirmaram precisar se adequar para continuar a vender na quarentena, 60% fizeram isso contando com a ajuda de freelancers”, conta.

Confira as áreas que tiveram aumento de demanda entre os freelancers

De acordo com a Workana, 45% dos freelancers entrevistados afirmaram ter tido algum projeto contratado durante a pandemia. 

Confira as áreas que mais recrutaram: 

  • Tradução e conteúdos;
  • Engenharia e manufatura; 
  • Finanças e administração;
  • TI e administração

Continuar ou não como freelancer?

Dois em cada três freelancers entrevistados estão otimistas com a possibilidade de aumento na demanda de projetos. Outros 23,9% acreditam que a oferta continuará semelhante e 8,4% acham que a quantidade de projetos deve diminuir. 

Ainda de acordo com a pesquisa, a perspectiva dos freelancers com relação ao futuro como autônomos é positiva. Metade afirmou que não gostaria de voltar a trabalhar em empresas. Dentre os principais motivos alegados estão a possibilidade em trabalhar por projetos específicos (27%) e de forma remota (25%).  

No entanto, outros 45% avaliam voltar a trabalhar em uma empresa, seja por estarem desempregados ou por necessitarem de uma renda extra. 

Esta matéria foi útil? Então assine a newsletter do iDinheiro e receba notícias sobre tudo o que importa para o seu dinheiro em tempo real no seu e-mail.

Publicidade

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *