Alta do IOF entra em vigor nesta segunda-feira e encarece o crédito

De acordo com o governo, alta do IOF permitirá arrecadação extra de R$ 2,14 bilhões para custeio do novo Bolsa Família.

LilianCH
Lilian Calmon

A alta do IOF entra em vigor nesta segunda-feira, 20, e encarece o crédito para empresas e famílias. As novas alíquotas do Imposto sobre Operações de Crédito, Câmbio e Seguro ou relativas a Títulos ou Valores Mobiliários anunciadas pelo governo servirão para custear o novo Bolsa Família.

Para pessoas jurídicas, a alíquota anual passa de 1,5% para 2,04%. Já para pessoas físicas, sobe de 3% ao ano para 4,08%. A mudança valerá até 31 de dezembro. Entre as operações de crédito que passarão a cobrar mais imposto estão o cheque especial, o cartão de crédito, o crédito pessoal e os empréstimos para empresas.

Continua após a publicidade

Com informações do G1.

Alta do IOF permitirá uma arrecadação extra de R$ 2,14 bilhões

De acordo com o governo, a alta do IOF permitirá uma arrecadação extra de R$ 2,14 bilhões. No entanto, economistas e tributaristas criticam a solução encontrada para elevar o benefício médio pago aos beneficiários do Bolsa Família.

“A solução é ruim pois dificulta mais o crescimento do país. Precisamos sim de políticas sociais como Bolsa Família ou Auxílio Brasil, mas que precisam ser perenes. Precisamos de planejamento na área social e não de medidas que funcionem por pouco tempo”, disse o economista-chefe do banco Modalmais, Alvaro Bandeira.

A alta do IOF também deve pressionar ainda mais a inflação, que chegou a 9,68% no acumulado em 12 meses até agosto. Isso porque, as empresas que precisarem fazer financiamentos, terão que pagar mais caro e, provavelmente, repassarão esse aumento ao consumidor final.

“As empresas estão passando por dificuldades e, como se diz, empresa não paga imposto, empresa repassa. Isso certamente vai ter efeito no aumento valor de serviços, valor de mercadorias, leia-se inflação”, comentou a sócia da Lewandowski Libertuci, Elisabeth Libertuci.

Em nota, a Federação Brasileira de Bancos (Febraban) afirmou que o aumento de impostos sobre o crédito, mesmo que temporário, agrava o custo dos empréstimos, em um momento em que o Banco Central (BC) precisará subir ainda mais a taxa básica de juros para conter a alta da inflação.

Confira as novas alíquotas

Alíquota diária atualAlíquota anual atualNova alíquota diáriaNova alíquota anual
PESSOA JURÍDICA0,0041%1,50%0,00559%2,04%
PESSOA FÍSICA0,0082%3,0%0,01118%4,08%
Fonte: Ministério da Economia

Para ler a matéria do G1 na íntegra, clique aqui.

Quer continuar acompanhando as notícias que impactam o seu bolso? Então, não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro e ativar as notificações push. Se inscreva, também, no nosso canal do Telegram para receber todas as novidades.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.