Responsabilidade Editorial

Por que confiar no iDinheiro

O iDinheiro tem o propósito de democratizar e simplificar os serviços financeiros. Nossa missão é te ajudar a fazer as melhores escolhas, a partir das mais completas informações e recomendações sobre cada serviço.

O que é Sistema TEF e como ele funciona?

Saiba o que é a Transferência Eletrônica de Fundos (TEF), quais os tipos de TEF disponíveis e quais as vantagens desse sistema que integra pagamentos por meio de cartões de crédito e débito.

vitor braga
Vitor Braga Estagiário de Negócios

Todos os dias, milhares de transações financeiras são realizadas, seja fazendo o uso de métodos tradicionais, como os bancos, ou até mesmo por meio eletrônico, como a TEF.

A TEF, diferentemente das transferências de valores entre contas como o DOC, TED e TEV, acontece de forma automática quando utilizamos algum cartão de débito ou crédito através de máquinas de cartão.

Continua após a publicidade

Logo, a TEF é uma boa opção para negócios que possuem um alto volume de vendas e precisam de agilidade nessas transações de compra e venda. Ficou curioso para saber mais sobre a TEF? Fique atento e continue lendo!

O que é TEF?

A Transferência Eletrônica de Fundos (TEF) é um sistema que trabalha no intuito de transferir valores relacionados a compra de cartões de crédito e débito de forma eletrônica.

Continua após a publicidade

Por conta disso, existe uma comunicação e relação entre o estabelecimento comercial, as adquirentes e as administradoras de cartão, fazendo com que sejam possíveis as vendas por meio do cartão e de outras formas de pagamento por via eletrônica.

Como funciona uma TEF?

As informações de pagamento das vendas realizadas por um empreendimento são transferidas entre a loja, a empresa de cartões e o banco por meio de uma máquina de cartão PinPad, um software interligado à mesma maquininha e por meio de uma empresa adquirente.

Após ser desenvolvido por uma TEF House e ser vendido e integrado no computador do estabelecimento comercial por uma Softhouse, o software será responsável por armazenar os dados de recebimento coletados pela máquina de cartões e enviá-los para uma central adquirente.

Em sequência, essa central adquirente se comunicará com as bandeiras dos cartões e os bancos emissores para que a compra do consumidor seja aprovada ou reprovada.

Continua após a publicidade

Por fim, como todos as informações de recebimento são armazenadas no software, ele acaba facilitando o controle financeiro e a gestão do negócio como um todo.

Componentes do sistema de TEF

Sem a disponibilidade de alguns aparelhos e componentes não é possível realizar uma Transferência Eletrônica de Fundos (TEF). Continue a leitura e saiba quais são essas ferramentas importantes!

Componentes básicos

  • Computador: o computador e tudo o que lhe compõe, como o monitor e o teclado, são essenciais para a realização de uma TEF. Sem essa máquina não é possível instalar o software responsável por armazenar e transferir os dados da transferência eletrônica.
  • Máquina de Cartão PinPad: a maquininha de cartão é um dos elementos centrais da TEF, pois é responsável por fazer a leitura dos cartões de crédito e débito e enviar essas informações ao software de transferência.
  • Leitor de código de barras: a partir do leitor é possível cadastrar e identificar os produtos e seus preços no software através do código de barras, tornando a compra mais segura e evitando fraudes.

Componentes tecnológicos e de conexão

  • Linha telefônica: na TEF Discada, a linha telefônica é o tipo de conexão que conecta a máquina de cartão, o computador, o software e a central adquirente.
  • Internet: nos outros tipos de TEF, a internet é o tipo de conexão que conecta a máquina de cartão, o computador, o software e a central adquirente.
  • TEF House: são as empresas desenvolvedoras dos softwares que armazenam os dados de recebimento dos cartões de crédito e débito.
  • Integradora ou Softhouse: são as empresas que revendem os softwares desenvolvidos pelas TEF Houses, além de fornecerem alguns dos outros equipamentos, tais como o computador e a maquininha PinPad. As Softhouses também realizam a integração desses aparelhos e dão suporte a seus clientes.
  • Adquirentes: as adquirentes são as empresas responsáveis por se comunicarem com as bandeiras dos cartões e os bancos emissores para negociarem as taxas e aprovarem ou não os pagamentos. Além disso, a TEF é multiadquirente, ou seja, é possível negociar diferentes bandeiras e taxas com diversas empresas.

Quais são os 3 diferentes tipos de TEF?

Existem 3 tipos de Transferência Eletrônica de Fundos. Fique atento e descubra a seguir qual a melhor opção para o seu negócio!

TEF Discada

Nesse tipo de transferência, a conexão entre o software da loja e a central adquirente das bandeiras de cartões é feita através de uma linha telefônica.

Continua após a publicidade

Sendo assim, cada vez que uma venda é realizada e a maquininha PinPad faz a leitura do cartão, um acesso discado é iniciado e só será finalizado quando a transação for aprovada ou reprovada.

Como essa TEF é mais lenta devido à utilização da linha telefônica, ela é recomendada apenas para pequenas e médias empresas que possuem um volume de vendas com cartões de crédito e débito um pouco menor.

TEF Dedicada

A TEF Dedicada é um dos tipos mais velozes de transferência, pois é realizada através de uma linha especial dedicada que se mantém conectada com as adquirentes e as empresas de cartões durante 24 horas por dia

Essas linhas são do tipo VPN, uma espécie de rede virtual privada capaz de efetuar as transações em cerca de 2 a 5 segundos. Por isso, a TEF Dedicada é recomendada para empresas com um intenso fluxo de vendas por meio de cartões de crédito e débito.

Continua após a publicidade

TEF IP

A TEF IP também utiliza conexão por VPN, porém, seu diferencial é a aplicação do protocolo IP. Ou seja, a transmissão de todas as informações financeiras ocorre por meio da internet, tornando o processo de análise da transação mais rápido.

Desse modo, a TEF IP também é recomendada para grandes e médias empresas com um intenso fluxo de vendas com cartão de crédito e débito.

Qual a diferença entre Transferência Eletrônica de Fundos (TEF) e Postos de Venda (POS)?

Os Postos de Venda (POS), diferentemente da TEF, são diretamente ligados às empresas das maquininhas de cartão de crédito e débito e estão sujeitos às suas bandeiras, taxas e condições, logo não há grande margem para negociações. Por causa disso, os POS são recomendados para micro e pequenas empresas.

Em contraste, como a TEF é uma transferência multiadquirente, é possível contratar quantas bandeiras forem necessárias e negociar diretamente com as diversas empresas de cartões e/ou adquirentes.

Continua após a publicidade

Portanto, devido a essa possibilidade de negociação, a TEF pode ser uma ótima opção para grandes empresas com um fluxo de vendas por cartões muito intenso.

Qual a diferença entre TEF e TED?

A Transferência Eletrônica Disponível (TED) é uma transferência interbancária, realizada entre duas contas bancárias diferentes. Na TED não há a necessidade de se utilizar um software especial ou uma maquininha de cartão de crédito e débito.

A TEF, como dito anteriormente, é uma transação que envolve mais partes, sendo elas o estabelecimento comercial, a empresa de cartões e/ou os adquirentes e os bancos. Além disso, a utilização da máquina de cartões é indispensável para esse tipo de transferência eletrônica.

Ficou interessado nesse assunto e quer saber mais sobre o que é TED? Dê uma olhadinha nesse nosso post sobre “DOC, TED e TEF: qual é a diferença entre as transferências?“!

Continua após a publicidade

Vantagens e desvantagens: por quais razões devo utilizar a Transferência Eletrônica de Fundos (TEF)?

A Transferência Eletrônica de Fundos, assim como a maioria das coisas, tem seus pontos positivos e negativos. Continue lendo e confira as principais vantagens e desvantagens da TEF!

Vantagens

  • Maior organização e controle financeiro: a TEF, através de seu software, armazena as informações dos produtos, os dados de recebimento dos clientes e as vendas realizadas por meio desse sistema. Logo, com tudo automaticamente registrado é mais fácil se organizar e realizar o controle financeiro de uma loja.
  • Possibilidade de negociar melhores taxas: a transferência eletrônica de fundos é um sistema multiadquirente, onde você pode negociar com mais de uma adquirente ou diretamente com a empresa de cartão. Sendo assim, as condições e taxas para seu negócio poderão ser melhores.
  • Pagamento flexível: devido à modernização da economia é cada vez mais comum as pessoas utilizarem apenas cartões de débito e crédito. Desse modo, com a TEF você ficará por dentro dessa tendência e, por causa da multiadquirência do sistema, poderá aceitar todas as bandeiras de cartões que desejar, tornando o pagamento mais flexível.
  • Proteção contra fraudes: como os preços dos produtos ficam registrados no sistema e os itens são identificados pelo leitor de código de barras, fica mais difícil ocorrer erros na hora da venda. Além disso, o software da TEF é seguro e protege tanto as informações do cliente quanto do vendedor, evitando fraudes.

Desvantagens

Apesar da Transferência Eletrônica de Fundos ser um sistema muito vantajoso, ela também apresenta algumas desvantagens.

Dentre os pontos negativos está a dependência da TEF por uma linha telefônica ou por uma boa conexão de internet dedicados apenas ao sistema. Ou seja, caso ocorra falhas nas conexões o empreendedor fica impossibilitado de realizar vendas.

Por último, uma outra desvantagem é a exigência de um infraestrutura robusta para melhor funcionamento dessa transferência.

Continua após a publicidade

Enquanto outros sistemas funcionam apenas com uma máquina de cartões, wi-fi e/ou um chip de telefone, na TEF não é possível concluir uma venda sem toda a aparelhagem específica, como o monitor, o leitor de código de barras, a maquininha PinPad e as conexões dedicadas, por exemplo.

Agora é com você!

Após apresentarmos os principais dados e informações e explicarmos como funciona uma Transferência Eletrônica de Fundos (TEF), cabe a você decidir se esse sistema de pagamento vale a pena para seu estabelecimento comercial!

Para finalizar, que tal conferir alguns dos nossos outros artigos? Talvez você encontre outros assuntos que possam lhe interessar!

Gostou do conteúdo? Não se esqueça de ativar as notificações do Push e assinar a newsletter do iDinheiro para receber todas as novidades!

Continua após a Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.