De acordo com a Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs), a indústria de cartões decidiu elevar o pagamento mínimo de aproximação de R$ 50 para R$ 100.

Em nota oficial divulgada à imprensa, a associação diz que o novo limite está acompanhando novas tendências globais e principalmente, o comportamento do mercado em fazer maior utilização deste método durante a pandemia, com o objetivo de evitar o contato físico.

Continua após a publicidade


Somente no ano passado, a tecnologia NFC (Near Field Communication) foi responsável pela transação de R$ 6 bilhões.

Segundo uma pesquisa realizada em junho pelo instituto Datafolha, o resultado apresentado foi que 18% dos usuários com a tecnologia de pagamentos por aproximação em seus cartões de crédito passaram a utilizar essa opção durante o período de pandemia provocado pelo novo coronavírus. 

Isso acabou representando um aumento significativo de 6% em relação ao mesmo período do ano anterior. 

Pagamento por aproximação – Como funciona?

O pagamento por aproximação utiliza a tecnologia NFC como parâmetro principal. Desta maneira, um pagamento só pode ser efetuado se ambos os dispositivos estiverem próximos uns dos outros.

Através desta metodologia, é possível pagar suas compras através de cartão de crédito, celular e até mesmo relógios que contenham essa facilidade. 

Anteriormente, para que você fizesse uma transação sem a necessidade de digitar a senha, o valor máximo de compra era o de R$ 50.

Com essa nova medida que deve ser adotada em breve pela Abecs, o limite passa a dobrar, facilitando assim as transações de compra e a segurança das pessoas no período de isolamento social.

Quer continuar acompanhando todas as novidades a respeito de pagamento por aproximação? Então, não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro.