O medicamento mais caro do mundo foi aprovado, na última segunda-feira, 17, pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Ele é o Zolgensma, usado para o tratamento da AME, sigla para Atrofia Muscular Espinhal. Nos Estados Unidos, cada dose custa R$2,125 milhões, aproximadamente R$12 milhões no Brasil.

Continua após a publicidade:

Registro foi publicado na edição de ontem do Diário Oficial da União e informações complementares são da Folha de São Paulo.

Medicamento mais caro do mundo no Brasil

O medicamento da empresa Novartis Biociências S.A obteve o registro para tratamento de pacientes pediátricos diagnosticados com a AME do tipo 1 que tenham até dois anos de idade.

Em julho, o presidente Jair Bolsonaro havia anunciado o fim da alíquota de importação desse medicamento. Apesar de medida ser comemorada pelo caráter humanitário, houve críticas em razão de alíquota de um medicamento ainda não aprovado pela Anvisa ser zerado.

Em relação ao valor no Brasil, ainda não existem informações determinantes sobre a equivalência ao preço dos EUA ou possíveis ajustes.

É preciso aguardar as informações, que serão discutidas pela Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos.

Doença atinge um em cada 10 mil nascidos

A Atrofia Muscular Espinhal é uma doença rara e atinge um em cada 10 mil nascidos. O tipo 1, tratado pelo remédio, acomete de 45% a 60% dos portadores, e é o mais grave.

Doença é causada por uma alteração do gene responsável por codificar a proteína necessária para o desenvolvimento adequado dos músculos. Alguns dos sintomas são fraqueza, hipotonia, atrofia e paralisia muscular progressiva.

De acordo com a Anvisa, os estudos realizados até o momento demonstram que a aplicação única do remédio já tem a capacidade de melhorar a sobrevivência dos pacientes.

Além disso, poderia reduzir a necessidade de usar a ventilação permanente para respirar, melhorando o desenvolvimento motor. Sobre os efeitos adversos, todos seriam controláveis.

Quer continuar acompanhando as novidades do medicamento mais caro do mundo? Então, assine a newsletter do iDinheiro e receba tudo em tempo real. 

Publicidade