Guia: você realmente precisa de um empréstimo pessoal?

Atualmente, é possível adquirir um empréstimo pessoal diretamente pelo seu computador. Será mesmo que você precisa contratar? Entenda!

LinkedIn
Ana Júlia Ramos

Guia: você realmente precisa de um empréstimo pessoal?

Atualmente, é possível adquirir um empréstimo pessoal diretamente pelo seu computador. Essa praticidade deixou esse tipo de serviço mais acessível para as pessoas. 

Afinal, não existe burocracia e tudo pode ser feito pela internet. No entanto, algumas pessoas não conseguem avaliar se o empréstimo vale a pena para o momento que vive. 

Continua após a publicidade

Então, em vez de ser uma escolha positiva, acaba atrapalhando ainda mais a situação financeira.

A fim de ajudar nessa reflexão, criamos este post. Continue lendo e descubra se você realmente precisa de um empréstimo.

Continua após a publicidade

O que é um empréstimo pessoal?

O empréstimo pessoal é um produto oferecido por instituições financeiras para qualquer pessoa que precise de dinheiro e seja aprovada no processo de análise de crédito. 

A resposta positiva depende de cumprir os requisitos solicitados, que podem ser:

  • estar com o nome limpo, ou seja, fora da lista de devedores;
  • comprometer, no máximo, 30% da renda com as prestações;
  • apresentar os documentos exigidos.

O dinheiro pode ser usado para qualquer finalidade. O pagamento, geralmente, começa em 30 dias a partir da contratação.

A parcela pode ser debitada da conta-corrente ou quitada por meio de boleto. Em qualquer um dos casos, cada uma delas sofre o acréscimo de juros.

Assim, além do valor contratado, você terá que pagar uma quantia extra para o banco. Esse valor serve para compensar os riscos de inadimplência.

Continua após a publicidade

De toda forma, o empréstimo pessoal pode ser uma boa alternativa para organizar as finanças e sair do vermelho.

Tanto é que a procura por essa modalidade de crédito cresceu 113% somente no segundo trimestre de 2020.

Conheça situações em que o empréstimo pessoal vale a pena

Qualquer linha de crédito precisa ser uma opção que contribuirá para a sua saúde financeira. 

Não pode ser o fator que vai atrapalhar ainda mais a sua renda, aumentando as dívidas e as preocupações.

Continua após a publicidade

A seguir, vamos apresentar algumas situações em que vale a pena solicitar o empréstimo pessoal.

Limpar o nome no mercado

Em certas situações, o acúmulo de dívidas pode fazer com que a pessoa tenha o nome cadastrado na lista de devedores do SPC e da Serasa Experian. 

Ao estar com o nome sujo, várias oportunidades do mercado são perdidas, porque você deixa de ter um score positivo.

Essa é uma pontuação usada pelos órgãos de proteção ao crédito que mostra o seu relacionamento com o comércio e as instituições financeiras.

Continua após a publicidade

Quando o score é ruim, há impedimento para fazer novas prestações, além de gerar um grande desconforto psicológico.

Ao solicitar um empréstimo, você pode quitar a sua dívida e retirar o seu nome da lista de inadimplentes.

No entanto, é importante fazer uma avaliação sobre o crédito a ser contratado. Quando ele é mal planejado, é possível que você liquide uma dívida antiga, mas acabe gerando uma nova.

Utilizar o dinheiro para uma emergência

Imprevistos podem acontecer e deixar muitas pessoas apavoradas e de “cabelo em pé”. Várias situações podem se enquadrar aqui.

Continua após a publicidade

Por exemplo, o seu carro é o seu meio de trabalho e acabou de estragar. Para levá-lo ao mecânico, vai ser preciso desembolsar uma boa grana. 

Sem uma reserva emergencial, o empréstimo se torna a salvação deste problema. Isso também pode acontecer com um problema de saúde, uma viagem inesperada e mais.

De toda forma, é importante tomar cuidado. A escolha errada do empréstimo pode dificultar o pagamento de todas as prestações. 

O que isso significa? Uma nova dívida no seu nome.

Continua após a publicidade

Ah! Antes de escolher o empréstimo, tenha certeza de que a quantia solicitada é necessária para quitar o imprevisto. Caso contrário, você pode acabar se endividando.

Possuir dívidas com juros superiores

O empréstimo pode ser uma grande alternativa para as pessoas que possuem dívidas com juros mais elevados. A ideia é fazer a troca de uma mais cara para outra mais barata. 

Assim, você paga o débito em aberto com incidência de juros altos e fica apenas com as parcelas do empréstimo pessoal. 

Para essa situação, é primordial avaliar o Custo Efetivo Total (CET) pago na dívida atual e na nova que será contratada.

Esse percentual apresenta os juros e todas as outras taxas do empréstimo. A partir dessa análise, você vai identificar se o empréstimo escolhido vale mesmo a pena.

Continua após a publicidade

Onde contratar um empréstimo pessoal?

A solicitação do crédito pode ser feita de várias formas. Tudo depende da instituição financeira em que vai contratar.

De modo geral, as opções disponíveis são:

  • internet;
  • redes conveniadas ou parceiras presenciais;
  • bancos;
  • internet banking.

É importante destacar que os principais bancos e financeiras já trabalham com a contratação pela internet. Para você, isso se traduz em rapidez.

Basta acessar o site da instituição, fazer a simulação e terminar toda a contratação pelo próprio site.

Continua após a publicidade

O único cuidado necessário é com os golpes e as fraudes. Por isso, vale a pena atentar a alguns aspectos, como:

  • observar se há a presença do cadeado fechado na barra de endereços;
  • pesquisar sobre a empresa de empréstimo;
  • analisar os comentários e a reputação da empresa no Reclame Aqui.

Quais são as condições para contratar o empréstimo pessoal?

Cada instituição financeira tem exigências diferentes para autorizar a operação. Por isso, é necessário se informar em cada site.

Normalmente, os bancos tradicionais requerem que você tenha uma conta-corrente. Inclusive, eles podem oferecer empréstimos pessoais pré-aprovados.

Nesse caso, você apenas vai ao caixa eletrônico, internet banking ou aplicativo do banco e contrata o valor desejado.

Nesse momento, você fará uma simulação para ver como ficarão as parcelas. Também verá o CET e outras condições do contrato, como prazo de pagamento.

Continua após a publicidade

Caso não tenha o dinheiro pré-aprovado, você terá que conversar com o seu gerente. Se a solicitação for autorizada, a quantia é disponibilizada na conta-corrente.

Com uma fintech, você tem acesso ao empréstimo pessoal de forma menos burocrática. Pelo menos, essa é a bandeira erguida por esses bancos online.

O processo é todo feito pela internet. Você entra no site, faz a simulação, recebe a pré-aprovação e termina de contratar o valor necessário pelo site.

O dinheiro é depositado na sua conta-corrente e o pagamento das parcelas costuma ser feito por meio do débito automático.

Continua após a publicidade

Em qualquer um dos casos, é normal haver a exigência de estar com o nome limpo no mercado. 

No entanto, alguns bancos já trabalham com empréstimos pessoais para negativados. Nesse caso, a taxa de juros tende a ser mais cara para compensar os riscos.

De toda forma, você precisará passar por uma análise de crédito. Por isso, são exigidos alguns documentos. Os principais são:

  • documentos pessoais;
  • comprovantes de renda e residência.

É possível ter mais de um empréstimo ao mesmo tempo?

Na prática, sim. Mas pode ser difícil conseguir a liberação de outro empréstimo. Quem decide isso é o credor, ou seja, a instituição que vai oferecer a quantia.

Continua após a publicidade

Para ter mais de um empréstimo pessoal ao mesmo tempo, é preciso cumprir três condições:

  • ter o nome limpo no mercado;
  • evitar o comprometimento de mais de 30% da renda com as parcelas;
  • ter um bom relacionamento de crédito com as instituições financeiras. Em outras palavras, ter um bom score.

Empréstimo Pessoal: você realmente precisa?

Em determinadas situações, a contratação de um empréstimo pode ser uma saída interessante para recuperar o controle financeiro. Como saber se você precisa mesmo de um empréstimo?

Confira abaixo algumas dicas:

1 – Entenda por que você precisa de um empréstimo pessoal

Antes de solicitar um empréstimo pessoal, é importante que você reflita sobre a sua real situação

Assim, você vai conseguir entender se este serviço realmente é o indicado para a resolução desse objetivo.

Continua após a publicidade

Normalmente, as pessoas procuram por crédito quando precisam:

  • quitar uma despesa inesperada ou pendente; 
  • pagar o conserto de um carro; 
  • arcar com uma conta médica; 
  • pagar alguma situação não emergencial, como uma viagem ou uma festa.

Outro ponto a considerar sobre o empréstimo pessoal e se ele é o ideal para sua situação é o valor total a pagar

Para isso, calcule o valor total do crédito mais as taxas de juros e os outros encargos. Assim, você tem noção do quanto está devendo após a contratação de determinada quantia.

2 – Conheça o empréstimo pessoal oferecido pelas instituições

Para entender se o empréstimo pessoal é uma boa opção para o seu momento, pesquise quais instituições oferecem essa modalidade e quais são as condições impostas.

Você pode encontrar linhas de crédito com diferentes características. É muito importante que se faça a escolha da opção que apresenta as soluções mais adequadas ao seu perfil

Continua após a publicidade

3 – Faça uma simulação online

Para ter a certeza de que o empréstimo vai ser a melhor saída para a sua situação, faça uma simulação no site da instituição financeira antes de fechar o contrato do serviço.

Esse passo é importante, pois ele permite entender alguns pontos. Por exemplo, quantas parcelas serão necessárias para pagar a quantia, sem atrapalhar o seu orçamento.

Lembre-se de que, na maioria das vezes, quanto maior o número de parcelas, mais elevados são os juros que você terá que pagar. 

Portanto, pesquise sempre para encontrar a melhor forma de conseguir o dinheiro emprestado. Algumas opções de plataformas para fazer a simulação são:

Continua após a publicidade

4 – Procure por alternativas além do empréstimo pessoal

No processo de pesquisa pela melhor linha de crédito, faça um levantamento de outras opções e compare qual é a alternativa ideal para conseguir o dinheiro extra

Por exemplo, a antecipação do 13º salário pode facilitar a sua situação financeira e não comprometer sua renda com as taxas de juros de um empréstimo.  

Você ainda pode:

  • oferecer serviços como freelancer, por exemplo, de redação, revisão, diagramação, design ou digitação;
  • vender alguns produtos feitos em casa ou até mesmo de afiliados; 
  • fazer horas extras no trabalho;
  • alugar algum imóvel que esteja parado;
  • locar um quarto da sua casa.

Dependendo da situação financeira, uma nova fonte de renda pode ajudar no pagamento das parcelas da sua geladeira nova ou na quitação da dívida de um cartão de crédito, por exemplo.

5 – Organize suas finanças

O empréstimo precisa ser utilizado para melhorar a sua vida financeira, e não para dificultá-la ainda mais. Então, analise seus gastos e suas receitas atuais. 

É fundamental entender o quanto de dinheiro entra e sai do seu orçamento para não se deparar com novas dívidas e conhecer a quantia disponível para parcelar o empréstimo.

Assim que liquidar esse débito em aberto e mantiver todas as contas em dia, forme uma reserva de emergência. Esse dinheiro será usado somente em caso de imprevistos para evitar problemas.

Como se planejar para contratar o crédito pessoal?

A essa altura do texto, você já deve ter percebido se vale a pena contratar o empréstimo. 

Se essa foi a sua opção, ainda precisa seguir alguns conselhos sobre o que deve ser levado em consideração. Confira!

Defina para que servirá o dinheiro

Nunca contrate um empréstimo pessoal sem saber exatamente por que precisa dele. Basicamente, a ideia é ter um objetivo específico.

Pode ser uma viagem, um intercâmbio, um tratamento de saúde, o pagamento de outra dívida mais cara etc. Qualquer que seja o motivo, tenha clareza sobre ele.

A partir disso, você saberá exatamente quanto precisa e ficará mais fácil fazer um planejamento financeiro.

Calcule quanto precisará

Como destacamos, saber exatamente quanto é necessário é um passo importante antes de fazer qualquer simulação de crédito pessoal.

Se pedir menos, ainda não terá seu problema resolvido. Se solicitar mais, terá que pagar mais juros.

Perceba que a taxa cobrada e os encargos continuam iguais, mas como os juros são compostos, o total extra se torna maior.

Além disso, lembre-se de que, durante o período de pagamento do empréstimo, sua renda ficará parcialmente comprometida.

Calcule as parcelas mensais

É preciso ter certeza de que a parcela cabe no seu orçamento. De nada adianta contratar um empréstimo pessoal e acabar se endividando depois.

A questão é tão relevante que 67,5% das famílias brasileiras estão endividadas. Isso significa que elas têm sua renda comprometida com algum financiamento ou empréstimo.

Os dados são de agosto de 2020. Além disso, 26,7% estão inadimplentes. Nesse caso, estão com dívidas atrasadas e cadastrados na lista de devedores.

Por isso, é melhor pagar uma parcela mais alta, desde que o número de prestações seja menor. Porém, nunca deixe esse valor atrapalhar seu orçamento, ok? Chegue até certo limite.

Quais são as taxas e os custos nos empréstimos pessoais?

O primeiro aspecto a considerar são as taxas de juros. Elas variam de acordo com a instituição financeira.

Dados de agosto de 2020 mostram que a média do empréstimo pessoal ficou em 44,41% ao ano. No entanto, vários fatores interferem nessa questão.

Por exemplo, se você tiver um score de risco nos órgãos de proteção ao crédito, provavelmente terá uma taxa de juros mais elevada. Isso acontece porque a operação é mais arriscada e há mais chance de inadimplência. 

Se você tiver um score bom, mas nenhum relacionamento com o banco, terá uma taxa de juros menor do que na opção anterior. Ainda assim, ela será mais alta do que quando você já tem um contato com a instituição financeira.

Outro fator que interfere na taxa de juros é a instituição financeira. Muitas vezes, as fintechs oferecem alíquotas mais baixas.

O motivo é não terem uma estrutura com agências físicas, o que reduz os custos. Desse modo, oferecem taxas mais competitivas.

Ainda são aplicados outros encargos. Um deles é o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). 

Ele é obrigatório, pois é um tributo federal. Sua cobrança é de 0,38% mais alíquota diária, que depende da transação. Geralmente, fica em 3% ao ano.

O banco ainda pode embutir o seguro. No entanto, você não tem obrigação de contratá-lo. Por isso, tenha atenção e o exclua, se achar necessário.

Outra possibilidade é a tarifa de cadastro. Ela depende da instituição financeira e nem sempre incide no empréstimo pessoal.

Vale a pena destacar novamente que todos esses valores estão incluídos no CET. Por isso, é fundamental observar essa alíquota, em vez da taxa de juros.

Dicas para escolher a melhor instituição financeira

Na hora de escolher o banco para fazer o seu empréstimo pessoal, você deve pensar em vários fatores. É fundamental pesquisar muito para encontrar as melhores oportunidades.

Nesse cenário, algumas dicas importantes são:

Analise a taxa de juros

O valor cobrado pelas instituições financeiras varia muito. Se você não buscar a melhor oferta, acabará pagando um valor bastante alto.

Tenha em mente que a taxa de juros impacta o CET. Portanto, a regra geral é: quanto menor for a alíquota, mais baixo é o valor total pago. Ainda assim, sempre compare o Custo Efetivo Total para ter certeza.

Veja quais são os custos adicionais e a burocracia

O CET também inclui o IOF e outros encargos. Garanta que a taxa máxima do imposto seja de 3% ao ano, conforme definido por lei.

Pesquise a reputação da empresa

Analise bem a instituição financeira com a qual fará negócio. O ideal é que a empresa tenha experiência no mercado e uma boa reputação perante os clientes.

Apesar de serem atrativos, cuide com os anúncios de taxas muito baixas. Muitas vezes, essas ações são golpes.

Um bom lugar para conhecer a reputação da instituição financeira é verificar os comentários do Reclame Aqui e de outros sites da internet.

Conclusão

O empréstimo pessoal é uma boa oportunidade para sair de dívidas maiores ou arcar com algum imprevisto e organizar suas finanças pessoais.

No entanto, ele precisa ser bem planejado, desde a definição do objetivo do crédito até o pagamento das parcelas. Quando você ignora essas dicas, corre o risco de se endividar.

Por isso, a palavra-chave na hora de pedir um empréstimo pessoal é disciplina. Por meio da educação financeira, você alcança somente os benefícios dessa prática.

O que achou de saber mais sobre o assunto? Assine a newsletter do iDinheiro e veja outras dicas relevantes para manter suas finanças em dia!

Continua após a publicidade

Comunidade iDinheiro
Pergunte à comunidade ➔
Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.