Inflação do aluguel sobe: em 12 meses, IGP-M passa de 18,20% para 20,56%

O Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), conhecido como inflação do aluguel, passou de 18,20% para 20,56%, conforme o FGV IBRE.

LilianCH
Lilian Calmon

Em 12 meses, o Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M), conhecido como inflação do aluguel, sobe e passou de 18,20% na segunda prévia de setembro para 20,56% na segunda prévia de outubro. A informação foi divulgada pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV IBRE) na última terça-feira, 21.

Inflação do aluguel sobe, mas IGP-M cai de setembro para outubro

Na segunda prévia de outubro, o IGP-M registrou inflação de 2,92%, número inferior aos 4,57% da segunda prévia de setembro.

Continua após a publicidade

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que mede o varejo, subiu de 0,38% para 0,71%. Já o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) passou de 0,98% para 1,50%.

Por fim, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) teve alta de 3,75% no segundo decêndio de outubro.

“A desaceleração observada nas taxas de variação de algumas commodities, principalmente minério de ferro (17,01% para -0,34%), contribuíram para o recuo do índice de preços ao produtor. Os demais índices componentes do IGP seguem em aceleração. O IPC registra o avanço dos preços dos alimentos (0,80% para 1,66%) e o INCC, o aumento dos preços de materiais e equipamentos (2,52% para 3,69%)”, explicou o coordenador dos Índices de Preços do FGV IBRE, André Braz.

Entenda o que é o IGP

Criado no final dos anos de 1940, o Índice Geral de Preços (IGP) serve como um indicador mensal do nível de atividade econômica dos principais setores do país. O IGP possui três versões com coleta de preços encadeada: 

  • IGP-10 – com base nos preços apurados dos dias 11 do mês anterior ao dia 10 do mês da coleta;
  • IGP-DI – de 1 a 30;
  • Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M) – é o mais popular deles e apura informações sobre a variação de preços do dia 21 do mês anterior ao dia 20 do mês de coleta.

O cálculo do IGP-M, assim como o dos outros dois indicadores, leva em conta a variação de preços de bens e serviços. Também sçao consideradas as matérias-primas utilizadas na produção agrícola, industrial e construção civil. 

Logo, o resultado do IGP-M é a média aritmética ponderada da inflação do IPA, do IPC e do INCC. 

Diferentemente da média aritmética comum, a média aritmética ponderada considera o peso (contribuição) de cada componente. No caso do IGP-M, o IPA tem peso de 60%, o IPC de 30% e o INCC de 10%.

Para ler a matéria do FGV IBRE na íntegra, clique aqui.

Quer continuar acompanhando as notícias sobre inflação do aluguel? Então, não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro e ativar as notificações do Push.

Continua após a Publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.