Inflação do aluguel acelera em maio e chega a 37,04% dos últimos 12 meses

IGP-M, conhecido como inflação do aluguel, aumentou 4,10% em maio. As informações foram divulgadas pela Fundação Getúlio Vargas.

Cindy Damasceno

Nova alta no Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M): o indicador, considerado a ‘inflação do aluguel’, registrou alta de 4,10% em maio. Em relação a maio de 2020, o IGP-M acumulou alta de 37,04%. As informações são da Fundação Getúlio Vargas (FGV), responsável por acompanhar o índice em maio, e foram divulgadas na manhã desta sexta-feira, 28. 

Utilizado no mercado imobiliário para dar o tom ao reajuste de aluguel, o IGP-M registra alta recorde desde o ano passado. Por conta disso, as movimentações para trocar a referência de cálculo para outro indicador aumentaram nos últimos meses. [Entenda os índices que regulam o aluguel]

Continua após a publicidade

O Senado Federal pode analisar o Projeto de Lei 1.806/2021, que coloca o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), como alternativa para as correções nos preços de aluguéis residenciais e comerciais. A proposta foi apresentada neste mês pelo senador Telmário Mota (Pros-RR).

Em entrevista à Agência Senado, o parlamentar enumera os motivos para sugestão. 

“A diferença entre tais índices é muito grande e, durante a pandemia, os mais pobres necessitam de maior proteção social por parte do estado, uma vez que foram os mais atingidos economicamente pela pandemia, com o desemprego e a alta dos alimentos, razões pelas quais estamos adotando o índice oficial do governo para o reajuste dos aluguéis urbanos, o IPCA.” 

Saiba o que mais influenciou inflação do aluguel em maio

Índice de Preços ao Produtor Amplo:

  • Minério de ferro: 20,64%
  • Cana-de-açúcar: 18,65%
  • Milho (em grão): 10,48%
  • Soja (em grão): 3,74%
  • Carne bovina: 5,04%

Índice de Preços ao Consumidor:

  • Tarifa de eletricidade residencial: 4,38%
  • Gasolina: 1,03%
  • Plano e seguro de saúde: 0,84%
  • Condomínio residencial: 1,10%
  • Automóvel novo: 0,94%
  • Índice de Nacional de Custo da Construção: 1,80%
  • Tubos e conexões de ferro e aço: 9,40%
  • Tubos e conexões de PVC: 5,37%
  • Vergalhões e arames de aço ao carbono: 2,80%
  • Ajudante especializado: 0,86%
  • Elevador: 3,19%

Quer continuar acompanhando as notícias como essa? Então, não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro e ativar as notificações push.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.