Cadastro de chaves do PIX chega a 100 milhões em dois meses

Karina Carneiro
Karina Carneiro
celular com qr code, representando cadastro de chaves do pix
O número de cadastro de chaves do PIX chegou a 100 milhões na última quinta-feira, 3, menos de dois meses depois do lançamento do sistema de pagamentos.

Após quase dois meses do início do cadastro de chaves do PIX, o Banco Central (BC) anunciou na última quinta-feira, 3, a marca de mais de 100 milhões de solicitações para utilizar o sistema.

Até o momento, 40 milhões de pessoas físicas e cerca de 2,5 milhões de empresas fizeram realizaram o cadastro de chaves. Ao todo, foram 34,4 milhões de CPFS cadastrados pelas instituições financeiras.

Continua após a publicidade

Quais os cadastro de chaves de PIX mais usados?

O número de celular aparece logo após do CPF, na segunda colocação de número de cadastros, com 22,4 milhões de chaves cadastradas.

Já as chaves aleatórias representam uma numeração expressiva de 23, milhões, seguida pelo e-mail, com 15,8 milhões.

Em relação às contas jurídicas, cerca de 2,1 milhões de empresas realizaram o cadastro prioritário para o número do CNPJ.

Uma pessoa pode fazer até 5 cadastros de chaves de PIX por CPF, que podem ser distribuídos para diferentes instituições financeiras. Já as empresas conseguem cadastrar até 20 chaves. 

Entretanto, eles não podem ser repetidos, levando o usuário a escolher de maneira estratégica qual deseja usar. 

Sobre o PIX

Desde o lançamento, em 16 de novembro, o PIX já movimentou mais de R$ 36,8 bilhões de reais, com mais de 735 instituições financeiras cadastradas na primeira fase da plataforma. 

O sistema permite fazer pagamentos ou enviar dinheiro de para pessoas ou empresas de forma instantânea, com um prazo máximo de espera de até 10 segundos, independentemente do dia da semana ou horário útil. 

Toda a utilização ocorre de maneira gratuita para consumidores finais e microempreendedores individuais. As empresas pagam taxas estabelecidas por cada instituição financeira para a utilização da plataforma. Alguns bancos digitais e fintechs tornaram o sistema gratuito para pessoas jurídicas.

Gostou do conteúdo? Então não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro e ativar as notificações do Push para continuar recebendo todos os conteúdos sobre o mercado financeiro em tempo real. 

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.