O custo de fabricação da nota de R$ 200 será bem alto, comparado às demais notas brasileiras. Cada cédula custará à Casa da Moeda R$ 0,325, custo maior que o da moeda de 1 real, que era a mais cara até hoje, por R$ 0,31.

Apesar do custo mais alto, produção da cédula pode trazer economia ao Governo, que tem tido problemas na emissão de moeda devido à alta demanda para pagamento do auxílio emergencial. 

Continua após a publicidade:

Dados são de documentos disponibilizados por meio da Lei de Acesso à Informação, após solicitação do Portal Bitcoin. 

Custo de fabricação da nota de R$ 200 é maior que de outras moedas

A cédula com o lobo-guará será a mais cara produzida até hoje pela Casa da Moeda do Brasil. Custo de produção é próximo ao da moeda de R$ 1, instrumento monetário mais caro feito até hoje. O custo para colocar uma moeda dessas em circulação é de R$ 0,31.

Normalmente, moedas tem preço de fabricação maior que cédulas com valor monetário maior. A moeda de 5 centavos, por exemplo, custa R$ 0,17 a unidade.

Os centavos podem fazer diferença em larga escala, mas expectativa é que governo acabe economizando com nova moeda, já que seu maior valor evita a necessidade de produção de cédulas menores.

Sobre a nota

Serão produzidas 450 milhões de cédulas de R$ 200, sendo o  custo da operação inicial será de R$ 146,2 milhões.

Moeda terá o lobo-guará como personagem e deve entrar em circulação no final de agosto, segundo a previsão inicial. 

Crescente demanda da população por dinheiro em espécie motivou criação da moeda, segundo a diretora de Administração do Banco Central, Carolina de Assis Barros.

Segundo ela, a procura cresceu em março e abril deste ano. Por fim, demanda por dinheiro físico tem a ver com a pandemia e com os pagamentos do auxílio emergencial.

E você, quer continuar acompanhando outras notícias sobre a nota de R$ 200? Então, não deixe de assinar a newsletter do iDinheiro e ativar as notificações do Push.

Publicidade