Preço das frutas: banana, maçã e melancia aumentaram em dezembro

No último mês, o preço das frutas teve aumento de até 50%. Banana, maçã e melancia tiveram as maiores altas em todo o Brasil.

Isabella Proença
Isabella Proença

Nesta quarta-feira, 27, o primeiro Boletim Prohort de 2021 foi divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Documento apontou a alta no preço das frutas no último mês de 2020.

Em dezembro, os preços da banana, da maçã, da melancia tiveram um forte aumento em grande parte dos mercados.

Continua após a publicidade

O boletim ressalta que os os valores refletem, “como de costume”, o impacto das festas de fim de ano e do verão sobre o comportamento dos consumidores.

Alta no preço das frutas ebcebc

No caso da banana, o preço subiu em todos os 9 mercados consultados. A alta mais relevante foi em Belo Horizonte (37,9%), seguida por Rio de Janeiro (25%), Curitiba (23,5%), São Paulo (19,4%) e Brasília (17%).

Segundo a Conab, a demanda continuou normal para o período. Porém, a produção, sobretudo da banana prata, continuou em queda. Além disso, também houve crescimento nas exportações, principalmente para a Argentina.

A alta da melancia, por sua vez, chegou a 50% em Goiânia, 49% em Brasília, 31,9% em Recife e 30,3% em Belo Horizonte.

Também houve aumento de dois dígitos em Curitiba (23,4%), Vitória (21,9%) e São Paulo (19,8%). Só houve queda no Rio de Janeiro (3,49%). O motivo da alta foi a retração da oferta em meio a uma explosão da demanda, de acordo com a Conab.

Em relação à maçã, o preço chegou a aumentar 30,3% em Brasília, 18,2% em Goiânia, 16,1% em Belo Horizonte e 15,4% em Vitória. Os valores também cresceram em todos os mercados, principalmente em Curitiba (10%), Recife (9,4%) e Fortaleza (7,2%).

A Conab afirma que, embora a demanda tenha sido reduzida no fim do ano, “observa-se a continuidade do movimento de redução da oferta”.

Em geral, as exportações de frutas aumentaram no mês passado, de acordo com informações da Conab. O volume exportado chegou a mais de 1 milhão de toneladas em dezembro, representando em torno de cerca de 6% acima de 2019. 

Esta matéria foi útil? Então, assine a newsletter do iDinheiro e se mantenha informado sobre tudo o que importa para o seu dinheiro.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.