Novo auxílio emergencial será de R$ 250 em média, diz Guedes

De acordo com o ministro da economia, Paulo Guedes, a expectativa é de que o novo auxílio emergencial comece a ser pago ainda no mês de março.

Isabella Proença
Isabella Proença

O ministro da economia, Paulo Guedes, afirmou nesta segunda-feira, 8, que o valor do novo auxílio emergencial deve girar em torno de R$ 250 por pessoa

O esclarecimento foi dado em entrevista à imprensa, realizada no Palácio do Planalto depois de uma reunião com o Presidente da República, Jair Bolsonaro, sobre a compra de vacinas contra a Covid-19.

Continua após a publicidade

Com a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição 186/219, a chamada PEC emergencial, a expectativa é que o benefício comece a ser pago ainda neste mês de março. O texto viabiliza o pagamento do auxílio com créditos extraordinários, sem atravessar o teto de gastos públicos.

A PEC emergencial foi aprovada pelo Senado na última semana e deve ser analisada pela Câmara dos Deputados ainda esta semana. Caso seja aprovada, o governo terá aval para divulgar nova rodada de pagamentos do auxílio.

Segundo o Ministro da Economia, a decisão sobre a abrangência do auxílio emergencial é do Ministério da Cidadania. “Nós [Ministério da Economia] só fornecemos os parâmetros básicos”, disse Paulo Guedes.

Novo auxílio emergencial para mães chefes de família

Segundo o Ministro, o valor para mulher solteira chefe de família monoparental deve ser de R$ 375. “Se for casal, já são R$ 250”, informou.

O auxílio emergencial foi criado em abril de 2020 pelo governo Federal para atender pessoas vulneráveis atingidas pela pandemia. Ele foi pago em cinco parcelas de R$ 600 ou R$ 1.200 para mães solteiras, chefes de família monoparental.

Posteriormente, foi ampliado até 31 de dezembro em até quatro parcelas de R$ 300 ou R$ 600 cada.

Tiveram acesso ao auxílio emergencial, obedecendo a vários critérios econômicos e sociais, os seguintes grupos: 

  • Pessoas incluídas no Cadastro Único (CadÚnico);
  • Integrantes do Bolsa Família;
  • Trabalhadoras informais;
  • Contribuintes individuais do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS);
  •  Microempreendedores individuais (MEI) que pediram o benefício por meio do App da Caixa Econômica Federal ou pelas plataformas digitais.

Esta matéria foi útil? Então, assine a newsletter do iDinheiro e se mantenha informado sobre o novo auxílio emergencial.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔

14 comentários

  1. Hosanira Linhares

    Precisso muito de ser contemplada e continuar recebendo esta ajuda já vou fazer 62 anos moro com minha filha e mesinha neta de 6 anos não tenho ajuda do Governo .
    Gostaria muito de saber quais os programas do governo que tenho direito por favor..
    Obrigada

  2. Amadeu dias

    Eu acho muito importante esta alternativa, pois estou desempregado e pra mim será muito útil Deus abençoe todos vcs

  3. Etiane

    Acho bm nos pessoas q não temos empregos de ter auxílio. Pq nem tds temos condições.

  4. Continua após a publicidade

  5. Fabianofàvaro

    Como eu faço pra me cadastrar

  6. Cristina Kazmierczak

    Eu estou cem trabalho a um ano.
    Estou precisando de ajuda

  7. Fabianofàvaro

    Como eu faço pra tá recebendo o auxilio

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.