Investimentos, Notícias

Fundo de investimento em imóveis nos EUA chega ao Brasil, mas somente para investidores profissionais

Lilian Calmon
Lilian Calmon
Orla da praia de Miami com bandeira dos EUA e prédios ao fundo representando fundo de investimento em imóveis nos EUA chega ao Brasil

Um fundo de investimento em imóveis nos EUA chegou ao Brasil para investidores profissionais. Novidade é opção para diversificar a carteira.

OUm fundo de investimento em imóveis nos EUA chega ao Brasil, mas somente para investidores profissionais. Ou seja, apenas para quem têm R$ 10 milhões em ativos financeiros ou tal qualificação reconhecida pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM)

O foco do investimento é a construção de empreendimentos como hotéis, prédios e clínicas de saúde em lugares da faixa sul dos EUA, como Miami, que tem recebido uma migração de pessoas, principalmente, em decorrência da Covid-19.

Continua após a publicidade

Trazido pela empresa norte-americana de private equity Participant Capital, que faz parte do grupo Royal Palm, o produto terá a gestão feita pela Fronteira Asset Management e a administração pelo BTG Pactual.

As informações são do Valor Investe.

Fundo de investimento em imóveis nos EUA chega ao Brasil: ganho será com a venda

O investidor ganhará com a venda do imóvel e não com aluguel. O produto tem liquidez do produto é baixa, então especialistas recomendam tê-lo em carteira por, pelo menos, cinco anos, já que o empreendimento deve ficar pronto nesse tempo. Caso venha a querer vender sua cota, ele pode ter que esperar quase um ano por isso.

Em 2019, nos EUA, o fundo rendeu 13,9%. No Brasil, a expectativa é que tenha um rendimento de 12% a 13% ao ano.

“Ele é um produto interessante para o investidor brasileiro como forma de diversificação, como uma estratégia para fugir do risco-país, das incertezas políticas e econômicas que há no Brasil. Não falamos para a pessoa colocar todo o dinheiro lá, mas para diversificar”, disse a executiva de distribuição da Participant, Bruna Maccari.

Segundo ela, o setor de construção norte-americano a Covid-19 não afetou o setor nos EUA. “As construções não pararam nos EUA. Os nossos projetos continuaram em andamento, todas as licenças que precisávamos ter a gente já tinha antes da pandemia, então não fomos afetados diretamente como aconteceu com a bolsa ou com os fundos imobiliários que dependiam de aluguel”, afirmou.

O aporte mínimo inicial para investimento nesse produto é de R$ 100 mil e a taxa de administração é de 1% ao ano. A partir de outubro de 2021, passará a ser de 2% ao ano.

Quer continuar acompanhando as notícias sobre a chegada ao Brasil de fundo de investimento em imóveis nos EUA? Então, não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro e ativar as notificações do Push.

Publicidade

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *