Crédito consignado C6 Bank é suspenso pela Senacon

A Senacon decidiu suspender a venda de crédito consignado do C6 Bank por conta das constantes reclamações de contratação indevida. Entenda.

Karina Carneiro
Karina Carneiro

Após um crescimento expressivo e um número grande de reclamações relacionadas a contratação de serviços sem consentimento, o crédito consignado do C6 Bank está suspenso.

A medida partiu da Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), ligada ao Ministério da Justiça.

Clientes do banco digital relataram a contratação não autorizada de empréstimos e depósitos efetuados em conta, dando margem para cobranças indevidas. 

Continua após a publicidade

Entenda sobre a suspensão do crédito Consignado do C6 Bank

De acordo com o Senacon, somente durante agosto e novembro deste ano, o número de reclamações contra o banco digital cresceu mais de 199%, saltando de 90 para 1.811 queixas. 

Até o momento, no acumulado do ano, são aproximadamente 3.930 queixas de consumidores com o mesmo problema. 

Procurado pelo Valor Econômico, o C6 Bank informou que o aumento das reclamações ocorreu em todo o mercado e que está tomando as medidas necessárias para punir as irregularidades encontradas pelos órgãos. 

“Na nossa operação, que representa 10% do mercado de consignado no Brasil, registramos um percentual de reclamações considerado baixo em relação ao total de operações e estamos fortemente focados para que esse percentual seja cada vez menor”, informou o C6, em nota.

Outro fator levantado pela Senacon que pode interferir no número de contratações ilícitas de crédito consignado do C6 Bank é a utilização de correspondentes durante o processo. 

Ou seja, pessoas contratadas ou escritórios terceirizados para vender produtos em nome das instituições financeiras.

Suspensão imediata dos serviços

Segundo a reportagem do Valor Econômico, qualquer tipo de produto relacionado ao crédito consignado do C6 Bank está suspenso até segunda ordem. 

Além disso, o órgão adicionou uma suspensão cautelar de contratações por correspondentes bancários, seja ele por meio eletrônico ou de modo presencial. 

Caso haja descumprimento da medida, ficou estabelecido entre as partes a aplicação de multa no valor de R$ 100 mil para cada operação indevidamente contratada. 

Gostou do conteúdo? Então, não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro para continuar recebendo informações sobre tudo o que acontece no universo financeiro. 

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.