Valor do salário mínimo 2021 é definido em R$ 1.100

O salário mínimo 2021 foi publicado no Diário Oficial da União, mas ainda pode sofrer ajustes. Por enquanto, não há ganho real. Saiba mais.

Fabiola Thibes
Fabíola Thibes

O governo federal publicou nesta quinta-feira, 31 a Medida Provisória (MP) que definiu o salário mínimo 2021. O valor ficou em R$ 1.100, conforme a publicação no Diário Oficial da União.

Na última quarta-feira, 30, o presidente Jair Bolsonaro anunciou a quantia. O novo montante vale a partir de amanhã, 1º de janeiro de 2021.

Continua após a publicidade

O índice de reajuste ficou acima do esperado. A previsão do governo era de que o salário mínimo em 2021 ficasse em R$ 1.088. Portanto, a quantia foi R$ 12 maior do que a perspectiva.

Reajuste do salário mínimo 2021

O salário mínimo pago em 2020 é de R$ 1.045. O novo valor foi definido a partir da previsão de alta do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Assim, o reajuste foi de 5,22%.

Continua após a publicidade

Apesar do percentual indicar que pode haver um ganho real, ele não acontece. A prévia da inflação fechou 2020 em 4,23%.

No entanto, como a correção foi feita pelo INPC, o não há aumento real. Há apenas o reajuste de acordo com a inflação.

O valor acima do previsto foi definido devido ao crescimento da inflação nos últimos meses de 2020. Com isso, o INPC sofreu um aumento na previsão.

A referência adotada para o indicador foi o valor percentual até novembro, que já foi consolidado, e a última estimativa do boletim Focus, do Banco Central.

Continua após a publicidade

Caso o INPC fique acima de 5,22%, o salário mínimo pode ser reajustado mais uma vez, já nos primeiros meses de 2021.

Evolução ao longo dos anos

O valor pago aos trabalhadores cresceu de forma significativa desde os anos 2000. O G1 fez uma análise de acordo com o período, salário mínimo e aumento real em porcentagem. Veja.

  • 2004: R$ 260;
  • 2005: R$ 300, com aumento real de 8,23%;
  • 2006: R$ 350, com aumento real de 13,04%;
  • 2007: R$ 380, com aumento real de 5,1%;
  • 2008: R$ 415, com aumento real de 4,03%;
  • 2009: R$ 465, com aumento real de 5,79%;
  • 2010: R$ 510, com aumento real de 6,02%;
  • 2011: R$ 545, com aumento real de 0,37%;
  • 2012: R$ 622, com aumento real de 7,59%;
  • 2013: R$ 678, com aumento real de 2,64%;
  • 2014: R$ 724, com aumento real de 1,16%;
  • 2015: R$ 788, com aumento real de 2,46%;
  • 2016: R$ 880, com aumento real de 0,36%;
  • 2017: R$ 937, com rendimento negativo de 0,1%;
  • 2018: R$ 054, com rendimento negativo de 0,25%;
  • 2019: R$ 998, com aumento real de 1,14%;
  • 2020: R$ 1.045, sem aumento real;
  • 2021: R$ 1.100, sem aumento real.

A MP do salário mínimo 2021 já entra em vigor devido à publicação no Diário Oficial da União. No entanto, o Congresso ainda irá votá-la para que se torne lei.

Impacto do salário mínimo 2021 para o governo federal

O Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) estima que 49 milhões de trabalhadores sejam remunerados de acordo com o salário mínimo.

Continua após a publicidade

Como resultado do reajuste, o governo federal também gasta mais devido ao pagamento dos benefícios previdenciários.

Para 2021, a despesa extra do salário mínimo ficar acima de R$ 1.088 deverá ser de R$ 4 bilhões. Apesar disso, o secretário do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, destaca que o teto de gastos está sendo respeitado.

Assim, a partir de amanhã, todos os trabalhadores regidos pelo salário mínimo 2021 já deverão receber R$ 1.100.

Quer continuar acompanhando as informações do salário mínimo? Então, assine a newsletter do iDinheiro e ative as notificações push para se atualizar.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.