Confira 3 tipos de investimentos em 2021 para ficar de olho

Lucas Pavanelli
Lucas Pavanelli
tabela com números sobre investimentos em 2021
O ano de 2020 termina com dois fatores econômicos que você deve ficar de olho para guiar seus investimentos em 2021: a taxa de juros baixa e a inflação em alta.

O ano de 2020 termina com dois fatores econômicos que devem chamar a atenção para guiar os investimentos em 2021: a taxa de juros baixa e a inflação em alta.

De acordo com os analistas, essas características devem permanecer no ano que vem e ajudam o investidor a definir três investimentos principais para o ano novo. São eles: títulos e fundos de renda fixa atrelados à inflação, fundos de ações nacionais e internacionais e fundos imobiliários.  

Continua após a publicidade

De acordo com o boletim Focus, do Banco Central, a expectativa para o IPCA, índice que rege a inflação oficial, em 2021 é de 3,37% ao ano. Caso a projeção se confirme, este será o segundo ano em que o índice inflacionário é maior que a taxa Selic. Essa, fecha o ano em 2%. 

Quem dá a dica é o professor de finanças do Insper, Michael Viriato, ao blog De Grão em Grão, da Folha de São Paulo.

Continua após a publicidade

1. Títulos e fundos de renda fixa referenciados à inflação

Com o IPCA em alta, para obter rendimento real (ou seja, acima da inflação) o foco devem ser os títulos ou fundos atrelados à inflação. Eles vão render mais que os títulos referenciados à taxa Selic, por exemplo. 

No entanto, é mais arriscado investir nesses títulos que têm vencimento a longo prazo. Afinal, não se sabe se a tendência desses dois anos se manterá.

Caso o Banco Central decida elevar a taxa básica de juros, os títulos atrelados à inflação a longo prazo podem ser impactados. Com isso, o investidor não conseguirá capturar os ganhos com a inflação no curto prazo. 

Portanto, ao escolher, indica-se dar preferência aos títulos com vencimento menor que seis anos. A expectativa é que, nesse período, os títulos sofram pouco com eventuais aumentos na taxa de juros. 

Continua após a publicidade

Títulos privados também são bons investimentos em 2021

Caso opte pelo investimento em títulos privados, a estratégia deve ser a mesma: investir em títulos atrelados à inflação em vez da taxa Selic. 

A vantagem dos títulos privados é que eles possuem um “prêmio” que pode fazer com que seus ganhos reais dobrem. Alguns deles, por exemplo, são isentos de Imposto de Renda, o que garantem rendimentos maiores.

2. Fundos de ações nacionais e internacionais

Outro tipo de investimento que deve se considerar é o mercado de ações. No entanto, essa opção é sempre influenciada por outros fatores econômicos menos previsíveis, como o crescimento da economia e as consequências da pandemia de Covid-19, por exemplo.  

Por causa disso, é recomendável pesquisar bons fundos de ações que consigam orientá-lo e escolher bons tipos de investimentos tanto no mercado nacional como no internacional. 

Continua após a publicidade

3. Investimentos em 2021: fundos imobiliários

A terceira opção de investimento são os fundos imobiliários. Os FIIs são uma boa alternativa para proteger os investimentos dos efeitos da inflação. Isso porque os preços dos aluguéis são corrigidos pelos índices inflacionários. 

Esse tipo de fundo de investimento tem uma vantagem em relação ao investimento direto em imóveis, que é a diversificação do mercado, liquidez, isenção do IR e maior remuneração.

Quer continuar acompanhando notícias sobre investimentos? Então, assine a newsletter iDinheiro e se mantenha atualizado sobre tudo o que acontece no mercado financeiro.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.