Custo de vida: o que é e como calcular o seu?

Você sabe o que é custo de vida? Aprenda o que esse termo é, o que ele representa e como pode afetar diretamente suas finanças pessoais.

Karina Carneiro
Karina Carneiro

Muito se fala sobre custo de vida, mas algumas pessoas ainda podem ter dúvidas sobre o que é e como calcular esse índice. Embora seja um conceito simples, existem vários componentes que podem influenciar no cálculo do valor das suas despesas e necessidades.

No entanto, depois de entender como esse planejamento realmente funciona, você poderá não apenas ter um controle financeiro eficiente, como também poderá alcançar uma boa qualidade de vida.

Continua após a publicidade

Pensando nisso, preparamos esse guia especial sobre custo de vida, com tudo que você precisa saber para calcular o seu de maneira efetiva, além de dicas para viver com qualidade e economia.

O que é custo de vida?

O custo de vida nada mais é que a soma de todas as suas despesas mensais, sejam elas individuais ou compartilhadas. Esse cálculo inclui todos os tipos de despesas, incluindo gastos básicos como:

Continua após a publicidade

  • moradia;
  • alimentação;
  • combustível;
  • lazer;
  • assistência médica;
  • necessidades do dia a dia.

Em resumo, envolve todos os custos mínimos necessários para que você tenha acesso a serviços básicos de sobrevivência.

Além disso, é importante ressaltar que o custo de vida é um valor individual ou familiar, e pode variar de acordo com fatores como renda, estilo de vida e condições de cada pessoa ou família.

Índice de custo de vida

Enquanto isso, é possível que você encontre outro conceito de custo de vida, que se trata, na verdade, de um índice econômico, o ICV. Nesse caso, é feita a soma dos preços médios de alguns bens e serviços, para determinar o custo em determinado lugar, como uma cidade ou país.

O objetivo desse índice é indicar para as pessoas quanto custa para viver no local de comparação, além de informar a média dos valores dos principais serviços. Assim, o conceito de índice de custo de vida é uma referência coletiva, que independe das condições individuais de cada pessoa. Por isso, o seu custo de vida pode ser maior ou menor do que o indicador da sua cidade, por exemplo.

Continua após a publicidade

Além disso, existem instituições específicas que divulgam seu próprio índice, como o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ou a Fundação Instituto de Pesquisa Econômica (FIPE).

Por que é importante saber seu custo de vida?

Muitas pessoas podem acreditar que saber o custo de vida se trata apenas de uma questão de planejamento econômico, mas esse conceito possui uma relevância ainda maior. Afinal, é por meio desse indicador que você poderá organizar o seu orçamento, determinar suas prioridades e adotar práticas financeiras mais saudáveis.

Isso poderá te tornar mais responsável com suas próprias finanças, além de desenvolver uma consciência mais prática sobre dinheiro.

Em resumo, saber o seu custo de vida e quanto custa para viver em determinado lugar, ou com determinado padrão, é essencial para ter qualidade e bem-estar no dia a dia, sem imprevistos ou carência financeira.

Continua após a publicidade

Como calcular custo de vida? 

Depois de entender melhor o que é e qual a importância do custo de vida, é simples realizar o seu cálculo: basta fazer a soma dos seus gastos fixos e gastos variáveis.

Os gastos fixos compreendem todas as contas que se mantém mês a mês, como:

  • conta de água e energia;
  • gás;
  • convênio médico;
  • internet;
  • telefone;
  • mensalidade escolar.

São as despesas que você sabe que deverá quitar todos os meses para manter a sua sobrevivência e uso de serviços básicos.

Enquanto isso, os gastos variáveis, como o nome indica, podem mudar a cada período. Elas podem incluir:

  • reparos inesperados;
  • viagens;
  • gastos com combustível;
  • gastos com alimentação;
  • impostos, como IPTU;
  • compras pontuais.

Essas despesas são mais flexíveis, e, geralmente, não entram na definição de custo de sobrevivência, embora muitas contas sejam essenciais.

Continua após a publicidade

Há quem separe, ainda, os gastos fixos como aqueles cujo valor não varia mês a mês e o resto, incluindo contas da casa, como despesas variáveis. No entanto, não importa muito a maneira como você organiza, mas, sim, que o resultado seja parecido.

Então, depois de determinar todos os seus gastos, basta somá-los para encontrar a média do seu custo de vida mensal.

icon

Dica

Essa é uma média que pode ajudar a prever gastos futuros, planejar e até servir de base para montar a sua reserva de emergência. Considere, também, que haverão meses com mais ou menos despesas, como em datas comemorativas, meses de pagamento de impostos e etc.

Como gastar menos do que ganha?

Inúmeros imprevistos ou situações podem exigir que você gaste mais do que ganha. Por exemplo, uma despesa adicional inesperada, a crise econômica ou uma emergência médica. 

Em todos esses contextos, pode ser necessário reduzir os gastos, até que a sua receita seja maior que suas despesas. Assim, o primeiro passo é analisar o seu custo de vida e determinar o que é possível reduzir, principalmente entre os gastos variáveis, que são mais flexíveis.

Continua após a publicidade

Geralmente, isso inclui gastos com lazer ou outras contas, que não são essenciais. Se o objetivo é gastar menos do que ganha, é fundamental reduzir despesas desnecessárias.

Outra dica é evitar parcelamentos e comprometer o orçamento a longo prazo. Sempre priorize pagamentos à vista, para ter um controle mais dinâmico. Além disso, para ser capaz de realizar essa organização, ter um bom planejamento é fundamental.

Como saber o custo de vida no Brasil e em outros países?

Como mencionamos, o conceito de custo de vida também pode se aplicar em determinados lugares, como cidades ou países. Assim, para saber o valor médio necessário para viver nesses lugares, é possível consultar as instituições que realizam esse cálculo, como o IBGE.

No entanto, também existem sites de colaboração que disponibilizam informações sobre o custo de vida no Brasil e em outros países.

Continua após a publicidade

É o caso do Custo de Vida e do Expatistan, por exemplo. Nesses portais, os usuários realizam colaborações informando os preços de diversos bens e serviços da região onde vivem. Dessa forma, outros usuários podem conferir as comparações e o valor aproximado de acordo com os moradores.

Quais as cidades mais caras do Brasil e do mundo?

De acordo com esse medidor, o site determina algumas das cidades mais caras do mundo. Segundo o ranking do site Custo de Vida, os lugares mais caros para morar são:

  • Assis, SP;
  • Joinville, SC;
  • Florianópolis, SC;
  • Rio de Janeiro, RJ;

Além disso, de acordo com o levantamento anual do The Economist, divulgado pela BBC, as cidades mais caras do mundo são:

  • Zurique, Suíça;
  • Paris, França e 
  • Hong Kong, China.

São Paulo e Rio de Janeiro ocupam a 119° posição do ranking global, mas continuam na lista de cidades mais caras do Brasil.

Continua após a publicidade

Quais as cidades mais baratas do Brasil?

Por outro lado, o Custo de Vida também divulgou algumas das cidades mais baratas para morar:

  • São João da Boa Vista, SP;
  • Poços de Caldas, MG;
  • Valinhos, SP;
  • Andradas, MG;

No entanto, é importante lembrar que o ranking do site é baseado nas recomendações dos usuários, e pode ter variações de custo.

Como viver “um degrau abaixo” 

Viver “um degrau abaixo” significa diminuir o padrão de vida, principalmente, para atingir diferentes objetivos. Para isso, um dos primeiros passos é ter uma boa organização financeira. É com ela que você poderá calcular o seu custo de vida, e saber quais despesas cortar ou diminuir.

Uma das principais dicas é cortar os gastos variáveis que forem desnecessários, e, assim, conseguir diminuir um pouco as despesas.

Continua após a publicidade

No entanto, em algumas situações o índice de custo de vida do lugar também é elevado, não permitindo que você consiga abaixar o seu padrão individual. Nesse caso, pode ser interessante avaliar outras opções, como se mudar para regiões, ou mesmo cidades, mais baratas.

Custo de vida e reserva de emergência 

O custo de vida também tem um papel fundamental para determinar a sua reserva de emergência. É a partir desse cálculo que você poderá estabelecer o valor que deseja poupar para essa finalidade.

Geralmente, o indicado é guardar cerca de 6 meses do seu custo de vida como fundo de emergência. Entretanto, essa quantia pode variar de acordo com as suas necessidades, e o número de meses que você deseja ficar seguro. Quanto maior sua reserva, mais meses de garantia.

Por isso, é essencial calcular seu custo de vida integral antes de começar a reservar, para compreender melhor suas despesas e quanto poupar para cobri-las.

Continua após a publicidade

Vale a pena conhecer o meu custo de vida?

Apesar de simples, o custo de vida é um conceito de extrema importância para o seu planejamento financeiro e cotidiano. Afinal, é  por meio deste cálculo que você poderá ter um conhecimento mais profundo e completo sobre suas próprias necessidades e gastos.

Dessa forma, poderá realizar um controle muito mais eficiente do seu dinheiro, além de conhecer melhor as suas despesas e como administrá-las. 

Além disso, conhecer esse conceito também ajuda a definir as cidades mais baratas e caras para se viver, o que pode ser essencial para os seus planos.

Sendo assim, vale a pena não apenas saber o que é custo de vida, como também calculá-lo e aplicá-lo no seu dia a dia, para atingir seus objetivos com mais facilidade e ter uma boa qualidade de vida.

Gostou do conteúdo? Ative as notificações do Push e assine a newsletter do iDinheiro para receber mais novidades!

Continua após a Publicidade

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.