Gasolina a R$ 5,45: Confira 8 dicas para otimizar o uso de combustível e economizar

Os preços da gasolina e do diesel tiveram queda nas últimas semanas, mas ainda podem pesar no orçamento. No entanto, alguns cuidados podem ajudar o motorista a economizar combustível. Veja quais!

Heloisa Vasconcelos
Heloísa Vasconcelos

Mesmo que com quedas nas últimas semanas, os preços da gasolina e do diesel tiveram aumentos expressivos em 2021, chegando a acumular alta de 54% e 41%, respectivamente. Portanto, quem não quer prejudicar o orçamento precisa buscar formas de economizar combustível.

No último dia 24, a Petrobras anunciou a segunda redução no preço da gasolina do ano, após 6 altas consecutivas. Atualmente, o preço nas refinarias está em R$ 2,59 para a gasolina e R$ 2,75 para o diesel.

Continua após a publicidade

Contudo, nem sempre o repasse chega ao consumidor final. Conforme dados do Global Petrol Prices, o preço médio da gasolina no Brasil era de R$ 5,45 na última segunda-feira, 5. Isso significa que com R$ 50 um motorista consegue rodar em média 120 km na cidade, considerando um carro popular econômico.

Para além da escolha de um modelo mais econômico, quem quer rodar mais gastando menos pode adotar alguns hábitos que diminuem o consumo de combustível. A própria escolha entre gasolina e etanol já pode render uma economia.

Continua após a publicidade

Confira essa e outras dicas para economizar combustível.

Dicas para economizar combustível

1- Escolha do veículo

A escolha do veículo é o primeiro passo para quem quer economizar combustível a longo prazo. 

Há modelos econômicos, como o Chevrolet Onix Plus, que têm consumo de 14,3 km/l de gasolina na cidade e 17,7 km/l na estrada, segundo dados de 2020 do Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular (PBE) do Inmetro. Contudo, caso o motorista escolha um Land Rover Range Rover Sport SVR, por exemplo, o combustível renderá menos: apenas 5km/l. 

O engenheiro mecânico e técnico em manutenção de automóveis Anderson Dias indica que o consumidor busque sempre comprar veículos buscando o selo A de consumo de energia, indicado pelo Inmetro. 

“Às vezes o consumidor compra um carro que ele não vai ser capaz de manter porque ele consome muito. O selo do Inmetro é uma boa referência para escolher um carro tendo como nota de maior peso o consumo”, afirma.

Continua após a publicidade

2- Álcool ou gasolina?

A regra geral é: se o valor do etanol for menor que 70% do valor da gasolina, o combustível à base de cana de açúcar vale a pena. Porém, com a alta das commodities, essa relação fica cada vez menos vantajosa.

Mas nem por isso o motorista deve dispensar o uso do etanol. Deve-se analisar, sobretudo, os hábitos de consumo.

“Por conta de suas características químicas, o etanol é mais recomendado para aqueles que utilizam o veículo com menor frequência, já que a gasolina, ao ficar parada no tanque por muito tempo, pode acabar evaporando e perdendo sua capacidade de combustão”, explica o CEO da autotech Zul+, André Brunetta.

Anderson também recomenda o uso do combustível, mesmo que em menor parcela: não necessariamente para economia, mas para melhor dirigibilidade do veículo.

Continua após a publicidade

“Se puder colocar uma porcentagem de álcool de 10% do abastecimento total, vai ter uma dirigibilidade maior sem prejudicar o consumo”, pontua.

3- Manutenção preventiva para economizar combustível

Troca de óleo, alinhamento e manutenções em geral otimizam o consumo de combustível do veículo. Isso porque, quando algo está fora do lugar, o motor precisa trabalhar mais para conseguir manter o carro em movimento, aumentando o consumo.

É importante prestar atenção sobretudo nos filtros de ar e de combustível, velas de ignição e alinhamento e balanceamento do carro

“Os filtros são responsáveis por segurar impurezas e o acúmulo de resíduos prejudica o rendimento. As velas fornecem a faísca necessária para o início da combustão que, por sua vez, fornece a energia para mover o carro. Com o tempo, a faísca perde intensidade e começa a deixar de queimar parte do combustível. O resultado é o aumento do consumo e a redução da potência do motor”, elucida André.

Continua após a publicidade

Ter a certeza de que o veículo está balanceado diminui o consumo de combustível porque faz com que toda a força do motor vá apenas para frente. Segundo Anderson, deve-se fazer essa checagem uma vez a cada 2 ou 3 meses ou mensalmente para motoristas que tem uso constante, como Ubers ou taxis.

4- Foco nos pneus

Ter os pneus calibrados de acordo com o manual do veículo diminui o esforço que o motor precisa fazer para locomover o carro. Quando o veículo roda com pneus baixos, a resistência é maior, resultando em um maior consumo de combustível.

Anderson recomenda o hábito de checar a calibragem dos pneus uma vez por mês. Assim, o motorista consegue economizar e não precisa esperar que os pneus fiquem extremamente baixos ou furem antes de realizar o procedimento.

5- Cuidado com vícios de direção

A forma de dirigir pode afetar o consumo de combustível do veículo. Deve-se buscar dirigir em uma velocidade constante na medida do possível, sem acelerações nem freios bruscos.

Continua após a publicidade

“A injeção eletrônica trabalha em uma malha fechada: ela monitora condições do motor e decide quanto de combustível é necessário. Quando a velocidade está constante ela tem menos trabalho, mas quando fica acelerando e parando a injeção fica fazendo várias vezes esse cálculo, o que gasta mais”, elucida Anderson.

Além de diminuir o gasto de combustível, evitar acelerar demais ou frear bruscamente evita desgastes no próprio carro, trazendo economia com possíveis manutenções.

6- Evite a “banguela”

Antigamente, nos carros carburados, os motoristas tinham como técnica para diminuir consumo de combustível aproveitar o embalo de descidas para deixar o carro em ponto morto, a chamada “banguela”.

Isso até podia trazer economia para os carros antigos, mas os motores atualmente tem tecnologia o suficiente para perceber a necessidade maior ou menor de combustível para dosar o gasto de acordo com a situação. 

Continua após a publicidade

Dessa forma, essa técnica pode ter efeito inclusive inverso na economia, além de trazer riscos de segurança, já que ocorre maior desgaste dos freios caso haja necessidade de parar.

“Quando o carro desce na “banguela”, os giros do motor são reduzidos e ficam no mínimo para o carro não morrer. Então, o sistema de injeção eletrônica entende que o carro precisa de combustível e, por consequência, mais combustível será consumido”, resume Andre.

7- Evite peso excessivo

Quanto mais pesado o carro, mais energia o motor precisa para conseguir movê-lo, levando a um maior consumo de combustível. Portanto, evitar andar com o carro superlotado tanto em passageiros como em bagagem pode diminuir o custo mensal com gasolina.

Tirar bagagens do porta-malas e do banco traseiro pode ser uma opção. Esse peso adicional traz um gasto a mais com combustível.

Continua após a publicidade

8- Cuidado especial para carros automáticos para economizar combustível

Quem utiliza carro automático deve ter um cuidado a mais caso queira economizar. Isso porque esse tipo de modelo gasta um volume maior de combustível que carros manuais. 

“Hoje esse consumo caiu muito, mas ainda existe. Os conselhos que eu dei são ainda mais importantes para o carro automático. Nunca vai ter o consumo de um carro manual, mas você pode ter um consumo menor tendo boas práticas de direção”, afirma Anderson.

Ele indica que mover a alavanca para o N e puxar o freio de mãos em sinais economiza mais combustível que deixar o veículo em D e pisar no freio. Apesar de ser mais trabalhoso, a troca de comportamento pode trazer uma economia no final do mês.

Quer aproveitar essas e outras dicas para economizar combustível e outros itens no seu dia a dia? Então, assine a newsletter iDinheiro e ative as notificações push para se manter atualizado.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔

6 comentários

  1. Enzo Melo

    Cheguei neste site por acaso pesquisando outro assunto no
    google, gostei muito deste artigo…..Top!!

  2. Luciano

    Achei esse site nas pesquisas na internet, me interessou
    muito o assunto. Obrigado!

  3. Gilvania Rodrigues

    Esses cuidados também valem pra moto?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.