Responsabilidade Editorial

Por que confiar no iDinheiro

O iDinheiro tem o propósito de democratizar e simplificar os serviços financeiros. Nossa missão é te ajudar a fazer as melhores escolhas, a partir das mais completas informações e recomendações sobre cada serviço.

O que é TR? Entenda a Taxa Referencial e como ela impacta seu dinheiro

A Taxa Referencial incide sobre algumas operações financeiras, por isso, influencia investimentos e financiamentos.

B612_20210521_152657_024_2
Melissa Nunes Especialista em Finanças Pessoais e Investimentos

É comum ouvir que determinado investimento ou financiamento tem Taxa Referencial. Mas o que é TR? Esse é um índice criado em 1991, cujo objetivo, na época, era fazer a desindexação e combater a hiperinflação do período.

Atualmente, ela nem sempre é percebida. Ainda assim, impacta a sua vida, especialmente se você for investidor, empreendedor ou consumidor. Como isso acontece? Vamos explicar neste artigo:

Continua após a publicidade

  • O que é TR e para que serve?
  • Como a TR é calculada?
  • Por que a TR pode ficar zerada?
  • Como saber qual o valor da TR?
  • Como a TR influencia no mercado financeiro?
  • Vale a pena investir em ativos ligados à TR?

Boa leitura!

O que é TR e para que serve?

A Taxa Referencial (TR) é um indicador financeiro. Na época de sua criação, era utilizada como base para os juros praticados no Brasil. Isso porque, no começo dos anos 1990, a inflação ultrapassava 50% ao ano. Por isso, uma das medidas do Plano Collor II foi criar a TR para que ela protegesse o poder de compra do cruzeiro, a moeda vigente.

Por esse motivo, sua mensuração era diária. Ao final do mês, o governo sabia qual era a inflação acumulada no período.

Continua após a publicidade

Apesar de ter o propósito de combater a inflação, a taxa não alcançou esse objetivo. Por isso, ela perdeu a relevância especialmente com a implantação do Plano Real, que mudou a moeda brasileira.

Atualmente, a Taxa Referencial fica nula ou bem próxima a zero. Por isso, saber o que é TR traz implicações menores do que alguns anos atrás. Ainda assim, ela serve para muitas coisas. Hoje, é importante para a rentabilidade dos seguintes papéis:

Como a TR é calculada?

Até hoje, o cálculo é realizado todos os dias. Porém, o Banco Central divulga os resultados mensalmente.

O cálculo depende da chamada Taxa Básica Financeira (TBF), um indicador que reflete a média das taxas de juros pagas pelos títulos públicos. Desde fevereiro de 2018, esse índice considera as taxas de juros do Tesouro Prefixado (antigas Letras do Tesouro Nacional – LTN).

Continua após a publicidade

Com o resultado da TBF, você deve fazer o seguinte cálculo:

R = a + b x TBF

Veja o que cada letra significa:

  • R = redutor;
  • a: valor fixo equivalente a 1,005. Sua definição foi feita ainda na criação da TR;
  • b: depende da TBF. O dado é divulgado pelo Banco Central;

Ao chegar ao valor de R, você deve fazer um novo cálculo, usando a fórmula que está abaixo:

TR = 100 x [((1 + TBF) / R) – 1]

Ou seja, entender, na prática, o que é Taxa Referencial pode ser um pouco complicado. No entanto, você nem precisa fazer essas contas, como vamos mostrar adiante.

De toda forma, vale a pena ver os resultados da TR ao longo dos anos para entender por que sua relevância diminuiu tanto, em comparação com o começo da década de 1990:

AnoTaxa ReferencialAnoTaxa Referencial
1991335,51%20071,44%
19921.556,22%20081,63%
19932.474,73%20090,71%
1994951,19%20100,68%
199531,62%20111,27%
19969,55%20120,28%
19979,78%20130,19%
19987,79%20140,85%
19995,72%20151,79%
20002,09%20162,01%
20012,28%20170,59%
20022,8%20180%
20034,64%20190%
20041,81%20200%
20052,83%20210,04%
20062,03%2022
Acumulado anual da TR. Fonte: Yahii.

Por que a TR pode ficar zerada?

Na verdade, desde outubro de 2017, a taxa fica zerada ou negativa, com apenas alguns meses positiva. Porém, existe uma determinação de que ela nunca pode ser inferior a zero, assim, o Banco Central a anula.

Continua após a publicidade

Além disso, o redutor é aplicado. Portanto, se a taxa básica de juros, a Selic, estiver baixa, a TR será ainda menor. Então, conforme esse índice econômico diminui, a Taxa Referencial do Banco Central faz o mesmo movimento. Foi isso que gerou os índices nulos desde 2017.

Para que a TR volte a ser positiva, os juros pagos pelos títulos públicos também devem ser. Afinal, eles são a base do cálculo da TBF. Esse movimento de aumento dos juros pagos aconteceu em dezembro de 2021, quando a Selic foi para 9,25% ao ano. Nesse caso, a alíquota chegou a 0,048% ao ano.

Como saber qual o valor da TR?

O cálculo é feito pelas fórmulas já apresentadas. Porém, o Banco Central faz a divulgação mensal, como já informamos. Na página de Remuneração dos Depósitos de Poupança, existe uma tabela com a chamada remuneração básica. Essa é a Taxa Referencial do Banco Central.

As datas apresentadas se referem a cerca de 1 mês e meio para trás. Você ainda verá que existem duas opções na tabela: uma delas é válida para os depósitos realizados até 3 de maio de 2012, enquanto a outra é para as aplicações feitas a partir de 4 de maio de 2012.

Continua após a publicidade

No entanto, o resultado é sempre igual. A separação só existe devido a mudanças no cálculo do rendimento da poupança.

Como a TR influencia o mercado financeiro?

Para entender o que é Taxa Referencial de verdade, é importante identificar seus impactos no mercado. Já dissemos que existem 4 aspectos influenciados por ela, por isso, vamos explicá-los a seguir e mostrar por que você deve saber mais sobre o conceito de TR.

1. Poupança

Apesar de não ser um investimento interessante hoje em dia, a poupança é uma forma comum de começar a investir, e, sem dúvida, a aplicação mais utilizada no Brasil.

O cálculo da poupança é baseado na Taxa Selic, conforme os casos abaixo:

  • se a taxa básica de juros está acima de 8,5% ao ano, o retorno é de 0,5% ao mês + TR;
  • se estiver abaixo ou igual a 8,5% ao ano, a remuneração equivale a 70% da Selic + TR.

Como você vê, a TR complementa a remuneração desse produto. Porém, como seus valores são bastante baixos, fazem pouca diferença no cálculo.

Continua após a publicidade

2. Financiamento imobiliário

Os contratos de financiamentos de imóveis também sofrem impacto da TR. Pelo menos, aqueles que são realizados pelo Sistema Financeiro de Habitação (SFH). Isso porque essas operações são feitas com a definição de juros fixos mais a TR. Ou seja, essa taxa corrige o saldo devedor.

Por isso, ela é aplicada todos os anos sobre as parcelas que ainda estão para vencer. Assim, podem ser realizadas pequenas variações. Nesse caso, que bom que a TR é baixa, certo?

3. FGTS

O saldo do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço também é atualizado pela TR. Esse benefício é assegurado a todos os trabalhadores com carteira assinada. Assim, o empregador precisa depositar mensalmente o equivalente a 8% das verbas salariais. A correção do saldo do FGTS é de 3% ao ano + TR.

4. Título de capitalização

Esses produtos financeiros são comercializados pelos bancos e permitem que o participante concorra e ganhe prêmios. Apesar de, muitas vezes, ser vendido como investimento, os títulos de capitalização são, na verdade, sorteios.

Continua após a publicidade

Os valores depositados são atualizados até o vencimento, sendo sua base a TR. Se a TR for zero no período, não há correção.

Em alguns casos, também há pagamento de juros ou outro tipo de remuneração. No entanto, isso nem sempre acontece, e, assim, essa não é a melhor maneira de poupar dinheiro.

Vale a pena investir em ativos ligados à TR?

De modo geral, existem opções melhores. Por exemplo, os próprios títulos do Tesouro Direto são mais interessantes, já que rendem de acordo com o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) ou a Selic. Ainda existem outras possibilidades na renda fixa, por exemplo:

  • Certificado de Depósito Bancário (CDB);
  • Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio (LCI e LCA);
  • debêntures.

Ainda assim, você pode colocar seu dinheiro na poupança ou em um título de capitalização, se quiser. No entanto, o retorno é quase sempre mais baixo do que em outras modalidades. Por isso, é importante saber o que é TR e como ela influencia o mercado financeiro. Assim, você tem mais segurança ao fazer suas operações e investimentos.

Perguntas frequentes

  1. O que é a taxa TR?

    A Taxa Referencial é um índice econômico pouco usado atualmente, mas que interfere em financiamentos, saldo do FGTS, poupança e títulos de capitalização.

  2. Quando a TR pode ficar zerada?

    Isso acontece quando ela tem resultado nulo ou negativo devido à baixa taxa básica de juros (Selic).

  3. O que é a TR do financiamento?

    É a Taxa Referencial, utilizada para corrigir os valores das prestações.

  4. Quando a TR fica positiva?

    Quanto mais alta for a Selic, mais elevada tende a ser a TR.

Continua após a Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.