Novo microcrédito digital Caixa: cuidados necessários antes de contratar o empréstimo

Especialistas avaliam o novo microcrédito digital da Caixa. Programa vai emprestar até R$ 1 mil para pessoas físicas e até R$ 3 mil para MEIs.

rafela
Rafaela Souza

O Governo Federal anunciou recentemente uma nova linha de microcrédito digital em parceria com a Caixa. O SIM Digital é um programa destinado a pessoas físicas e microempreendedores individuais (MEIs) e tem como objetivo criar incentivos à formalização do trabalho e do empreendedorismo, além de estimular a inclusão financeira e o acesso ao crédito.

O programa teve início no dia 28 de março e poderá alcançar cerca de 4,5 milhões de pessoas físicas e microempreendedores individuais (MEIs). Pessoas físicas podem solicitar um empréstimo de até R$ 1 mil, com taxa de juros a partir de 1,95% ao mês e parcelamento em até 24 meses. Já os MEIs, podem solicitar um empréstimo de até R$ 3 mil, com taxa de juros a partir de 1,99% ao mês.

Continua após a publicidade

Diante disso, o iDinheiro conversou com especialistas para entender quais os riscos e cuidados necessários na hora de solicitar o novo microcrédito digital. Confira a seguir.

Entenda o programa SIM Digital

O SIM Digital foi divulgado pelo governo através de uma Medida Provisória publicada no dia 18 de março. Como destaca o coordenador do Instituto de Finanças da Fecap Ahmed Sameer El Khatib, o microcrédito foi uma solução emergencial criada para beneficiar cidadãos negativados, assim como microempreendedores individuais que normalmente têm pouco acesso ao crédito.

Continua após a publicidade

Ahmed avalia que o SIM Digital tem o intuito de oferecer crédito com condições mais favoráveis de acordo com a realidade social de quem vai solicitar o empréstimo. “Trata-se de uma solução boa, uma vez que vai beneficiar milhões de pessoas, mas que veio tarde e coincidentemente a poucos meses das eleições presidenciais.”.

O professor de Finanças e Controle Gerencial do Coppead/UFRJ Rodrigo Leite ressalta que os programas de microcrédito são muito utilizados no exterior como multiplicadores de crédito. Nesse caso, os bancos emprestam um valor para uma pessoa, e esta utiliza o valor para gerar uma nova fonte de renda.

Já no contexto brasileiro, programas como o SIM Digital são criados com o mesmo objetivo, mas Rodrigo aponta que, na prática, nem sempre é isso que acontece: “No Brasil, o microcrédito é muito utilizado como uma fonte mais barata de crédito para fazer uma reforma na casa, um conserto de um carro ou para pagar uma outra dívida, por exemplo. Dessa forma, ele nem sempre é utilizado com o motivo que foi criado.”.

Cuidados ao solicitar o novo microcrédito digital

Como qualquer linha de crédito, quem tem interesse em solicitar o novo microcrédito digital deve ficar atento a alguns cuidados importantes. Segundo o coordenador do Instituto de Finanças da Fecap, além de verificar os pré-requisitos do SIM Digital, é preciso fazer uma uma avaliação internamente.

Continua após a publicidade

“É necessário que, tanto a pessoa física quanto a MEI, avaliem se realmente precisam desse recurso, uma vez que não se trata de um auxílio emergencial, mas sim um empréstimo com incidência de juros.“, destaca o coordenador.

No caso de microempreendedores que vão solicitar o empréstimo, o professor Rodrigo Leite aponta que a avaliação deve ir além de um balanço financeiro. “Deve ser feito um planejamento para verificar se o incremento da receita durante o período do pagamento do empréstimo vai ser o suficiente para quitar o microcrédito que foi contratado.”.

Além disso, Rodrigo aponta que é necessário utilizar o empréstimo para uma das seguintes situações: pagar uma dívida que tem juros maiores, como cheque especial ou rotativo do cartão, ou utilizar na própria empresa.

“Eu não aconselharia a utilizar esse microcrédito para outras coisas como, por exemplo, fazer uma reforma na casa, porque isso é colocar um risco, especialmente nesse período de incerteza econômica.”, aponta o professor.

Continua após a publicidade

Possíveis riscos do SIM Digital

Segundo Ahmed Sameer, o microcrédito digital, como qualquer outra linha de empréstimo, apresenta alguns riscos, principalmente de aumento no número de endividados no Brasil. “Ao se endividar, o risco da empresa aumenta e, com isso, fica cada vez mais difícil e caro conseguir mais dinheiro em consequência da dívida. Portanto, é necessário avaliar caso a caso antes de contratar um novo empréstimo, ainda que com taxas tentadoras.”

Já para o professor Rodrigo, ainda não é possível fazer previsões sobre o novo microcrédito digital. “Existem pessoas que estão contratando essa dívida e que não tinham outras dívidas, o que vai aumentar o número de endividados. E existem pessoas que já estavam endividadas e que vão utilizar esse crédito para estabilizar a dívida delas. Então é muito difícil prever o comportamento.”, destaca Rodrigo.

Como solicitar o microcrédito digital?

De acordo com as informações divulgadas pelo governo, pessoas físicas podem solicitar o novo microcrédito digital através do aplicativo Caixa Tem. A contratação será feita de forma automática, com análise do pedido em até uma semana.

No caso dos microempreendedores individuais, a contratação do empréstimo pode ser feita em uma agência da Caixa, mediante a apresentação de comprovante de residência e os documentos pessoais e da empresa. Segundo a Caixa, em cerca de 45 dias, os MEIs também poderão solicitar o empréstimo através do Caixa Tem.

Quer continuar acompanhando as notícias sobre o SIM Digital? Então, não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro e ativar as notificações push. Se inscreva, também, no nosso canal do Telegram para receber todas as novidades.

Continua após a Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.