Governo, Notícias

Ministério da Economia já prevê aumento do desemprego em 2021

Lucas Pavanelli
Lucas Pavanelli
ilustração de homem com placa pedindo um emprego, representando aumento desemprego 2021
O Ministério da Economia trabalha com um cenário de aumento do desemprego para 2021. A […]

O Ministério da Economia trabalha com um cenário de aumento do desemprego para 2021. A piora nos indicadores deve ocorrer mesmo com a expectativa de aumento no número de contratações. 

De acordo com o secretário de Política Econômica do Ministério da Economia, Adolfo Sachsida, o aumento no desemprego irá refletir uma maior busca por trabalho à medida em que as atividades são retomadas no país. 

Continua após a publicidade

Aumento do desemprego em 2021 já é realidade

O índice deve aumentar porque, de acordo com a metodologia do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), somente é considerado desempregado quem está, de fato, procurando emprego.

Com a pandemia e o fechamento de postos de trabalho, no entanto, muitas pessoas simplesmente deixaram de procurar um emprego. Dessa forma, elas não entram nas estatísticas de desemprego. 

“Muitas pessoas perderam emprego e não estavam procurando porque a cidade estava fechada. Então as pessoas estavam desempregadas, mas não apareciam na pesquisa”, explicou Sachsida em uma reunião com representantes do banco Safra, transmitida pela internet.

Esse fenômeno já vem ocorrendo no país. De acordo com o Ministério da Economia, com a retomada econômica nas principais cidades do país, a busca por vagas de emprego já está aumentando. 

Desemprego fechou setembro em 14%

A taxa de desemprego subiu 0,4 ponto percentual entre agosto e setembro – passando de 13,6% para 14%. Esse índice é o maior da série histórica medida pelo IBGE. 

Ainda de acordo com o estudo, esse aumento ocorre por dois fatores: pessoas que perderam suas ocupações e trabalhadores que já estavam desempregados e, agora, voltaram a procurar trabalho. 

Esse cenário ocorre mesmo com algumas medidas adotadas pelo governo federal durante a crise, como a permissão de cortes de jornada e salário para evitar mais demissões.  

Para Sachsida, é preciso criar novas regras para o mercado de trabalho, como a redução nos custos de contratação. Segundo ele, uma diminuição de 10% neste sentido poderia representar um aumento de 3% no número de empregos formais. 

Dezembro terá distanciamento social do nível pré-pandemia

As estimativas do Ministério da Economia mostram que o nível de distanciamento social no país alcançará o mesmo patamar de antes da pandemia em dezembro. 

Além dessa retomada, o secretário destacou, ainda, que até o final do ano, mais R$ 138 bilhões devem movimentar a economia, graças a medidas como o saque emergencial do Fundo de Garantia e as últimas parcelas do auxílio emergencial

Quer continuar acompanhando as notícias sobre o desemprego? Então, não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro e ativar as notificações do Push.

Publicidade

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *