B3 anuncia redução de taxas em renda variável a partir de fevereiro de 2021

Redução de taxas em renda variável a partir do ano que vem deve significar uma economia de R$ 250 milhões por ano aos investidores.

Karina Carneiro
Karina Carneiro

Nesta quinta-feira, 10, a B3, bolsa de valores brasileira, anunciou uma redução de taxas em renda variável para o próximo ano. 

As mudanças anunciadas terão validade a partir do dia 02 de fevereiro de 2021 e devem significar uma economia estimada em R$ 250 milhões no bolso dos investidores.

Continua após a publicidade

A medida é aplicada como forma de incentivar ainda mais pessoas físicas a realizarem aplicações na B3 e partirem para a renda variável diante da baixa taxa de juros de investimentos em renda fixa. 

Como vai funcionar a redução de taxas em renda variável?

Uma das maiores reduções de taxas em renda variável aplicadas será a extinção da tarifa de manutenção de conta.

Continua após a publicidade

Desta maneira, a taxa mensal de R$ 9,28 que todo o investidor com uma conta aberta na B3 precisa arcar, deixará de existir, trazendo uma economia anual de R$ 111,36. 

Mesmo que seja obrigatória, algumas corretoras de valores acabam não repassando esses valores aos investidores, como forma de atração de público para suas plataformas. 

Além disso, a taxa de custódia também sofreu algumas modificações. Até o momento, todas as aplicações de até R$ 300 mil eram isentas. 

Entretanto, a partir de fevereiro, a isenção só será aplicada para montantes investidos de até R$ 20 mil.

Continua após a publicidade

De acordo com a B3, a eliminação da taxa de manutenção irá acabar “compensando” a mudança na cobrança da tarifa de custódia. 

“Com o novo modelo, a tarifa de manutenção será zerada e o investidor passa a pagar R $25,00 por ano com a tarifa sobre custódia”, disseram em nota oficial. 

Mudanças nas alíquotas de day trade

As reduções de taxas em renda variável também foram aplicadas para day traders e não day traders profissionais. 

Nas operações de home broker que não se enquadrem como day trade, a alíquota cobrada do investidor pessoa física será de 0,03%, contra 0,0325% no modelo atual.

Continua após a publicidade

Além disso, a variação de cobrança conforme o volume negociado pelo dia de mercado também deixará de ser aplicada. 

Para day trades, a taxa terá uma diminuição de 0,025% para 0,023%, e um desconto adicional para quem negociar valores maiores do que R$ 1 milhão em ações;

Enquanto isso, os fundos de investimentos também terão diminuição de tarifas, indo de 0,025% para 0,023%.

Gostou do conteúdo? Então não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro e ativar as notificações do Push para se manter informado sobre tudo o que acontece no universo financeiro. 

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.