BC coloca em circulação apenas 12,7% das cédulas de R$ 200:

A demanda por cédulas de R$ 200 foi abaixo do esperado, segundo o BC. Na pandemia, uso de aplicativos e transações digitais crescem.

LilianCH
Lilian Calmon

Por conta da demanda abaixo do esperado, o Banco Central (BC) colocou em circulação apenas 12,7% do total de cédulas de R$ 200 programadas para 2020.

Até a última segunda-feira, 11, a autoridade monetária tinha adquirido 57,3 milhões de unidades, o que equivale a R$ 11,4 bilhões. 

Continua após a publicidade

Em agosto do ano passado, no lançamento da cédula, havia sido anunciado a fabricação de 450 milhões de notas estampadas com o lobo-guará, num total de R$ 90 bilhões.

Na época, foi dito que seria gasto R$ 113,8 milhões a mais do que o previsto no orçamento anual para a produção. Também seriam impressas 170 milhões de cédulas de R$ 100.

Com informações da Folha de S. Paulo.

Uso de aplicativos e transações digitais crescem

Na opinião do economista da Fundação Getulio Vargas (FGV), Mauro Rochlin, houve erro de cálculo. “Na pandemia, embora tenha crescido a demanda por papel-moeda, aumentou muito o uso de aplicativos e de transações digitais”, analisou ele.

No período, o BC priorizou a emissão de cédulas de R$ 100. Desde agosto de 2020, mais de 150 milhões delas entraram em circulação.

Com o fim do auxílio emergencial em dezembro, a expectativa é que a demanda por papel-moeda caia e o BC retire dinheiro do mercado.

Saiba mais sobre as cédulas de R$ 200

A cédula de R$ 200 tem o maior valor de face já produzido no Plano Real. De acordo com a autoridade monetária, a criação ocorreu para atender a maior demanda por papel-moeda com o pagamento do auxílio emergencial. 

Além disso, outro motivo foi o aumento do entesouramento (quando o papel-moeda não circula na economia) no início pandemia. Isso porque, em momentos de crise, as pessoas preferem guardar dinheiro.

O lançamento da nota do lobo-guará também gerou polêmica, porque dificulta o troco na hora da compra. Levantou, ainda, discussão sobre o uso para favorecer crimes de lavagem de dinheiro.

Para ler a matéria na íntegra, clique aqui.

Gostou do conteúdo? Então não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro e ativar as notificações do Push.

Continua após a Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.