Reunião no Copom é iniciada para definir juros básicos

Esta reunião no Copom é a última do ano e pauta é a definição da taxa de juros básica (Selic). Resultado será anunciado amanhã, 9, no fim do dia.

Isabella Proença
Isabella Proença

Nesta terça-feira, 8, ocorre a primeira parte da Reunião no Comitê de Política Monetária (Copom) para a definição da taxa de juros básicos (Selic).

O Banco Central anunciará o resultado na próxima quarta-feira, 9, no fim do dia, após a segunda etapa da reunião.

Continua após a publicidade

Embora a inflação esteja em alta nos últimos meses, as instituições financeiras acreditam que a taxa de 2% ao ano será mantida.

Essa projeção está no boletim Focus, relatório com informações sobre instituições financeiras anunciado semanalmente pelo Banco Central.

Continua após a publicidade

Reunião no Copom e a meta de inflação

O principal instrumento do Governo para controlar a inflação é a taxa Selic, definida a cada dois meses na reunião do Copom.

Ela assegura que a inflação fique dentro da meta determinada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

Para este ano, a meta está em 4%, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos. Em outras palavras, o limite inferior é 2,5% e o superior 5,5%.

Para o ano que vem, a meta é 3,75%, com o mesmo intervalo de 1,5 ponto percentual para mais ou para menos.

Continua após a publicidade

Ademais, até algumas semanas atrás, as instituições financeiras imaginavam uma inflação menor que o esperado.

Entretanto, a situação mudou com recente alta nos preços dos alimentos.

Os especialistas consultados no boletim Focus projetam agora que a inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), terminará o ano em 4,21%. Já a estimativa para o ano que vem, está em 3,34%. 

Controle da demanda

O BC atua de forma direta por meio de operações de mercado aberto, comprando e vendendo títulos públicos federais para que a taxa de juros fique próxima ao valor definido na reunião.

A taxa Selic é a referência para os demais juros da economia brasileira. É a taxa média cobrada em negociações com títulos emitidos pelo Tesouro Nacional, que são registradas todos os dias no Sistema Especial de Liquidação e de Custódia.

Continua após a publicidade

O Copom, ao conseguir manter a taxa Selic no mesmo nível, considera que as mudanças anteriores nos juros básicos foram suficientes para chegar à meta de inflação. Esse objetivo deve ser almejado pelo Banco Central.

Ao diminuir os juros básicos, se diminuem os custos do crédito e estimula a produção e o consumo.

Por fim, quando o Copom decide aumentar a taxa Selic, visa conter a demanda estimulada.

Isso, consequentemente, gera reações nos preços, pois os juros mais altos elevam o crédito e incentivam a poupança.

Esta matéria foi útil? Então, assine a newsletter do iDinheiro e se mantenha informado sobre tudo o que importa para o seu dinheiro.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.