56,4% das dívidas dos inadimplentes são pagas em até 60 dias, diz Serasa Experian

Os dados da Serasa Experian são de abril de 2021. Dentre os principais segmentos das dívidas dos inadimplentes estão água, energia e bancos.

Isabella Proença
Isabella Proença

De acordo com o indicador da Serasa Experian de abril de 2021, 56,4% das dívidas dos inadimplentes no Brasil são pagas em até 60 dias, especialmente no segmento de Utilities (67,4%), que inclui energia e água. Em seguida, está o segmento de Bancos e Cartões, com 62,6% de dívidas quitadas no período.

Este é o indicador de recuperação de crédito, que mostra o percentual de dívidas pagas em até 60 dias após o nome do consumidor ser negativado.

Continua após a publicidade

Com informações da Agência Brasil, saiba mais sobre a pesquisa e o panorama atual.

Inflação pode ter interferência nos resultados

Segundo o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi, o fato dos percentuais de recuperação das dívidas estarem menores nos últimos dois meses (56% em março de 2021 e 56,4% em abril de 2021), em relação aos do começo do ano (58,8% em janeiro e R$ 59,3% em fevereiro) pode estar relacionado à aceleração da inflação no período.

O cenário acaba comprometendo negativamente o poder de compra da população e dificultando bastante o pagamento de dívidas que estão atrasadas. Luiz Rabi sugere que os credores proporcionem facilidades e descontos nos pagamentos aos seus clientes devedores, a fim de conseguirem elevar os seus percentuais de recuperação neste momento de inflação acima das expectativas.

O indicador revelou ainda um padrão: as dívidas mais recentes tendem a ser mais recuperadas do que as com mais tempo de existência. Considerando compromissos que estavam vencidos há 30 dias, veja a porcentagem das dívidas que foram quitadas:

  • Compromissos vencidos de 30 a 60 dias: 74,3%;
  • De 60 a 90 dias: 42,4%;
  • De 90 a 180 dias: 31,0%;
  • Entre 180 dias e o primeiro ano: 28,3%;
  • Entre um e mais anos: 16,3%.

“O esquecimento é muito comum no caso de dívidas mais antigas. Muitas vezes quando a pessoa recebe a notificação de inadimplência, se lembra e realiza o pagamento. Além disso, há também a questão das multas e encargos moratórios que vão encarecendo as dívidas vencidas com o passar do tempo”, disse Rabi.

“Por fim, a priorização das contas a pagar também é um fator, já que, devido ao atual cenário econômico, os consumidores com dificuldades financeiras acabam escolhendo qual será paga e qual será postergada para o próximo mês”, concluiu.

Dívidas dos inadimplentes em 2020

A Serasa Experian considera que a pandemia de COVID-19 e os desafios econômicos que tiveram que ser adotados no período fizeram com que 57,2% dos registros de negativação fossem recuperados no prazo de 60 dias após a comunicação do credor, na média de 2020. Ou seja, porcentagem inferior em comparação a 2019, quando o índice ficou em 59,2%.

O indicador ainda mostrou quais valores foram quitados mais facilmente: em 2020, as dívidas acima de R$ 10 mil tiveram recuperação de 70,4%, enquanto o intervalo de R$ 1 mil a R$ 2 mil teve um retorno das contas de 53,4%.

“O aumento do desemprego e a redução da renda das pessoas fizeram com que muitos demorassem mais para pagar as contas atrasadas. Pelos dados, observamos que a maior parte priorizou o pagamento de dívidas mais caras, que costumam estar relacionadas a imóveis ou veículos. Elas geralmente têm o bem como garantia, ou seja, para não perder a aquisição, os consumidores ficam inclinados a honrar o compromisso financeiro”, disse Rabi.

Quer continuar acompanhando as notícias como essa, sobre as dívidas dos inadimplentes para custear novo Bolsa Família? Então, não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro e ativar as notificações push. Se inscreva, também, no nosso canal do Telegram para receber todas as novidades.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.