Notícias

Decisão judicial sobre greve dos Correios é esperada para fim da paralisação

Karina Carneiro
Karina Carneiro
funcionários com adesivo de greve, representando decisão judicial sobre greve dos correios

Após quase um mês de paralisação, Correios aguardam decisão para finalizar a greve dos trabalhadores e os serviços voltarem à normalidade

Decisão judicial sobre greve dos Correios que deve ser divulgada na próxima segunda-feira, 21, é o que falta para possível fim da paralisação. Os funcionários dos Correios estão em greve desde o dia 17 de agosto e instituição espera resposta para que atividades voltem à normalidade.

A estatal divulgou nota afirmando que as negociações com os trabalhadores estão sendo realizadas desde julho. O objetivo era preservar a saúde financeira da empresa, principalmente em relação a “adequação da nova realidade do País”. 

Continua após a publicidade

Mesmo com parte do contingente funcional paralisado, foram registradas aproximadamente 187 milhões de cartas e encomendas entregues em todo o País apenas nas últimas quatro semanas.

Decisão judicial sobre greve dos Correios é esperada

De acordo com o comunicado divulgado pela empresa, os termos exigidos pelos funcionários para que voltem às atividades regulares colocam em risco a economia que vinha sendo aplicada pela instituição. Por outro lado, funcionários cobram melhores condições em meio à pandemia, o que faz a conta não fechar. Será a Justiça que tomará uma decisão.

Segundo os Correios, já é acumulado um prejuízo de aproximadamente R$ 2,4 bilhões. A expectativa antes era de conomizar cerca de R$ 800 milhões ao ano de acordo com as novas ações que estão sendo implantadas desde o final de 2019, como a reestruturação de alguns serviços.

“É evidente que não existe margem para propostas que sejam incompatíveis com a atual situação econômica do País e da própria instituição, o que inclui qualquer possibilidade de concessão de reajustes”, disseram em nota oficial.

E-commerce é visto como esperança

Além disso, a empresa ainda lamenta que, com a explosão do e-commerce no Brasil diante das condições impostas pela pandemia do Covid-19, as encomendas que dependem deste tipo de serviço, estejam sendo prejudicadas. 

Inclusive, as vendas online são vistas como esperança para ajuste financeiro da estatal, já que seria uma excelente oportunidade de “equilibrar as contas” em um dos poucos setores com espaço de crescimento nos próximos meses.

Sobre a greve dos Correios

Conforme anunciamos anteriormente, parte dos trabalhadores dos Correios buscam a manutenção de benefícios trabalhistas e como um protesto à proposta de privatização da empresa.

Além disso, os reajustes salariais também entraram em pauta durante a paralisação dos serviços neste período.

Quer continuar acompanhando os desdobramentos da greve dos Correios? Então não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro e ativar as notificações do Push.

Publicidade

Logo iDinheiro

Newsletter iDinheiro: receba novidades sobre o que importa para o seu dinheiro.

    Suas informações não serão compartilhadas com terceiros e também não enviaremos promoções ou ofertas.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *