O RG (Registro Geral) ou Carteira de Identidade, é uma identificação necessária a todo cidadão. Precisa-se deste documento para muitos fins, e é recomendado que seja feito durante a infância, logo após o nascimento. Já o CPF (Cadastro de Pessoa Física) é um documento necessária a todos os brasileiros para abrir conta no banco, fazer declaração de renda, dentre outros.

Muitas vezes não estamos com nosso RG em mãos, ou o perdemos ou somos vítimas de furto. Com isso, ficamos sem as informações básicas dele, como data de emissão, órgão emissor, etc, necessárias para muitos cadastros. Para tais situações, é possível consultar seu RG com o auxílio do seu CPF, pelo site do INSS. Confira abaixo mais sobre o processo.

Continua após a publicidade:

Como consultar o RG pelo CPF?

Para consultar seu RG por meio do seu CPF, basta entrar no site Meu INSS, clicando aqui. Neste site estarão muitos dos seus dados, e para acessá-lo é só fazer o login. Caso não tenha o login, pode fazer seu registro na mesma hora.

Clique no ícone de uma pessoa no lado esquerdo, na parte superior da página. Acesse “Login”. Caso já tenha um login, coloque os seus dados na página que irá abrir em seguida, intitulada de “Cidadão.br”. Se não tiver um cadastro, clique em “Cadastre-se”.

Uma nova aba irá abrir, com a seguinte mensagem : ” Para gerar sua senha inicial, você deverá informar alguns dados pessoais e responder 5 perguntas baseadas nas informações constantes no seu cadastro. Tenha em mãos sua(s) Carteira(s) de Trabalho da Previdência Social (CTPS) e/ou Guias de Recolhimento à Previdência Social (GPS) para consulta, se necessário.”

Na primeira página, insira o seu CPF, data de nascimento, nome, e-mail, celular e o nome da mãe. Clique em “Próximo”. Depois de ter inserido todas as suas informações, poderá acessar sua página do INSS tranquilamente.

Aprenda a Descobrir o RG pelo CPF
Por esta janela, faça seu cadastro no site Meu INSS e consiga seus dados do RG.

Acesse a aba “Extrato Previdenciário (CNIS)”. Clicando em “Dados” irá aparecer as informações referentes ao seu documento, como número do RG, local de emissão, data, etc.

Caso precise de dados do seu RG, este é um meio muito fácil de obtê-lo. Porém, lembre que é muito fácil fazer a 2º via da identidade.

2º Via do RG

Muitas pessoas adiam fazer a 2º via da Carteira de Identidade pois é um processo custoso, caso não a tenha perdido em caso de roubo, e também que demanda um certo tempo. Em várias cidade não existe o sistema de marcar o horário para fazer o RG, por isso os indivíduos acabam indo e esperando na fila, o que toma muito tempo.

Entretanto, em diversas cidades brasileiras já é possível entrar pelo sistema online do UAI, que é o órgão que comumente faz o RG, e realizar um agendamento. Com esta hora marcada, você chega no local e é atendido rapidamente.

No caso de roubo, a pessoa, mediante a apresentação do B.O policial, não precisa pagar o valor. Se não se encaixa nesta situação, basta emitir o Documento de Arrecadação Estadual (DAE), selecionando o serviço “CÉDULA DE IDENTIDADE – 2ª VIA”. O valor total é de R$71,86.

Pessoa menor de 16 (dezesseis) anos deve levar 2 fotos recentes 3×4, guia DAE impressa e comprovante de pagamento da guia e certidão original de nascimento (cópia autenticada em cartório ou original). Menores devem estar acompanhados pelo pai, mãe ou responsável legal que também deve possuir documento com foto para identificação.

Para maiores de 16 anos, são necessários os mesmos documentos acima: 2 fotos, tamanho 3×4, recentes, guia DAE impressa e o comprovante de pagamento da guia e certidão de nascimento (original ou cópia autenticada em Cartório de Notas). Pessoas casadas, além destes documentos, devem apresentar a Certidão de casamento (original ou cópia autenticada em Cartório de Notas). Já os indivíduos divorciados precisam ainda apresentar a Certidão de casamento com averbação (original ou cópia autenticada em Cartório de Notas).

Saiba que além de incluir o CPF na identidade, também pode conter os números de inscrição do titular no Programa de Integração Social (PIS) ou no Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PASEP).

Publicidade