Perdas na pandemia podem fazer a conta de luz ficar 3% mais cara

A conta de luz mais cara pode ser atribuída às perdas relacionadas ao período mais crítico de pandemia. Aneel estuda formas de minimizar prejuízos.

Karina Carneiro
Karina Carneiro

Para 2021, as companhias de energia elétrica já estudam uma forma de recuperar as perdas ocasionadas pela pandemia da Covid-19, e com isso, deverão deixar a conta de luz mais cara. 

Segundo os cálculos da Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee), as contas deverão sofrer um reajuste de 3% nos próximos meses. 

Continua após a publicidade

Entretanto, o objetivo é que esse aumento seja diluído ao longo dos anos. As empresas também estudam outras medidas regulatórias para amenizar os impactos e não prejudicar de maneira direta os consumidores. 

Conta de luz mais cara – Entenda os motivos

Os calotes triplicaram durante o ano de 2020, já que muitos consumidores deixaram de pagar faturas de luz durante o período mais crítico da pandemia.

Por isso, a conta de luz mais cara deve ser uma “consequência” de todos os prejuízos sofridos pelas empresas de energia elétrica durante os últimos nove meses. 

A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) colocou em pauta nesta terça-feira, 15, uma discussão que busque um equilíbrio econômico-financeiro entre os contratos em vigência. Ela considera que os consumidores não devem receber de maneira direta o reajuste.

Em busca de um equilíbrio financeiro

Nesses cálculos, seria necessário buscar um reequilíbrio financeiro entre R$ 5,5 a R$ 6 bilhões para compensar todos os prejuízos desse período. 

E é justamente nesse momento que o aumento em 3% poderia ter um forte impacto sobre o orçamento final de pessoas físicas e jurídicas. 

De acordo com o presidente da Abradee, Marcos Madureira, os valores precisariam ser pagos em reajustes extraordinários.

“A nossa expectativa é que isso possa ser resolvido até os primeiros meses de 2021. [O impacto] foi maior no segundo trimestre do ano, quando aumentou a receita irrecuperável das distribuidoras”, disse ao veículo O Globo.

Por fim, até o momento, a Aneel considera que as contas de luz não devem receber o reajuste de todos os prejuízos da empresa.

Gostou do conteúdo? Então, não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro e ativar as notificações do Push para continuar acompanhando o que acontece no universo financeiro. 

Continua após a Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.