Na última sexta feira (03/06), o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou a ampliação de mais R$ 5 bilhões em linhas de crédito destinada a micro, pequenas e médias empresas para ajudar nos efeitos econômicos provocados pela pandemia do COVID-19.

A disponibilização de novos recursos acontece após o esgotamento da mesma verba anunciada pelo BNDES em março, para os mesmos fins. Além disso, a vigência da linha de crédito também será ampliada para dezembro.

Continua após a publicidade


O setor mais afetado pela crise e o que mais solicitou o auxílio do BNDES durante o período de pandemia, foi o de comércio e serviços, com 79,7%, seguido pela indústria de transformação (19,5%).

De acordo com a nota oficial divulgada pela empresa, “O objetivo da linha de crédito nesta segunda etapa, permanece o mesmo: Oferecer recursos para o livre uso das empresas, de maneira simples e ágil, por meio dos agentes financeiros parceiros”.

Empresas com o faturamento de até R$ 300 milhões anuais, poderão solicitar o financiamento de até, R$ 70 milhões ao ano, com carência de até 2 meses e prazo de pagamento para até 60 meses.

Dificuldade no acesso ao crédito

O setor empresarial, de maneira geral, vem se queixando de dificuldades no acesso ao crédito extraordinário, que já vem sendo disponibilizado por bancos e instituições públicas. 

A execução do BNDES Crédito Pequenas Empresas, é uma exceção entre os programas do governo que estão oferecendo crédito para o empreendedor de maneira geral. 

Quer continuar acompanhando as notícias sobre a linha de crédito do BNDES? Então, assine a newsletter do iDinheiro e fique por dentro de tudo sobre o tema.