Responsabilidade Editorial

Por que confiar no iDinheiro

O iDinheiro tem o propósito de democratizar e simplificar os serviços financeiros. Nossa missão é te ajudar a fazer as melhores escolhas, a partir das mais completas informações e recomendações sobre cada serviço.

O que são smart contracts e como eles facilitam várias transações?

Smart contracts (contratos inteligentes) executam transações de forma descentralizada e automaticamente. Veja o que são smart contracts, como utilizá-los e descubra como eles impactam vários setores!

20220502_131551-1
Talita Nifa Estagiária de Conteúdo

Os smart contracts, ou contratos inteligentes, fazem parte das diversas inovações tecnológicas que o surgimento da blockchain propiciou. Essa novidade é possível graças ao desenvolvimento de outras tecnologias, como as moedas digitais.

Os contratos inteligentes são capazes de executar transações de forma descentralizada e automaticamente, ou seja, sem necessidade de intermediação. Com esse recurso, podemos garantir que as condições firmadas em contrato sejam cumpridas, de forma autoexecutável.

Continua após a publicidade

Portanto, esse universo de criptoativos e contratos inteligentes tem papel central na forma como lidamos com nossas finanças, sejam elas pessoais ou empresariais. Neste artigo, entenda como os smart contracts funcionam, veja como criar um e quais são suas vantagens e desvantagens e descubra como eles estão revolucionando o mercado!

O que são smart contracts?

Smart contracts são contratos digitais que se configuram através de códigos de programação, os quais definem regras para o que está sendo firmado no acordo. Eles possuem a mesma funcionalidade que contratos tradicionais, porém, são digitais e executados de forma automática.

Continua após a publicidade

Um contrato inteligente é capaz de executar transações de forma descentralizada, portanto, atuando para reduzir a intervenção humana nos processos e reduzindo custos. Com esse recurso, podemos garantir que as condições firmadas em um contrato sejam cumpridas, de forma autoexecutável.

Além disso, uma característica marcante dos smart contracts é que eles não podem ser adulterados e nem se perderem. Isso ocorre pois esse tipo de contrato se configura em uma rede blockchain. Sendo assim, esse fator traz ainda mais segurança e transparência para os acordos.

Como os smart contracts funcionam?

Como mencionamos, os smart contrats se baseiam em códigos de programação e, portanto, funcionam por meio de algoritmos programáveis, que definem regras e módulos no sistema de acordo com o que as partes combinaram.

Assim, uma vez que emitimos o documento, as regras também são programadas, além das cláusulas e consequências do que está se firmando. Portanto, podemos dizer que os smart contracts funcionam com base em causa e consequência: se determinada coisa ocorre, uma ação resulta dela.

Continua após a publicidade

Após ambas as partes clicarem para confirmar o acordo, o contrato começa a valer, ativam-se as exigências e as informações e regras contidas no documento não podem ser manipuladas de forma unilateral.

Mas, afinal, é mesmo possível garantir o cumprimento de todas as etapas do contrato sem intermediários? Pode ser que você esteja se perguntando isso, e a resposta é “sim”, isso é totalmente possível!

A tecnologia blockchain

Para além dos smarts contrats, a blockchain é uma rede que surgiu com a criação do Bitcoin, a moeda digital mais famosa. A tecnologia consiste em um sistema de validação e verificação de transações digitais, servindo também para rastrear ativos. Além disso, essa rede é descentralizada e conta com um sistema de segurança e validação de dados muito eficaz.

O cumprimento das etapas acordadas em um smart contract, sem necessidade de terceiros, só é possível devido ao sistema blockchain. Mesmo que essa rede tenha-se tornado muito popular com a expansão do mercado de criptomoedas, está cada vez mais sendo aplicada em diferentes setores.

Continua após a publicidade

Quando falamos dos smarts contrats, notamos que toda validação e verificação das regras do contrato são feitas em uma blockchain. Toda informação é criptografada e imutável, garantindo ainda mais segurança para o processo.

Para que servem os smart contracts?

O objetivo dos smart contracts é garantir automação dos processos contratuais. Portanto, o principal resultado disso é a redução de custos, já que as regras e cláusulas podem sem cumpridas automaticamente.

Os contratos automáticos podem atuar de diferentes formas. Confira:

Logo iDinheiro PWAExemplos de utilização de smart contracts
Compras online:quando compramos um produto em um site da internet, escolhemos o item, informamos nossos dados, como nome, endereço, número de cartão, não é mesmo? Esse processo poderia utilizar um smart contract, com regras pré-definidas e acordadas com os compradores;
Contratos jurídicos:é possível elaborar um contrato jurídico da forma tradicional, porém, ao utilizar um smart contract tem-se o benefício de reduzir custos com intermediários, pois a execução pode ser feita digitalmente e de forma autônoma;
Emissão de tokens:essa é a forma mais comum de encontrarmos a utilização de contratos inteligentes no mercado de criptoativos. Normalmente, um smart contract está atrelado a um token, pois facilita sua emissão, além de garantir mais segurança;
Empréstimos:são muito utilizados em plataformas que oferecem empréstimos em criptomoedas, como Bitcoin, Ethereum, etc. O processo se assemelha a um empréstimo em banco tradicional, porém, aqui se configura sem necessidade de terceiros;
Exchanges descentralizadas:também conhecidas como DEX, as exchanges descentralizadas, diferentemente das corretoras centralizadas, não estão ligadas a um livro de oferta ou pessoas ou organizações, por exemplo. Nelas, todo controle se dá por meio dos smart contracts.
Stablecoins:uma stablecoin é uma criptomoeda que fica pareada com uma moeda fiduciária (ex.: real, dólar) ou com um ativo digital. As regras de ajuste de valor e outros acordos podem ser feitos via smart contract.

Como fazer um contrato inteligente?

Contratos tradicionais são elaborados utilizando uma linguagem de um domínio do conhecimento específico, como o jurídico, o empresarial ou o imobiliário, por exemplo. Porém, ao redigir um smart contract, utiliza-se a linguagem da programação.

Sendo assim, para exemplificar podemos imaginar o caso de redigir um testamento: um advogado redige o documento em comum acordo com seu cliente. Entretanto, tratando-se de um smart contract, os acordos ali descritos, como herdeiros, condições e valores, precisam ser transcritos para a linguagem da programação por um profissional com conhecimento técnico.

Continua após a publicidade

Passo a passo de como criar um smart contract

  1. negociação: essa parte ocorre da mesma forma que em um contrato tradicional. As partes envolvidas no acordo discutem as regras e cláusulas do contrato, deixando evidente o resultado de cada ação, caso cumprida ou não;
  2. redigir o contrato: nessa etapa o contrato é redigido em linguagem jurídica, para posteriormente auxiliar o desenvolvedor de sistema que irá transcrever o documento para a linguagem da programação;
  3. adaptar a linguagem do contrato: aqui, a linguagem jurídica é codificada em forma de blocos de códigos. Portanto, é comum que profissionais do direito contem com o auxilio de profissionais de tecnologia nessa etapa;
  4. criar uma carteira digital: as carteiras de criptomoedas, ou wallets, são instrumentos virtuais ou portáteis para armazenar criptoativos. É necessário ter uma carteira digital conectada com a conta da rede blockchain na qual o contrato será registrado e publicado.

Portanto, quando essas etapas terminam, o contrato inteligente está pronto para a publicação, protegido de alterações e fraudes.

Quais são as vantagens e desvantagens dos smart contracts?

Percebemos que os smart contracts trazem alguns benefícios, não é mesmo? Mas, também é possível pontuar pontos negativos. Confira algumas vantagens e desvantagens dos contratos inteligentes:

VantagensDesvantagens
vantagem eficiência: menos burocracia e maior velocidade devido dispensar terceiros;desvantagens falta de regulação: não existe regulação em uma blockchain, o que pode dificultar a criação do documento;
vantagem segurança: proteção altamente eficaz da blockchain, garantindo transparência e confiança;desvantagens erros: os códigos são escritos manualmente, porém, não podem ser alterados. Erros nos códigos podem resultar em ataques.
vantagem redução de custos: há menos intervenção humana e menor demanda de muito espaço de armazenamento, como há em contratos tradicionais.desvantagens custos de implantação: é preciso uma equipe de programadores experiente, para evitar erros; além disso, há necessidade de criar infraestrutura para utilizar a blockchain.

Por que os smart contracts estão revolucionando as relações comerciais?

Os smart contracts possuem alto potencial para serem incorporados por diversos setores. Sendo assim, sua aplicação vai muito além do meio digital.

Confira algumas possibilidades de aplicação dos smart contracts:

  • setor imobiliário;
  • eleições;
  • indústria fonográfica;
  • marketplaces;
  • logística;
  • contratos de seguros;
  • eventos esportivos.

Quais são os desafios para a implementação dos contratos inteligentes?

Mas, se os smart contracts apresentam tantos benefícios, como não notamos a disseminação desse tipo de contrato por aí? Acontece que, embora os contratos inteligentes possuam o potencial que descrevemos neste artigo, ainda existem alguns pontos para que esse tipo de contrato esteja mais presente nas negociações.

Continua após a publicidade

Um dos principais desafios para a implementação dos contratos inteligentes é unir os conhecimentos jurídico e tecnológico. É esse fator que garante a criação de um bom smart contract.

Portanto, podemos pensar da seguinte forma: erros nos códigos podem comprometer o cumprimento das cláusulas. Entretanto, mesmo que um código funcione bem, os termos do contrato podem ser contestados juridicamente.

Percebeu? É necessário um bom trabalho de equipe e habilidades específicas para se fazer um bom contrato, algo que ainda é um desafio.

Como evitar golpes com smart contracts?

Como mencionamos, no mercado de criptoativos, assim como em demais segmentos financeiros, é comum notarmos casos de fraudes ou promessas enganosas. Porém, isso pode ser evitado com medidas que podem aumentar sua segurança.

Continua após a publicidade

Confira as dicas que separamos para evitar golpes com smart contracts:

  • pesquise sobre os projetos;
  • guarde bem a chave privada da sua wallet;
  • desconfie de promessas exageradas.

Conclusão: smart contracts são seguros?

Além de inovadores, podemos considerar os smart contracts confiáveis e seguros. Além disso, contratos autoexecutáveis têm o princípio da confidencialidade e garantia de tornar mais eficientes as negociações. Assim, também pelo fato de se configurarem em uma blockchain, os contratos inteligentes se tornam ainda menos passíveis de ataques.

Entretanto, prestar atenção a alguns processos é fundamental para viabilizar a segurança. Sendo assim, ao criar um smart contract, é importante se atentar à transcrição dos códigos e criação das cláusulas, por exemplo.

Da mesma forma, garantir segurança digital é imprescindível. Por isso, vale a pena conferir as dicas de como evitar golpes com smart contracts que mencionamos acima.

Perguntas Frequentes

  1. O que significa smart contracts?

    Smart contracts ou “contratos inteligentes” são capazes de executar transações de forma descentralizada e automaticamente, reduzindo a intemediação humana. Com eles, podemos garantir que as condições firmadas em contrato sejam cumpridas, de forma autoexecutável.

  2. Como a blockchain é utilizado nos smart contracts?

    A validação e verificação das regras dos smart contracts são feitas em uma blockchain. Toda informação é criptografada e imutável, garantindo ainda mais segurança para o processo.

  3. Qual a diferença entre um contrato inteligente e um contrato tradicional?

    Os contratos inteligentes se configuram digitalmente, são autoexecutáveis e requerem menos intervenção humana. Já um contrato tradicional normalmente é físico, em papel, contando com mais demandas de terceiros.

Continua após a Publicidade

José Antônio Milagre Advocacia. “Como analisar criptomoedas e NFTs para identificar scam, golpes, fraudes e evitar ser vítima?”. Link.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.