Novo site para consultar o auxílio emergencial foi liberado pela Dataprev. Saiba como fazer a consulta!

 

Em tese, realizar a consulta do auxílio emergencial agora ficou bem mais fácil, devido ao lançamento do portal Consulta Auxílio.

Continua após a publicidade:

O site foi liberado no começo desta semana pela Dataprev em parceria com o Ministério da Cidadania.

Vale ressaltar que ele serve especificamente para que o cidadão que já fez o requerimento do benefício possa verificar o status do processo de concessão e a disponibilidade dos recursos.

Continua após a publicidade

Sendo assim, a ferramenta não substitui as demais plataformas disponíveis, uma vez que os processos de requerimento e gestão do auxílio devem ser feitos através do sites ou apps Caixa Auxílio Emergencial e Caixa Tem.


Aplicativos oficiais do auxílio emergencial: baixe os apps corretos e evite cair em golpes!


De todo modo, o portal é uma excelente alternativa para que o cidadão possa consultar a concessão e o processo de liberação do benefício de maneira mais simples e rápida.

Com a liberação da plataforma, a expectativa é que diminua a sobrecarga sobre os aplicativos Caixa Auxílio Emergencial/Caixa Tem e, consequentemente, a lentidão para consulta, o que tem irritado grande parte dos beneficiários.

Segundo a Dataprev, apesar dos contratempos, já foram realizados 97,7 milhões de cadastros.

Desse montante, 50,5 milhões tiveram o auxílio concedido, 32,8 milhões foram considerados inelegíveis e outros 13,7 milhões dependem de correções nos dados cadastrais.

Continua após a publicidade

Como utilizar o portal Consulta Auxílio Emergencial

  • Acesse o site do Consulta Auxílio Emergencial;
  • Feito isso, preencha os mesmos dados informados no cadastro do auxílio emergencial;
  • Portanto, informe seu CPF, nome completo, nome da mãe e data de nascimento.
  • Preencheu os dados corretos? Então, lembre-se de marcar o reCAPTCHA. Depois, basta clicar em “Enviar”. Pronto!
  • Agora, é só visualizar as datas e o status do processo na coluna à esquerda.

Sobre o auxílio emergencial

O auxílio emergencial consiste em um benefício (pago pelo Governo Federal) que será concedido – inicialmente por 3 meses – aos brasileiros mais vulneráveis, visando amenizar a crise causada pela pandemia do novo coronavírus.

Links para inscrição

Os trabalhadores que não tiverem acesso à internet também poderão fazer o cadastro nas agências da Caixa ou nas casas lotéricas.

Além disso, a Caixa disponibilizou o telefone 111, para tirar as dúvidas dos trabalhadores sobre o auxílio emergencial.

Contudo, não será possível se inscrever pelo telefone, apenas tirar dúvidas.

Obs.: Aquelas pessoas que já recebem o Bolsa Família, ou que estão inscritos no Cadastro Único, não precisam se inscrever pelo aplicativo.

Continua após a publicidade

Quais são os requisitos para receber o auxílio emergencial?

O trabalhador informal que desejar receber o benefício deverá cumprir todos os requisitos a seguir:

  1. Ser maior de 18 anos;
  2. Não ter emprego formal (Carteira assinada ou contrato de trabalho);
  3. Não receber benefício previdenciário (aposentadoria) ou assistencial (Benefício de Prestação Continuada), seguro-desemprego ou programa de transferência de renda federal, exceto o Bolsa-família.
  4. Ter renda por pessoa de até meio salario mínimo (R$ 522,50) ou renda total do grupo familiar (pessoas que moram na mesma casa) de até 3 salários mínimos (R$ 3.135).
  5. Não ter recebido, no ano de 2018, rendimentos tributáveis acima de R$ 28.559,70, ou seja, não tenha tido obrigação de preencher a Declaração de Imposto de Renda 2019.
  6. Exercer atividade na condição de: MEI ou contribuinte individual ou segurado facultativo do INSS ou trabalhador informal cadastrado no CadÚnico do governo federal até o último dia 20 de março.

Se o trabalhador informal não possui o CadÚnico, ainda poderá, por meio de autodeclaração, pleitear o auxílio emergencial.

Obs.: Quem tiver contrato de trabalho intermitente inativo (como garçons, atendentes e outros profissionais que atuam e recebem conforme a demanda), ou seja, se estiver sem remuneração, também poderá receber.

Publicidade