Taxa de desemprego tem novo recorde no terceiro trimestre, afetando 14,1 milhões de pessoas no país

Lilian Calmon
Lilian Calmon
pessoa com carteira de trabalho, representando taxa de desemprego tem novo recorde
A taxa de desemprego tem novo recorde, afetando 14,1 milhões de pessoas no país. O índice chegou a 14,6%, um aumento de 1,3 ponto percentual. Entenda.

No terceiro trimestre de 2020, a taxa de desemprego tem novo recorde (14,6%), afetando 14,1 milhões de pessoas no país. O índice de 14,6% corresponde a um aumento de 1,3 ponto percentual na comparação com o segundo trimestre (13,3%). Tal número é o mais alto da série histórica, iniciada em 2012. 

“Houve maior pressão sobre o mercado de trabalho no terceiro trimestre. Em abril e maio, as medidas de distanciamento social ainda influenciavam a decisão das pessoas de não procurarem trabalho. Com o relaxamento dessas medidas, começamos a perceber um maior contingente de pessoas em busca de uma ocupação”, afirmou a analista da PNAD Contínua, Adriana Beringuy.

Continua após a publicidade

Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) e foram divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira, 27.

Taxa de desemprego tem novo recorde: confira os destaques da PNAD Contínua

População ocupada tem novo recorde

A população ocupada (82,5 milhões) chegou ao patamar mais baixo da série histórica, caindo 1,1% (menos 880 mil) frente ao trimestre anterior e 12,1% (menos 11,3 milhões) em relação ao mesmo trimestre de 2019. 

Já o número da população desocupada (14,1 milhões) subiu 10,2% frente ao trimestre anterior (12,8 milhões) e subiu 12,6% (1,6 milhão de pessoas a mais) em relação ao mesmo trimestre de 2019 (12,5 milhões).

“A atividade da construção foi a que mais aumentou no período. Isso porque pedreiros ou outros trabalhadores conta própria, que tinham se afastado do mercado em função do distanciamento social, retornaram no terceiro trimestre com a reabertura das atividades e a demanda por pequenas obras, como reformas de imóveis”, disse Adriana.

População fora da força de trabalho atinge o maior nível da série

A população na força de trabalho (pessoas ocupadas e desocupadas) ficou estável frente ao trimestre anterior (96,5 milhões) e caiu 9,2% (menos 9,8 milhões de pessoas) em relação ao mesmo trimestre de 2019. 

A população fora da força de trabalho (78,6 milhões) atingiu o maior nível da série histórica, com altas de 1,0% (mais 785 mil pessoas) frente ao trimestre anterior e de 21,2% (mais 13,7 milhões de pessoas) em relação ao mesmo trimestre de 2019.

Taxa de desemprego tem novo recorde: População desalentada também é recorde da série, com 5,9 milhões

A população desalentada (pessoas que não buscaram trabalho, mas que gostariam de conseguir uma vaga e estavam disponíveis para trabalhar) é recorde da série, com 5,9 milhões. 

O número corresponde a uma alta de 3,2% (mais 183 mil pessoas) frente ao trimestre anterior e de 24,7% (mais 1,2 milhão de pessoas) em relação ao mesmo trimestre de 2019.

Quer acompanhar as notícias sobre a PNAD Contínua? Então, assine a newsletter do iDinheiro e receba tudo em tempo real.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.