Cartão de crédito é o principal vilão do superendividamento, segundo pesquisa da PROTESTE

41% dos entrevistados deixaram de pagar o cartão de crédito, o que representa um aumento de 29% a mais que no ano passado.

Escrito por Rafaela Souza

Por que confiar no iDinheiro?

Responsabilidade editorial: Nosso editores são especialistas nas áreas e isentos nas avaliações e informações. Nosso objetivo é democratizar e simplificar o acesso a produtos e serviços financeiros sem viés. Conheça nosso código editorial.

Como ganhamos dinheiro?

Podemos ser comissionados pela divulgação e cliques nos parceiros. Isso também pode influenciar como alguns produtos aparecem na página, sempre com a devida identificação. Entenda como o site ganha dinheiro.

Política de Cookies: Nosso site utiliza cookies para estatísticas gerais do site e rastreamento de comissões de forma anônima. Nenhum dado pessoal é coletado sem seu consentimento. Conheça nossa política de privacidade.


Cartão de crédito é o principal vilão do superendividamento dos brasileiros, aponta pesquisa realizada pela PROTESTE. Segundo a terceira edição da pesquisa comportamental sobre “Aspectos do Endividamento”, 74% dos entrevistados apontaram o mau uso do cartão de crédito como principal motivo para o superendividamento.

O mesmo levantamento mostra que o desemprego foi apontado como um fator de endividamento, ficando em segundo lugar com 37%. Já o cheque especial apresentou uma queda de 5% em relação à última pesquisa, com 37% em 2023.

 O estudo foi realizado na cidade de São Paulo e Rio de Janeiro, com a participação de 500 entrevistados.

Cartão é o principal vilão do superendividamento

A pesquisa também mostra os tipos de compras que são parceladas pelos consumidores atualmente:

  • 54% dos entrevistados parcelaram compras no setor de vestuário;
  • 50% compras de supermercado;
  • 45% compras de eletrônicos.

Outro ponto que chama a atenção é que praticamente metade dos entrevistados deixou de pagar ao menos uma conta no último ano. Dentre essas pessoas, 41% deixaram de pagar o cartão de crédito, o que representa um aumento de 29% a mais que no ano passado. Outros 32% deixaram de pagar a conta de internet e 30% a conta de energia.

Renegociação de dívidas

O levantamento feito pela PROTESTE também mostra que 80% dos consumidores têm pelo menos uma dívida em atraso. Além disso, essas pessoas relataram que estão sendo ainda mais cobrados que o ano anterior.

O estudo revela, ainda, que 38% dos entrevistados já precisaram e conseguiram renegociar uma dívida. No entanto, 51% desses consumidores acharam as propostas de renegociação desvantajosas, por causa dos juros mais altos (90%) e taxas administrativas (18%).

Quer continuar acompanhando as notícias sobre superendividamento por cartão de crédito? Então, não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro e ativar as notificações push. Se inscreva, também, no nosso canal do Telegram para receber todas as novidades.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Participe das comunidades do iDinheiro no Whatsapp