Responsabilidade Editorial

Por que confiar no iDinheiro

O iDinheiro tem o propósito de democratizar e simplificar os serviços financeiros. Nossa missão é te ajudar a fazer as melhores escolhas, a partir das mais completas informações e recomendações sobre cada serviço.

Apesar de crise hídrica, não há risco de racionamento de energia em 2021 no Brasil, diz Ministério de Energia

Mesmo com os níveis baixos nos reservatórios, de acordo com o Ministério de Minas e Energia, o Brasil não deve enfrentar racionamento de energia em 2021

Cindy Damasceno

Apesar dos indicadores sobre consumo e produção de energia elétrica este ano, de acordo com o Ministério de Minas e Energia (MME), o Brasil não deve precisar de racionamento de energia em 2021. O depoimento é do secretário de Energia Elétrica do MME, Christiano Vieira da Silva, em entrevista ao programa A Voz do Brasil. As informações são da Agência Brasil.

Assista o depoimento a seguir:

Silva aponta a bacia do Rio Paraná e seus afluentes, como o Tietê e o Paranaíba, com a mais atingida pela seca — maior dos últimos 91 anos. “Na região sudeste e centro-oeste nós temos 70% da capacidade de armazenamento do país. O nível de armazenamento dessa região se encontra em 26%. É um armazenamento baixo porque essa escassez hídrica está atingido a bacia do Rio Paraná. Esses conjuntos de rio representam 50% do armazenamento do país”, conta o secretário.

Continua após a publicidade

Esgotamento de energia pode atingir o país em novembro de 2021, prevê ONS

Em nota técnica divulgada na semana passada, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) alerta para os níveis de armazenamento dos reservatórios no Sul e no Nordeste do país. De acordo com a leitura do Operador, em novembro, os níveis de capacidade das bacias devem chegar ao limite próximo ao fim do ano.

O documento apresenta dois cenários para crise hídrica. No primeiro, as termelétricas poderiam ser acionadas para suprir a necessidade energia do país. No segundo, além da participação da produção térmica, seria necessário importar energia de países vizinhos.

Apesar da situação sensível, diz o ONS, não há previsão de racionamento de energia. “Em ambos os casos não há risco de desabastecimento elétrico, mesmo diante das piores sequências hidrológicas de todo o histórico de vazões dos últimos 91 anos.”, finaliza.

Este conteúdo foi útil? Então, assine a newsletter iDinheiro e ative as notificações push para não perder nenhuma das notícias que importam para o seu dinheiro. Se inscreva, também, no nosso canal do Telegram para receber todas as novidades.

Continua após a publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.