Vale a pena se inscrever em vários bancos de talentos? Confira dicas ao procurar emprego

Os bancos de talentos podem ser mais um canal na busca da recolocação profissional. Antes de se cadastrar, o candidato deve ter em mente objetivos e currículo de forma clara.

Heloisa Vasconcelos
Heloísa Vasconcelos

Quem está procurando emprego já deve ter criado cadastro em diferentes bancos de talentos. Diversos sites possibilitam, ao mesmo tempo, que o candidato consiga ser visto e que empresas consigam selecionar com maior facilidade o funcionário ideal, considerando habilidades técnicas e comportamentais.

Os bancos de talentos são uma das formas de conseguir emprego, mas não dispensam outras ferramentas. Além disso, o concorrente deve ter alguns cuidados antes mesmo de realizar o cadastro para garantir que seu perfil seja notado.

Continua após a publicidade

A primeira coisa que o candidato deve ter em mente é o próprio objetivo ao conseguir uma recolocação profissional ou transição de carreira, bem como suas habilidades e experiências anteriores. Cadastrar o currículo em diferentes sites sem uma clareza de onde se quer chegar pode não levá-lo a lugar algum.

Confira dicas para conseguir ser notado na busca de emprego.

Devo me inscrever em vários bancos de talentos?

Vagas.com, Catho, Indeed, Infojobs… Existe uma enorme variedade de apps de emprego e sites de bancos de talentos, desde gratuitos aos pagos. 

Continua após a publicidade

O candidato deve pesquisar sobre cada plataforma antes de escolher em qual ou quais se inscrever.

“A primeira coisa que a gente tem que pensar quando tá procurando nesses bancos é olhar a profundidade que aquele banco de dados traz de oportunidades. Às vezes você olha um banco que não tem muitas vagas para o seu nível. É importante ficar atento aos tipos de vagas e senioridade”, destaca o especialista em carreira na consultoria LHH, Hugo Capobianco.

Ele também alerta que apenas o fato de ter cadastro em sites de bancos de talentos pode não ser o suficiente para conseguir a vaga dos sonhos. Principalmente agora, em um momento em que o mercado de trabalho tem bem menos vagas que desempregados, o candidato deve buscar sempre outras fontes.

“Não precisa esperar uma vaga nesses sites, pode fazer um mapeamento de empresas atrativas e se apresentar para essas empresas. Desde cadastro no RH, site, contato no Linkedin”, indica.

Continua após a publicidade

A CEO da escola de educação corporativa Bhave, Erika Linhares, também recomenda que, melhor que espalhar o próprio currículo em todos os cantos, deve-se personalizar o perfil de acordo com cada site e empresa pretendida.

“Tem que saber exatamente o que você quer. Quem quer tudo não quer nada. Quando você sabe, foca no networking, na empresa e no cargo correto”, afirma.

O profissional ideal

Seja por meio de banco de talentos, cadastro em RH, headhunter ou networking, o profissional precisa prestar atenção em alguns pontos para conseguir a vaga de emprego.

“A primeira coisa que as pessoas precisam entender é que elas precisam aprender e desaprender o tempo todo, você nunca pode deixar de se atualizar na sua área. Com a internet, você consegue vários cursos, seguir pessoas que podem te ajudar a conseguir conhecimentos. É extremamente importante você se atualizar sempre para não ficar defasado no mercado”, aponta Erika.

Continua após a publicidade

Ela recomenda que o candidato procure desenvolver habilidades comportamentais, que podem ser aprimoradas em cursos que emitem, inclusive, certificado.

Outro ponto importante é ficar de olho nas redes sociais, sobretudo, o LinkedIn.

“É a maior ferramenta que existe, trabalha todas as posições. Você acaba tendo a oportunidade de buscar oportunidades e estabelecer conexões importantes. Não é só a busca da vaga em si, é a conexão que se pode criar”, ressalta Hugo.

Algumas dicas para destacar seu perfil

As empresas que utilizam bancos de talentos recebem milhares de currículos e vários acabam não sendo sequer lidos ou cogitados. Portanto, é importante que o candidato tome algumas atitudes para ser notado e conseguir seguir no processo seletivo.

Confira algumas dicas:

  • Tenha um currículo altamente personalizado e qualificado e construa um perfil nas redes sociais também altamente qualificado, com informações precisas de experiências concretas. 
  • Utilize palavras-chave no currículo que os recrutadores possam encontrar facilmente.
  • Construa um discurso de entrevista onde você consiga se vender, consiga expor não somente o que você fez, mas o que você entregou de resultado em empresas anteriores. É o momento para destacar projetos em que você teve participação importante ou metas desafiadoras batidas.
  • Para além das habilidades técnicas, conheça e cite suas competências comportamentais. Muito mais que um profissional que é bom no que faz, as empresas hoje procuram pessoas que tenham habilidades como liderança ou trabalho em equipe.
  • Por fim, cite de forma clara o que você imagina em termos de carreira. Até onde você quer chegar e como aquela experiência profissional pode te ajudar a chegar nesse ponto. 

Este conteúdo foi útil? Então, assine a newsletter iDinheiro e se mantenha atualizado sobre tudo o que importa para o seu dinheiro.

Continua após a publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.