Entenda como funcionarão as transferências no Whatsapp

As transferências pelo Whatsapp ainda não têm data para disponibilização. Apesar de tecnicamente segura, é preciso tomar cuidado com golpes sociais na plataforma.

Heloisa Vasconcelos
Heloísa Vasconcelos

No final de março, o Whatsapp conseguiu, enfim, autorização do Banco Central para realizar transferências financeiras. O aval veio após o aplicativo tentar implementar pagamentos em junho do ano passado e ter se deparado com uma recusa da autoridade financeira.

O Banco Central concedeu autorização para que o aplicativo de mensagens atue como “iniciador de pagamentos”, uma categoria  nova que possibilita que empresas não-financeiras possam realizar transações utilizando bandeiras de cartão como intermédio.

Continua após a publicidade

O Whatsapp ainda não fez um anúncio oficial da liberação de transferências bancárias, mas a solução já aparece no site da empresa.

Todo o procedimento será realizado mediante aprovação de PIN ou biometria, então, é tecnicamente seguro. O principal cuidado que os usuários devem ter com a nova modalidade de pagamentos é relacionado aos golpes sociais, um dos tipos de fraude mais comuns no Brasil.

Continua após a publicidade

Veja algumas dúvidas sobre a nova função.

Como funcionarão as transferências no Whatsapp?

Com a liberação do Banco Central, os usuários do aplicativo de conversas poderão enviar dinheiro para amigos e familiares e realizar pagamentos para empresas com a mesma facilidade que enviariam um arquivo como foto ou vídeo.

O Whatsapp, contudo, possui autorização para operar apenas como “iniciador de pagamentos”. Ele servirá apenas como um canal para que ocorra a transação financeira, não retendo nenhum tipo de fundo e necessitando de outra instituição financeira para realizar o processamento.

O recurso de pagamentos no WhatsApp é oferecido pelo Facebook Pay e processado pela Cielo no Brasil. Foram autorizados dois arranjos de pagamentos, pelas bandeiras de cartões Visa e Mastercard.  

“O iniciador de pagamentos é um novo tipo de instituição regulada pelo Banco Central que poderá iniciar uma transação de transferência de recursos de uma conta que ele não controla para outra conta qualquer. O e-commerce poderá, mediante autorização, buscar dinheiro na conta do cliente para efetivar o pagamento da compra”, resume o gerente de produtos da startup de soluções para o mercado financeiro Matera, Bruno Samora.

Continua após a publicidade

Como utilizar o serviço?

Para realizar pagamentos pelo Whatsapp, o usuário deverá cadastrar no aplicativo um cartão de débito ou pré-pago Visa ou Mastercard. 

Como o Whatsapp será apenas um mediador, é necessário que o usuário tenha uma conta em banco. Ainda não há confirmação de quais instituições financeiras estão aptas a participar.  

No momento em que concedeu a autorização para o serviço, o Banco Central afirmou que a cobrança de tarifas ficará por conta do aplicativo. Quando a ferramenta foi lançada pela primeira vez, em junho, a empresa informou que não seriam cobradas taxas dos usuários, mas que haveria cobrança fixa de 3,99% por transação aos comerciantes que utilizam o aplicativo na modalidade Business.  

Também no ano passado, a empresa havia estabelecido um limite de até 20 transações por dia, sendo até R$ 1 mil por operação e R$ 5 mil por mês. 

Continua após a publicidade

Mas, desde que o Banco Central emitiu a autorização no mês passado, a empresa ainda não se posicionou sobre o assunto.

Prós e contras das transferências no Whatsapp

As transferências no Whatsapp poderão trazer maior agilidade e devem impulsionar o e-commerce por retirar parte da dificuldade para realizar pagamentos. Com a função, o usuário não precisará sequer abrir o aplicativo do banco para realizar as transações.

“Como meio dominante de uso passivo, o Whatsapp tem a possibilidade de facilitar as experiências de pagamentos e conectar um volume enorme de consumidores a diversos negócios”, destaca Bruno.

Ele pontua, porém, que a adesão pequena de bancos por enquanto pode ser um limitante. “Além disso, os comerciantes devem sempre estar atentos às taxas e entender se ainda assim será vantajoso em relação a outros meios de pagamento”, coloca.

Continua após a publicidade

Há riscos na transação?

Segundo o Whatsapp, todas os dados referentes às transações financeiras estarão protegidos por criptografia e outras camadas de segurança. Além disso, as operações precisam de PIN ou biometria para aprovação do usuário.

Para o especialista em tecnologia da Connectcom, Fabio Covolo Mazzo, o fato de o Whatsapp não reter nenhum recurso traz maior segurança para as empresas. “O risco é baixo, porque já se conta com toda a infraestrutura bancária brasileira”, destaca. 

Os usuários, contudo, devem tomar mais cuidado. Por mais que tecnicamente o sistema seja seguro, é preciso prestar atenção em tentativas de golpe.

“O usuário tem que ficar atento se aquela conta é realmente da empresa antes de fazer a transferência. O maior cuidado é com golpe social, a parte tecnológica está muito bem amarrada”, ressalta.

Bruno Samora reitera a opinião. “A transação pelo Whatsapp não deve ter um risco muito diferente de outros meios digitais de pagamentos. O usuário deve ficar atento a utilização de senhas fortes e biometria sempre que disponível no aparelho”, indica.

Quer estar atualizado sobre tudo o que acontece no universo financeiro e pode impactar diretamente o seu bolso? Então, assine a newsletter iDinheiro e ative as notificações push!

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔

One thought on “Entenda como funcionarão as transferências no Whatsapp

  1. Sônia Cristina

    Parece que vai facilita muito pra gente, estou torcendo a favor

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.