Responsabilidade Editorial

Por que confiar no iDinheiro

O iDinheiro tem o propósito de democratizar e simplificar os serviços financeiros. Nossa missão é te ajudar a fazer as melhores escolhas, a partir das mais completas informações e recomendações sobre cada serviço.

Saiba como proteger aplicativos de banco em dispositivos móveis

Especialista explica como proteger aplicativos de banco em casos de fraude e invasão de dispositivos móveis.

rafela
Rafaela Souza Jornalismo

Com o lançamento de serviços de pagamentos como o PIX e a modernização dos aplicativos de bancos, o uso de dispositivos móveis para a realização de transações bancárias está cada vez mais comum no país.

Segundo uma pesquisa realizada pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), só o PIX já conta com a aprovação de 85% dos brasileiros, o que indica que grande parte da população possui pelo menos um aplicativo de banco instalado no celular. Diante desse cenário, é muito importante saber como proteger esses aplicativos e evitar golpes diversos, em caso de furto ou roubo, por exemplo.

Continua após a publicidade

Pensando nisso, o iDinheiro reuniu dicas de um especialista no assunto sobre os cuidados necessários, além de explicar o que pode ser feito em caso de fraude e invasão de aparelhos após o roubo do dispositivo móvel.

Especialista aponta 5 dicas de como proteger aplicativos de banco

Segundo Caio Bretones, diretor de produtos digitais da Dimensa Tecnologia, o mobile banking e o internet banking estão ampliando cada vez mais a sua atuação em relação aos demais canais, como as agências bancárias, por exemplo.

Continua após a publicidade

O especialista também aponta que esse crescimento, atrelado à evolução da tecnologia, acabam trazendo novos riscos relacionados à aplicação de algoritmos e inteligência artificial. Além disso, esse aumento desafia os bancos e as instituições financeiras a repensarem os aspectos éticos, de segurança e de conformidade que até então eram claramente definidos.

“Nossa economia e grande parte dos modelos de negócios têm como base os dados. Este fator faz com que privacidade e segurança sejam temas de grande importância para pessoas e organizações e por isso estão no foco de regulamentações, como a Lei Geral de Proteção de Dados brasileira”, explica.

Diante disso, confira 5 dicas de como proteger aplicativos de banco em dispositivos móveis:

1. Invasão de aplicativos

Atualmente, a ação de quadrilhas que roubam celulares e conseguem invadir contas bancárias digitais deixou usuários em alerta e com receio de usar seus dispositivos nas ruas. Nesse caso, a prática de furto acontece quando os celulares são arrancados da mão da vítima, que geralmente está distraída e com o aparelho desbloqueado, o que facilita o acesso aos aplicativos instalados.

“Além disso, também podemos ver outra ‘modalidade’, o roubo ou furto do aparelho bloqueado. Nesse caso, a quadrilha varre a memória do aparelho com programas usados por hackers. Aqui, os infratores têm como objetivo roubar informações que estão offline, como documentos e dados pessoais que são usados para abrir contas em outros bancos, que não o da vítima e aplicar golpes”, destaca Bretones.

Continua após a publicidade

Para esse tipo de caso, a senha de desbloqueio dos celulares, como PIN, senha escrita, biometria e Face ID são as primeiras barreiras de segurança que os dispositivos oferecem e uma das mais importantes de proteger o usuário.

2. Tenha senhas fortes

Como as medidas de segurança vão além das barreiras de segurança citadas pelo especialista, é importante que o usuário não use a mesma senha para acessar contas diferentes. Na verdade, é necessário criar uma senha para cada site e aplicativo, composta por números, letras e símbolos, e que não tenha relação com informações pessoais, como data de nascimento e nome da mãe, por exemplo.

3. Habilite o duplo fator de autenticidade

Caio também destaca a importância de habilitar o duplo fator de autenticação em todos os aplicativos de banco. Assim, para acessar as informações do app, será necessário passar por mais de uma etapa de validação, o que dificulta o acesso de terceiros não autorizados.

4. Evite o uso de wi-fi público

O usuário também deve evitar o uso de wi-fi público. Isso porque essa prática pode fazer com que milhares de pessoas tenham acesso aos mais variados dados disponíveis no seu dispositivo.

Continua após a publicidade

5. Não compartilhe códigos de validação que chegam por SMS

Por fim, o especialista destaca que bancos e instituições financeiras nunca fazem solicitações de pagamento por telefone. Por isso, muito cuidado ao receber códigos de validação que chegam por SMS.

O que fazer após a invasão de um aplicativo de banco?

As medidas de segurança citadas pelo especialista são muito importantes para proteger os aplicativos de banco. No entanto, caso o usuário ainda sofra com a invasão de apps bancários ou tenha informações pessoais roubadas, Caio Bretones destaca as possíveis atitudes a serem tomadas pelo usuário após o ataque:

“Em caso de prejuízos, é importante entrar em contato imediatamente com a operadora ou banco responsável para checar contatos e informações vazadas que podem ser utilizadas para operações não legítimas. Além disso, é preciso apagar os dados do aparelho remotamente, assim que possível, bem como contatar as autoridades e registrar um boletim de ocorrência”, explica.

Quer continuar acompanhando as notícias como essa, sobre como proteger aplicativos de banco? Então, não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro e ativar as notificações push. Se inscreva, também, no nosso canal do Telegram para receber todas as novidades.

Continua após a publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.