Declaração do Imposto de Renda completa ou simplificada? Veja qual é a melhor para você

Veja como escolher o tipo de declaração de IR e opte por aquele que é mais vantajoso para você!

B612_20210521_152657_024_2
Melissa Nunes

Todo ano o Leão começa a rugir e — com o perdão do trocadilho — é preciso enfrentá-lo e acertar as contas com ele. Para quem vai declarar imposto de renda pela primeira vez, esse momento pode ser ainda mais confuso. E é aqui que, entre outros questionamentos, surge a seguinte dúvida: é melhor fazer a declaração do Imposto de Renda completa ou simplificada?

Esses são os dois modelos disponíveis. Um está mais adequado a determinados contribuintes, enquanto o outro tem um foco diferente. Então, como saber qual é o ideal para você? A resposta depende de uma análise das suas condições. Para ajudar, criamos este post com esses tópicos:

Continua após a publicidade

Bonequinho conferindo um checklist.
  • Diferença entre a declaração do Imposto de Renda completa e simplificada
  • Quando escolher entre o modelo completo e o simplificado?
  • Qual modelo ideal para você?
  • Outras dúvidas sobre os modelos de declaração do IR

Que tal conferir todas essas informações e “matar esse Leão” em 2022 pagando o mínimo de impostos ou aumentando o valor da sua restituição?

Qual a diferença entre a declaração do Imposto de Renda completa e simplificada?

Ao instalar e abrir o programa da Receita Federal, você verá que existe apenas um formulário a preencher. Portanto, a declaração do Imposto de Renda completa ou simplificada pouco importa nesse primeiro momento.

Continua após a publicidade

A diferença aparecerá na hora do cálculo. Ou seja, a cada informação tributável inserida, haverá uma restituição ou um valor a pagar diferente. Tudo depende do modelo adotado. Isso significa que as informações necessárias são as mesmas em ambas as alternativas. O que vai determinar a sua escolha é o seu perfil de gastos.

Declaração do Imposto de Renda Simplificada

No caso da declaração simplificada, o programa aplica um desconto padrão de 20% para todos os contribuintes. Ele é executado sobre a base de cálculo dos tributos. A dedução máxima é de R$ 16.754,34. Por isso, se você tiver gastos dedutíveis que tenham uma soma mais elevada, vale a pena optar pelo outro modelo.

Mas, como saber isso? Se você usar nosso checklist dos documentos necessários para o Imposto de Renda 2022 para se organizar, terá os comprovantes e registros que comprovam as deduções em mãos.

Assim, pode fazer uma estimativa. Quer ver um exemplo? Se você tem dois filhos pequenos como dependentes, cada um deles permite deduzir, pelo menos, R$2.275,08.

Continua após a publicidade

Isso porque, além desse valor por dependente, despesas com educação (matrícula e mensalidade escolar) e saúde dos pequenos, assim como do restante da família (se forem seus dependentes), também podem ser abatidas do seu imposto se você é o responsável por elas.

Então, aqui vai um cálculo básico como exemplo:

  • 2 (filhos dependentes) x R$ 2.275,08 = R$ 4.550,16
  • despesas com educação (duas crianças) x R$ 3.561,60 = R$ 7.123,20
  • plano de saúde (duas crianças) x R$ 2.400,00 = R$ 3.600,00

O total de deduções será de R$ 16.473,36, muito próximo do valor máximo de dedução do modelo simplificado, certo?

Então, somando as outras deduções que você tem direito (se você fez um MBA em 2021, também pode deduzir), a declaração do Imposto de Renda Completa pode ser mais vantajosa.

Declaração do Imposto de Renda Completa

Por sua vez, a declaração completa faz a análise de todos os gastos a deduzir e realiza o desconto proporcional. No entanto, também existem algumas limitações.

Continua após a publicidade

As despesas com saúde são deduzidas de forma integral. Por sua vez, os gastos com educação são limitados individualmente a R$ 3.561,50 por ano. Além disso, por dependente, o teto é R$ 2.275,08. É necessário guardar todos os comprovantes das despesas dedutíveis pelo prazo de 5 anos, conforme determina a Receita Federal.

A declaração do imposto de renda completa é bastante usada por profissionais autônomos, como médicos, pois permite o uso do livro-caixa, que permite o abatimento de outras despesas relacionadas a atividade profissional.

Nesse momento, você deve estar pensando: “para que eu vou saber como fazer a declaração do Imposto de Renda simplificada, se a completa parece mais interessante?”.  A questão é que isso nem sempre acontece. Automaticamente, o programa da Receita Federal está configurado para apresentar o layout do formulário completo.

No entanto, conforme as informações são inseridas, o próprio sistema informa qual é a melhor alternativa para você.

Continua após a publicidade

Quando o contribuinte escolhe entre o modelo completo e o simplificado?

Qualquer pessoa tem o direito de escolher entre a declaração do IR completa ou simplificada. Como dissemos, o programa do IRPF 2022 sempre vai solicitar as mesmas informações.

Então, o que muda? É preciso entender como funciona a declaração do Imposto de Renda. Primeiro, você deve informar todos os gastos, como se estivesse preenchendo o modelo completo.

Depois de terminar de digitá-los, você poderá verificar uma simulação de como ficaria seu imposto na última janela chamada “Opção pela tributação”. Ela fica no canto esquerdo da tela. Por isso, pode ser consultada a qualquer momento durante o preenchimento do formulário.

Então, na simulação, o modelo completo pode indicar que você deve pagar R$ 800,00 de imposto, enquanto na simplificada, esse valor aumente para R$ 950,00. Nesse caso, você vai optar pela primeira opção e lançar.

Continua após a publicidade

Todavia, em outra situação simulada, pode ser que sua restituição pelo modelo completo seja R$ 2.000, enquanto a simplificada contabilize R$ 2.100. Nesse caso, vale optar pela segunda.

Quando acontece a definição do modelo da declaração do IRPF 2022?

A definição do modelo e valor a ser pago ou restituído somente ocorrerá ao final, depois das simulações, inclusive. Fazendo a comparação, você escolhe a mais vantajosa e transmite sua declaração com a opção selecionada. Simples assim!

No entanto, vale lembrar que é obrigatório apresentar todos os dados à Receita Federal, se solicitados. Entre eles, estão:

  • fontes de renda própria e de dependentes;
  • patrimônio atual;
  • investimentos financeiros;
  • impostos descontados na fonte;
  • recolhimentos feitos pelo carnê-leão, no caso de autônomos e proprietários de imóveis que recebem valores derivados de locação;
  • despesas com saúde e educação;
  • contribuições para a Previdência Social.

Qual delas é ideal para você?

Bonequinho escolhendo entre duas portas, representando as duas opções de IR disponíveis.

Modelo de Declaração do Imposto de Renda Completa ou Simplificada, qual a melhor para mim?

Mais do que saber como fazer a declaração do Imposto de Renda, é preciso saber o que é melhor: formulário completo ou simplificado. Como destacamos antes, tudo depende do seu perfil de gastos.

Continua após a publicidade

O motivo para isso é que os valores desembolsados durante o ano impactam no volume das deduções. Portanto, pode haver mais imposto a pagar ou uma restituição maior. Diante desse contexto, é normal ficar em dúvidas sobre a escolha entre a declaração de Imposto de Renda completa ou simplificada.

Além disso, outro pensamento que passa na cabeça dos contribuintes é: qual delas tem chance maior de ir para a malha fina, não é mesmo? Essa dúvida é muito comum e a maioria dos contribuintes acredita que a declaração do imposto de renda completa é um alvo mais visado por permitir descontos maiores.

No entanto, a Receita Federal usa tecnologias de dados avançadas que analisam as declarações com os mesmos critérios e rigorosidade. Em outras palavras, não é o modelo completo ou simplificado do IRPF 2022 que vai te jogar na malha fina, mas as informações inconsistentes!

Perfil do contribuinte da Declaração do Imposto de Renda completa

Esse modelo é ideal para quem tem muitos gastos a deduzir. Há várias categorias que se enquadram nesse cenário. Entre as principais, estão:

Continua após a publicidade

Nesse caso, todos os gastos devem ser apresentados de forma detalhada. Essa é a melhor opção quando a somatória de deduções possíveis ultrapassa R$ 16.754,34 (que é o teto do modelo simplificado). É importante destacar, ainda, que existem duas situações em que é obrigatório optar pela declaração do Imposto de Renda completa:

  • compensação de prejuízo de atividade rural;
  • imposto pago no exterior.

Perfil do contribuinte da Declaração do Imposto de Renda simplificada

É o formulário indicado para quem tem poucos gastos dedutíveis. É aplicada a alíquota de 20% sobre a base de cálculo. Contudo, o limite máximo é de R$ 16.754,34.

Apesar desse detalhe, todos os dados devem ser declarados da mesma forma. Aqui, também entram aqueles retidos na fonte. Afinal, esses valores serão excluídos do cálculo final.

A vantagem do modelo simplificado é a possibilidade de utilizá-lo qualquer que tenha sido a quantia recebida no ano anterior e o total de fontes pagadoras.

Continua após a publicidade

Além disso, uma situação em que vale a pena optar pela declaração do Imposto de Renda simplificada é na titularidade de um plano de previdência privada Vida Gerador de Benefício Livre (VGBL). Ele não permite fazer deduções anuais, mas traz o benefício tributário na hora de fazer o resgate dos valores. Por isso, é interessante para esse modelo de declaração.

Declaração do Imposto de Renda completa ou simplificada: já sabe qual é a melhor para você?

envio da Declaração do Imposto de Renda completa ou simplificada

Regra geral: quem tem muitos gastos a deduzir opta pelo modelo completo e quem tem poucos gastos a deduzir escolhe o formulário simplificado.

Você pode escolher entre a declaração do Imposto de Renda completa ou simplificada. Os dois modelos estão disponíveis e funcionam da mesma forma.

A diferença está no cálculo. No caso do modelo simplificado, é um desconto padrão. No completo, depende dos gastos efetuados no ano anterior. Ou seja, não tem relação com a complexidade da execução da declaração, ok?

A melhor forma de saber qual é a melhor opção para você é conferindo diretamente no programa da Receita Federal, enquanto você preenche as informações. Dessa maneira, você tem a quantia correta para considerar e tomar sua decisão. De todo modo, você pode partir da seguinte regra geral:

  • quem tem muitos gastos a deduzir opta pelo modelo completo;
  • quem tem poucos gastos a deduzir escolhe o formulário simplificado.

Conclusão

Junto do começo de ano já sabemos que virão as contas, e precisamos nos acertar com elas. O Imposto de Renda pode parecer um “bicho de 7 cabeças” mas, quando você entende a dinâmica, fica fácil de entender, nós garantimos. Assim, após analisar tudo que foi exposto, nós acreditamos que você já consegue distinguir a declaração do IR completa da simplificada!

É válido lembrar que uma não é melhor do que a outra, apenas se enquadra melhor na sua situação. Tendo isso em vista, em qual modelo você se enquadra? Analise suas informações e decida se é melhor fazer a declaração do Imposto de Renda completa ou simplificada!

Sugestões de leitura do iDinheiro:

Perguntas frequentes

  1. Quem pode declarar IR simplificado?

    Qualquer pessoa pode optar pela declaração simplificada do Imposto de Renda, assim, basta ter certeza de que essa é a melhor alternativa para você.

  2. Quais as desvantagens do modelo simplificado para quem faz Livro Caixa?

    Com o detalhamento do Livro Caixa, tende a ser mais interessante preencher a declaração completa do IR. Ainda assim, você pode optar pelo modelo simplificado. O ideal é verificar os seus dados e o cálculo do programa da Receita Federal. Somente dessa forma é possível fazer uma escolha correta.

  3. Como fazer a declaração do Imposto de Renda simplificada?

    Todos os rendimentos tributáveis, não tributáveis, dedutíveis, etc. devem ser inseridos no formulário. Portanto, o procedimento da declaração é igual. O que muda é apenas o cálculo do valor a pagar a restituir. Por isso, é preciso verificar a simulação do programa para tomar a decisão certa.

  4. É possível ter valor a pagar na declaração do IR simplificada?

    Sim, tanto no modelo completo quanto no simplificado, o cálculo feito pelo programa pode apresentar valor a pagar ou a restituir. No primeiro caso, você pagou menos impostos do que deveria no ano anterior e precisa quitar o que ficou faltando para ficar em dia com a Receita Federal. Se houver quantia a restituir, significa que você pagou mais tributos do que era esperado no ano anterior, assim, o governo devolve parte desse montante.

  5. Quando devo enviar minha declaração do imposto de renda completa ou simplificada em 2022?

    A Receita Federal já liberou o programa de declaração e estabeleceu o prazo final para a transmissão dos dados até o dia 29 de abril de 2022. Todavia, quanto antes você enviar, mais rápido receberá sua restituição do imposto de renda, caso tenha direito a ela. Os lotes de restituição são organizados de acordo com a data de entrega. Portanto, envie o quanto antes.

  6. É possível fazer declaração retificadora tanto no modelo completo do IR quanto no simplificado?

    Sim. A retificadora é uma forma de corrigir ou complementar alguma informação da declaração já enviada e fica disponível até que a Receita Federal inicie a análise dos dados da sua transmissão.

Continua após a Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.