Investimento estrangeiro no Brasil em 2020 foi o menor em duas décadas, calcula órgão da ONU; entenda como isso afeta o país

O acumulado de investimento estrangeiro no Brasil em 2020 foi o menor das últimas duas décadas. Entenda como isso impacta a economia do país.

Cindy Damasceno
Cindy Damasceno

Em 2020, o Investimento Estrangeiro Direto (IED) no Brasil foi de R$ 25 bilhões, um recuo de 62% em relação a 2019 — à época, o país recebeu R$ 65 bilhões. É o menor resultado em 20 anos. Os dados são do Monitor de Tendências de Investimentos Globais, braço da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD), e foram divulgados nesta segunda-feira, 21. 

De acordo com o Banco Mundial, a entrada de capital estrangeiro é importante para incentivar setores da economia. O resultado é uma maior geração de emprego, melhores estruturas e inovação econômica do país. 

Continua após a publicidade

Com a atualização desta segunda, o Brasil também caiu na lista de países que mais recebem investimento estrangeiro direto. Agora, a nação ocupa a 11° posição — cinco a abaixo da colocação em 2019, quando o país se encontrava na 6ª posição.

O cenário do investimento estrangeiro no Brasil em 2020

O Brasil, apesar de um dos mais afetados, não foi o único a perder investimento estrangeiro direto: ainda segundo o levantamento do UNCTAD, o fluxo IED mundial caiu de US$ 1,5 trilhão em 2019 para US$ 1 trilhão no ano passado — uma queda de aproximadamente 35%. 

A pandemia está entre as causas do declínio, principalmente durante o primeiro semestre do ano passado. Mas, no caso brasileiro, o impacto foi mais evidente. O país esteve abaixo de outras nações da América Latina e do Caribe: no mesmo período, os fluxos tiveram queda de 33% no Chile, 46% na Colômbia, e de 38% na Argentina.

Em reunião do Fórum de Investimentos Brasil 2021 (FIB), o secretário especial de Comércio Exterior e Assuntos Internacionais do Ministério da Economia, Roberto Fendt, comentou o desgaste e projetou o cenário em 2021. 

“Segundo dados do Banco Central, é possível notar que a economia brasileira iniciou 2021 com expansão e já vem apresentando recuperação dos ingressos de investimentos líquidos no primeiro trimestre, com a entrada de US$ 17,7 bilhões, representando um aumento de 40% em relação ao mesmo período do ano passado”, calcula Fendt. 

Como a redução afeta a economia

O Investimento Estrangeiro Direto é, de uma maneira mais direta, a quantidade de capital internacional que um país recebe para fomentar investimentos. O fluxo é importante para o desenvolvimento econômico local. 

Isso porque quanto mais interessante um país se torna para entrada de capital estrangeiro, mais fortalecido fica a economia. A lógica é a seguinte: quando um setor recebe investimento internacional, ele pode expandir a atuação — o que gera mais emprego e, consequentemente, fortalece a mão de obra local. 

Além disso, com a troca entre países, há um fluxo de tecnologia e a possibilidade de receber técnicas mais eficientes

Veja abaixo o investimento estrangeiro por país

Quer continuar acompanhando as notícias que impactam o seu bolso? Então, não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro e ativar as notificações push. Se inscreva, também, no nosso canal do Telegram para receber todas as novidades.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.